AS AMEAÇAS ESTÃO DE VOLTA

Rômulo Rodrigues

 

* Rômulo Rodrigues
O exército brasileiro pela voz do seu comandante, general Pujol, ameaçou a nação com seu braço forte, às vésperas do segundo turno das capitais e grandes cidades, onde as forças de esquerda anunciavam um novo colorido no mapa político do Brasil. 
O pronunciamento político soa estranho porque, justamente ele, havia dito há poucos dias que as forças armadas não se meteriam mais nas questões política e veio a campo, intencionalmente, parar dar pautas para a imprensa patronal fazer o seu terrorismo costumeiro contra as esquerdas.
O pronunciamento de general veio como falsa resposta a mais uma das costumeiras e combinadas asneiras de Bolsonaro e serve como pano de fundo de que; se precisarem de um golpe dentro do golpe para soterrar de vez a democracia, estamos prontos.
Em segundo plano serviu para tirar da mídia qualquer tentativa de dar enfoque a uma licitação, feita pela força, para contratar um buffet para 11 eventos farto de comidas e bebidas; os comes e bebes.
Em pelo menos 4 deles haverá cervejas e coquetéis com álcool, com orçamento de 1,3 milhão de reais. (Nos tempos de Lula e Dilma nunca se ouviu falar em farras assim). Talvez aí, se encontre um dos motivos para as perseguições, impeachment e golpe de 2016. Bem no rastro do ódio contra a democracia, o diminuto general da reserva, Augusto Heleno, com seu passado nebuloso de massacre no Haiti e desvio de milhões no COB, trás ao noticiário o levante da Aliança Nacional Renovadora que ocupou quartéis e tomou o controle de importantes capitais. Isso foi há 85 anos. 
Mais uma vez ficou claro que essa gente odeia um Brasil livre, democrático e independente do jugo dos EUA, e desenvolvido. Por isso, o ódio ao PT e às forças democráticas.
O País que eles querem é um Brasil colonial com apenas o agronegócio funcionando, bem no ritmo do antigo e atrasado País essencialmente agrícola.
Duvido que alguém saiba o significado daquele monte de medalhas que ostentam no peito, sem nunca terem enfrentado uma única batalha em defesa da soberania no nosso País.
O segundo turno aconteceu e o objetivo foi em parte alcançado com as significativas alterações dos resultados em São Paulo, Porto Alegre e Recife onde a onda de ódio, medo e Fake News fez as cabeças de centenas de milhares de eleitores que são vulneráveis ao terror diário da mídia,
O terrorismo midiático está subliminarmente presente nas narrativas do sistema Globo ao destacar o trecho do discurso de Bruno Covas; São Paulo não quer o ódio; São Paulo não que radicalismo; São Paulo quer União.
O mesmo Covas, que articulou para que a polícia militar do seu aliado João Dória, ambos do PSDB, atacasse uma ocupação do MTST, às vésperas da eleição, para incriminar seu adversário Guilherme Boulos, quando as pesquisas apontavam grande crescimento do candidato do Psol.
O terrorismo contra o PT começou para valer em 2005 com a AP-470 quando um aliado de Roberto Jeferson foi filmado recebendo dois mil reais de propina em uma agência dos correios e ele com mágoas do partido e de José Dirceu disse que o governo Lula tinha um esquema de mesada com deputados que apelidou de mensalão e caiu no gosto da mídia golpista, mesmo sendo provado que o governo perdeu a maioria das votações na casa. Foi quando o capitão do mato Joaquim Barbosa viu sua chance de ir ao estrelato e cunhou a teoria do domínio do fato responsabilizando Lula por qualquer ato falho no âmbito de todo o governo.
Hoje, quinze anos depois, os acusados e escrachados daquele processo foram inocentados pela própria justiça e, como se viu domingo, José Dirceu recuperou o direito de votar.
Interessante é que ninguém sabe da vida do justiceiro do STF, mas sabe que ele fez uma escola de mentira e acusações fraudadas tendo como seguidor mais aplicado o outrora Juiz Sergio Moro que vendeu a alma, falsificou provas, escondeu outras, coagiu testemunhas e condenou inocentes como objetivo de chegar à presidência da República ou ministro da suprema corte.
As notícias mais recentes do dito cujo outrora controlador absoluto do MPF e Polícia Federal de Curitiba é que ele vai assumir a diretoria executiva de uma consultoria americana que vai administrar as massas falidas da Odebrecht e OAS, que ele, propositadamente, levou à falência.
Enquanto isso, suportando toda uma guerra ideológica, científica, o PT ainda conseguiu conquistar 183 prefeituras por todo o País em pequenas, médias e grandes cidades, perdendo na reta final, Recife e Vitória, numa avalanche de mentiras e notícias sujas. Mas, como uma esfinge, dá sinais de renascimento em duas cidades símbolo do seu nascedouro enquanto governança municipal; Diadema em São Paulo e Contagem em Minas Gerais, exatamente onde tomou corpo e cresceu o modo petista de governar.
Com toda certeza, com o vazamento cada vez mais forte do conluio entre os partidos midiático, militar, da justiça, do ministério público e das polícias judiciárias, o povo, senhor da razão, vai cansar de ouvir tanta mentira e compreender que precisa tomar partido e decidir seu próprio destino e dar um basta aos que o engana e defendem os interesses dos Estados Unidos da América.
* Rômulo Rodrigues é militante político

* Rômulo Rodrigues

O exército brasileiro pela voz do seu comandante, general Pujol, ameaçou a nação com seu braço forte, às vésperas do segundo turno das capitais e grandes cidades, onde as forças de esquerda anunciavam um novo colorido no mapa político do Brasil. 
O pronunciamento político soa estranho porque, justamente ele, havia dito há poucos dias que as forças armadas não se meteriam mais nas questões política e veio a campo, intencionalmente, parar dar pautas para a imprensa patronal fazer o seu terrorismo costumeiro contra as esquerdas.
O pronunciamento de general veio como falsa resposta a mais uma das costumeiras e combinadas asneiras de Bolsonaro e serve como pano de fundo de que; se precisarem de um golpe dentro do golpe para soterrar de vez a democracia, estamos prontos.
Em segundo plano serviu para tirar da mídia qualquer tentativa de dar enfoque a uma licitação, feita pela força, para contratar um buffet para 11 eventos farto de comidas e bebidas; os comes e bebes.
Em pelo menos 4 deles haverá cervejas e coquetéis com álcool, com orçamento de 1,3 milhão de reais. (Nos tempos de Lula e Dilma nunca se ouviu falar em farras assim). Talvez aí, se encontre um dos motivos para as perseguições, impeachment e golpe de 2016. Bem no rastro do ódio contra a democracia, o diminuto general da reserva, Augusto Heleno, com seu passado nebuloso de massacre no Haiti e desvio de milhões no COB, trás ao noticiário o levante da Aliança Nacional Renovadora que ocupou quartéis e tomou o controle de importantes capitais. Isso foi há 85 anos. 
Mais uma vez ficou claro que essa gente odeia um Brasil livre, democrático e independente do jugo dos EUA, e desenvolvido. Por isso, o ódio ao PT e às forças democráticas.
O País que eles querem é um Brasil colonial com apenas o agronegócio funcionando, bem no ritmo do antigo e atrasado País essencialmente agrícola.
Duvido que alguém saiba o significado daquele monte de medalhas que ostentam no peito, sem nunca terem enfrentado uma única batalha em defesa da soberania no nosso País.
O segundo turno aconteceu e o objetivo foi em parte alcançado com as significativas alterações dos resultados em São Paulo, Porto Alegre e Recife onde a onda de ódio, medo e Fake News fez as cabeças de centenas de milhares de eleitores que são vulneráveis ao terror diário da mídia,
O terrorismo midiático está subliminarmente presente nas narrativas do sistema Globo ao destacar o trecho do discurso de Bruno Covas; São Paulo não quer o ódio; São Paulo não que radicalismo; São Paulo quer União.
O mesmo Covas, que articulou para que a polícia militar do seu aliado João Dória, ambos do PSDB, atacasse uma ocupação do MTST, às vésperas da eleição, para incriminar seu adversário Guilherme Boulos, quando as pesquisas apontavam grande crescimento do candidato do Psol.
O terrorismo contra o PT começou para valer em 2005 com a AP-470 quando um aliado de Roberto Jeferson foi filmado recebendo dois mil reais de propina em uma agência dos correios e ele com mágoas do partido e de José Dirceu disse que o governo Lula tinha um esquema de mesada com deputados que apelidou de mensalão e caiu no gosto da mídia golpista, mesmo sendo provado que o governo perdeu a maioria das votações na casa. Foi quando o capitão do mato Joaquim Barbosa viu sua chance de ir ao estrelato e cunhou a teoria do domínio do fato responsabilizando Lula por qualquer ato falho no âmbito de todo o governo.
Hoje, quinze anos depois, os acusados e escrachados daquele processo foram inocentados pela própria justiça e, como se viu domingo, José Dirceu recuperou o direito de votar.
Interessante é que ninguém sabe da vida do justiceiro do STF, mas sabe que ele fez uma escola de mentira e acusações fraudadas tendo como seguidor mais aplicado o outrora Juiz Sergio Moro que vendeu a alma, falsificou provas, escondeu outras, coagiu testemunhas e condenou inocentes como objetivo de chegar à presidência da República ou ministro da suprema corte.
As notícias mais recentes do dito cujo outrora controlador absoluto do MPF e Polícia Federal de Curitiba é que ele vai assumir a diretoria executiva de uma consultoria americana que vai administrar as massas falidas da Odebrecht e OAS, que ele, propositadamente, levou à falência.
Enquanto isso, suportando toda uma guerra ideológica, científica, o PT ainda conseguiu conquistar 183 prefeituras por todo o País em pequenas, médias e grandes cidades, perdendo na reta final, Recife e Vitória, numa avalanche de mentiras e notícias sujas. Mas, como uma esfinge, dá sinais de renascimento em duas cidades símbolo do seu nascedouro enquanto governança municipal; Diadema em São Paulo e Contagem em Minas Gerais, exatamente onde tomou corpo e cresceu o modo petista de governar.
Com toda certeza, com o vazamento cada vez mais forte do conluio entre os partidos midiático, militar, da justiça, do ministério público e das polícias judiciárias, o povo, senhor da razão, vai cansar de ouvir tanta mentira e compreender que precisa tomar partido e decidir seu próprio destino e dar um basta aos que o engana e defendem os interesses dos Estados Unidos da América.

* Rômulo Rodrigues é militante político

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS