OUTRA VIRADA NA AMÉRICA DO SUL

Rômulo Rodrigues

 

* Rômulo Rodrigues
Encerrado e apurado o plebiscito no Chile, onde o povo exige uma nova constituinte (77,27%) e que constituintes devem ser eleitos para tal fim (79%), os chilenos enterram a Constituição neoliberal da época do ditador Augusto Pinochet que, juntamente com a recente eleição na Bolívia são recados claros para os autores do golpe no Brasil e para a cambada de generais golpistas que seguiram as ordens dos EUA para apoiarem a aventura genocida comandada por Paulo Guedes, defensor do liberalismo selvagem que privilegia o lucro dos banqueiros e mercado financeiro em detrimento da vida e do bem estar das pessoas.
Os gritos de CHI-CHI-CHI-LE-LE-LE, contidos nas gargantas por décadas de governos ditatoriais e, agora neoliberal ecoam pelas ruas de Santiago e Ilha de Creta e todas as demais cidades como brados de liberdade, devem estar agredindo os tímpanos do entreguista Paulo Guedes.
A mídia golpista, entreguista e traidora do Brasil faz enormes esforços para encobrir o movimento libertário que cresce no continente sul-americano, desde o fechamento das urnas que consagraram o desejo do povo chileno por liberdade e democracia que são lembradas nas últimas palavras de Salvador Allende no seu último discurso em vida pela Rádio Magalannes na manhã de 11 de setembro de 1973, no Palácio de La Moneda, antes de ser assassinado pelos gorilas fardados a mando do gorila maior Augusto Pinochet.
"Trabajadores de mi Pátria, tengo fé em Chile e su destino. Superaránotrosombres este momento gris y amargo em el que latraición pretende imponerse. Siganostede sabendo que, mucho más temprano que tarde, de nuevo se abriránlas grandes alamedas por donde passe lehombre livre, para construir uma sociedade mejor".
As palavras proféticas de Salvador Allende, proferidas 47 anos atrás, agora concretude na revolução democrática que avança no Chile, conforme palavras do jornalista Jeferson Miola.
"O povo chileno abre as grandes alamedas por onde passa o homem livre, para construir uma sociedade melhor e igualitária".
O assalto feito às riquezas e à soberania do Brasil, principalmente à Petrobras, praticado por militares golpistas, pela Lava Jato, pelo Ministério Público federal, pelo Ministério da Justiça e Procuradoria Geral da República já está sendo revelado e seu poderio está descendo a rua da ladeira, puxado pelo Chicago Boy que acaba de ver seu sonho soterrado no Chile e a soberania resgatada na Bolívia.
Os cadáveres de Augusto Pinochet e do coronel Brilhante Ustra exalam seus odores putrefatos que começam a incomodar a corja que usurpou a República Federativa do Brasil.
Os abutres brasileiros que deviam estar nos grupos de animais em extinção, ainda se encontram nos pastos do agronegócio incorporados em imensas boiadas a lhes darem sobre vidas, mas já começam a sentir a falta de Oxigênio na nossa América do Sul e estão prestes a sofrer um grande baque com a eleição de Biden.
Certo que ele é um democrata e como todos, ele reja na cartilha cujos mandamentos se resumem em: primeiro os Estados Unidos, segundo os Estados Unidos e...por último os Estados Unidos e não é um brutamonte como Trump que sente prazer, apenas, em ter lacaios da marca de um Bolsonaro e seu séquito.
Tem sim, interesses a serem negociados e sabe que o Bozo não é um interlocutor de respeito e, por isso, vai direcionar sua política de alianças para onde houver legitimidade, coisa que o presidente daqui não tem; resultado, com o novo governo, Bolsonaro vai ficar totalmente isolado.
Com os sinais emitidos nas pesquisas eleitorais nas capitais e grandes cidades brasileiras onde sua maldição está derretendo candidaturas, a eleição está cada vez mais plebiscitária; um novo horizonte se manifestará em 16 de novembro de 2020.
Parece que em Aracaju onde apenas Rodrigo Valadares incorpora a maldição e se assume como de direita e bolsonarista; as candidaturas de Márcio Macedo e Edvaldo Nogueira teimam, burramente, em não olharem para fora de suas bolhas e verem que o Sol da Liberdade esta querendo surgir no horizonte do Brasil.
Nem eles, nem seus marqueteiros em extinção, enxergam que o que Rodrigo Valadares se assume é, na verdade, a carga de veneno letal da delegada reaça, morista, bolsonarista que está descendo a ladeira e falta só um empurrãozinho para levar a disputa do segundo turno para o campo da esquerda; jogar o jogo e dar as cartas de mão.
O palco da disputa em nossa capital é o indicado pela eleição presidencial de 1945 com a vitória de Iedo Fiuza e os dois correm o risco de contaminarem e a esquerda perderem o glamour.
Abram os olhos, a era do marqueterismo está acabando e sendo substituída pela Ciência Política e, estamos diante de um momento de véspera de uma batalha planetária e o mundo olha apreensivo com a maré extremista de direita que poderá ter consequências muito danosas para toda a humanidade e não é justo usar o precioso tempo de programas eleitorais para tratarem apenas de tapagem de buracos, pinturas de meio fio e roteiros de Ônibus.
A carestia está aí e para os mais pobres a inflação é o triplo do que é para os ricos e a população de Aracaju está cada dia, mais empobrecida e a pandemia resiste.
* Rômulo Rodrigues é militante político

* Rômulo Rodrigues

Encerrado e apurado o plebiscito no Chile, onde o povo exige uma nova constituinte (77,27%) e que constituintes devem ser eleitos para tal fim (79%), os chilenos enterram a Constituição neoliberal da época do ditador Augusto Pinochet que, juntamente com a recente eleição na Bolívia são recados claros para os autores do golpe no Brasil e para a cambada de generais golpistas que seguiram as ordens dos EUA para apoiarem a aventura genocida comandada por Paulo Guedes, defensor do liberalismo selvagem que privilegia o lucro dos banqueiros e mercado financeiro em detrimento da vida e do bem estar das pessoas.
Os gritos de CHI-CHI-CHI-LE-LE-LE, contidos nas gargantas por décadas de governos ditatoriais e, agora neoliberal ecoam pelas ruas de Santiago e Ilha de Creta e todas as demais cidades como brados de liberdade, devem estar agredindo os tímpanos do entreguista Paulo Guedes.
A mídia golpista, entreguista e traidora do Brasil faz enormes esforços para encobrir o movimento libertário que cresce no continente sul-americano, desde o fechamento das urnas que consagraram o desejo do povo chileno por liberdade e democracia que são lembradas nas últimas palavras de Salvador Allende no seu último discurso em vida pela Rádio Magalannes na manhã de 11 de setembro de 1973, no Palácio de La Moneda, antes de ser assassinado pelos gorilas fardados a mando do gorila maior Augusto Pinochet.
"Trabajadores de mi Pátria, tengo fé em Chile e su destino. Superaránotrosombres este momento gris y amargo em el que latraición pretende imponerse. Siganostede sabendo que, mucho más temprano que tarde, de nuevo se abriránlas grandes alamedas por donde passe lehombre livre, para construir uma sociedade mejor".
As palavras proféticas de Salvador Allende, proferidas 47 anos atrás, agora concretude na revolução democrática que avança no Chile, conforme palavras do jornalista Jeferson Miola.
"O povo chileno abre as grandes alamedas por onde passa o homem livre, para construir uma sociedade melhor e igualitária".
O assalto feito às riquezas e à soberania do Brasil, principalmente à Petrobras, praticado por militares golpistas, pela Lava Jato, pelo Ministério Público federal, pelo Ministério da Justiça e Procuradoria Geral da República já está sendo revelado e seu poderio está descendo a rua da ladeira, puxado pelo Chicago Boy que acaba de ver seu sonho soterrado no Chile e a soberania resgatada na Bolívia.
Os cadáveres de Augusto Pinochet e do coronel Brilhante Ustra exalam seus odores putrefatos que começam a incomodar a corja que usurpou a República Federativa do Brasil.
Os abutres brasileiros que deviam estar nos grupos de animais em extinção, ainda se encontram nos pastos do agronegócio incorporados em imensas boiadas a lhes darem sobre vidas, mas já começam a sentir a falta de Oxigênio na nossa América do Sul e estão prestes a sofrer um grande baque com a eleição de Biden.
Certo que ele é um democrata e como todos, ele reja na cartilha cujos mandamentos se resumem em: primeiro os Estados Unidos, segundo os Estados Unidos e...por último os Estados Unidos e não é um brutamonte como Trump que sente prazer, apenas, em ter lacaios da marca de um Bolsonaro e seu séquito.
Tem sim, interesses a serem negociados e sabe que o Bozo não é um interlocutor de respeito e, por isso, vai direcionar sua política de alianças para onde houver legitimidade, coisa que o presidente daqui não tem; resultado, com o novo governo, Bolsonaro vai ficar totalmente isolado.
Com os sinais emitidos nas pesquisas eleitorais nas capitais e grandes cidades brasileiras onde sua maldição está derretendo candidaturas, a eleição está cada vez mais plebiscitária; um novo horizonte se manifestará em 16 de novembro de 2020.
Parece que em Aracaju onde apenas Rodrigo Valadares incorpora a maldição e se assume como de direita e bolsonarista; as candidaturas de Márcio Macedo e Edvaldo Nogueira teimam, burramente, em não olharem para fora de suas bolhas e verem que o Sol da Liberdade esta querendo surgir no horizonte do Brasil.
Nem eles, nem seus marqueteiros em extinção, enxergam que o que Rodrigo Valadares se assume é, na verdade, a carga de veneno letal da delegada reaça, morista, bolsonarista que está descendo a ladeira e falta só um empurrãozinho para levar a disputa do segundo turno para o campo da esquerda; jogar o jogo e dar as cartas de mão.
O palco da disputa em nossa capital é o indicado pela eleição presidencial de 1945 com a vitória de Iedo Fiuza e os dois correm o risco de contaminarem e a esquerda perderem o glamour.
Abram os olhos, a era do marqueterismo está acabando e sendo substituída pela Ciência Política e, estamos diante de um momento de véspera de uma batalha planetária e o mundo olha apreensivo com a maré extremista de direita que poderá ter consequências muito danosas para toda a humanidade e não é justo usar o precioso tempo de programas eleitorais para tratarem apenas de tapagem de buracos, pinturas de meio fio e roteiros de Ônibus.
A carestia está aí e para os mais pobres a inflação é o triplo do que é para os ricos e a população de Aracaju está cada dia, mais empobrecida e a pandemia resiste.

* Rômulo Rodrigues é militante político

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS