Máquina de radioterapia do Huse volta a quebrar

Geral


  • Equipamento de radioterapia do Huse

 

Pela segunda vez em 
menos de 20 dias, uma 
das máquinas de radioterapia pertencente ao Hospital de Urgência Governador João Alves Filho, em Aracaju, voltou a apresentar problemas técnicos e suspender o tratamento de câncer aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Diante da complexidade a qual envolve o reparo operacional da máquina, até o final da tarde de ontem os gestores da unidade hospitalar não souberam anunciar o dia exato para restabelecimento do serviço público. De acordo com a vereadora Sheila Galba (Cidadania), esse tipo de ocorrência tem sido registrado no maior hospital público de Sergipe há mais de cinco anos. 
Ex-dirigente do Grupo Mulheres do Peito, a parlamentar municipal pela primeira vez foi eleita em novembro do ano passado defendendo, como principal 'bandeira', a qualificação imediata dos setores públicos de oncologia. A manutenção da máquina depende agora do encaminhamento de engenheiro especializado nesse tipo de equipamento, bem como a substituição da(s) peça(s) danificada(s). Para Sheila, é preciso que os órgãos estaduais e federais de fiscalização realizem vistorias e apliquem punições, sobretudo, direcionadas aos gestores governamentais. No que se refere ao Hospital do Câncer de Sergipe, a vereadora lamenta contra a suspensão das obras, e enaltece que os anúncios de construção até o momento não passaram de 'atos políticos eleitoreiros'. 
 "Quantas e quantas vezes nos deparamos com governadores, secretários de Saúde e tantos outros gestores estaduais alegando que o tão anunciado Hospital do Câncer seria finalmente construído? Inúmeras! O que continuamos observando é o Huse com máquinas que quebram com frequência, e um hospital fantasioso que há anos não passa da terraplanagem", disse. Ainda sobre a unidade dedicada ao tratamento de câncer [anunciada pela primeira vez pelo ex-governador Marcelo Déda Chagas em 26 de outubro de 2011], Sheila completou: "esse hospital seria extremamente importante para a oncologia em Sergipe, pois iria disponibilizar uma boa estrutura voltada exclusivamente para atender os pacientes oncológicos. Poderíamos ter, quem sabe, até mais aparelhos. Infelizmente, seguimos apenas sonhando". 
Radioterapia - Sobre a oferta de equipamentos em Sergipe, Sheila Galba esclarece que o Sistema Único de Saúde conta com apenas três máquinas para atender os pacientes sergipanos, além de usuários do sistema unificado que todas as semanas se deslocam de estados nordestinos vizinhos, a exemplo da Bahia, Alagoas e Pernambuco. Infelizmente, o tempo passa e as dificuldades voltam a se repetir. "Atualmente, temos apenas três máquinas de radioterapia no sistema público de saúde do nosso Estado, sendo duas no Huse e uma em uma clínica particular que tem convênio com o governo. No Hospital de Cirurgia já deveria estar funcionando outra, mas até o momento nada. Com isso, acaba ocorrendo uma sobrecarga, principalmente quando uma delas deixa de funcionar", pontuou a vereadora.

Pela segunda vez em  menos de 20 dias, uma  das máquinas de radioterapia pertencente ao Hospital de Urgência Governador João Alves Filho, em Aracaju, voltou a apresentar problemas técnicos e suspender o tratamento de câncer aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Diante da complexidade a qual envolve o reparo operacional da máquina, até o final da tarde de ontem os gestores da unidade hospitalar não souberam anunciar o dia exato para restabelecimento do serviço público. De acordo com a vereadora Sheila Galba (Cidadania), esse tipo de ocorrência tem sido registrado no maior hospital público de Sergipe há mais de cinco anos. 
Ex-dirigente do Grupo Mulheres do Peito, a parlamentar municipal pela primeira vez foi eleita em novembro do ano passado defendendo, como principal 'bandeira', a qualificação imediata dos setores públicos de oncologia. A manutenção da máquina depende agora do encaminhamento de engenheiro especializado nesse tipo de equipamento, bem como a substituição da(s) peça(s) danificada(s). Para Sheila, é preciso que os órgãos estaduais e federais de fiscalização realizem vistorias e apliquem punições, sobretudo, direcionadas aos gestores governamentais. No que se refere ao Hospital do Câncer de Sergipe, a vereadora lamenta contra a suspensão das obras, e enaltece que os anúncios de construção até o momento não passaram de 'atos políticos eleitoreiros'. 
 "Quantas e quantas vezes nos deparamos com governadores, secretários de Saúde e tantos outros gestores estaduais alegando que o tão anunciado Hospital do Câncer seria finalmente construído? Inúmeras! O que continuamos observando é o Huse com máquinas que quebram com frequência, e um hospital fantasioso que há anos não passa da terraplanagem", disse. Ainda sobre a unidade dedicada ao tratamento de câncer [anunciada pela primeira vez pelo ex-governador Marcelo Déda Chagas em 26 de outubro de 2011], Sheila completou: "esse hospital seria extremamente importante para a oncologia em Sergipe, pois iria disponibilizar uma boa estrutura voltada exclusivamente para atender os pacientes oncológicos. Poderíamos ter, quem sabe, até mais aparelhos. Infelizmente, seguimos apenas sonhando". 

Radioterapia - Sobre a oferta de equipamentos em Sergipe, Sheila Galba esclarece que o Sistema Único de Saúde conta com apenas três máquinas para atender os pacientes sergipanos, além de usuários do sistema unificado que todas as semanas se deslocam de estados nordestinos vizinhos, a exemplo da Bahia, Alagoas e Pernambuco. Infelizmente, o tempo passa e as dificuldades voltam a se repetir. "Atualmente, temos apenas três máquinas de radioterapia no sistema público de saúde do nosso Estado, sendo duas no Huse e uma em uma clínica particular que tem convênio com o governo. No Hospital de Cirurgia já deveria estar funcionando outra, mas até o momento nada. Com isso, acaba ocorrendo uma sobrecarga, principalmente quando uma delas deixa de funcionar", pontuou a vereadora.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS