O Desafio da Formação em Medicina

Saumínio Nascimento

 

Segundo informações do Conselho 
Federal de Medicina (CFM), o Brasil 
possui mais de 500 mil médicos em atividades no Brasil. São 557.032 médicos, sendo 509.648 com inscrições principais, 47.252 inscrições secundárias e 132 estudantes estrangeiros.
Em Sergipe, conforme os dados do Conselho Federal de Medicina temos 4.810 médicos ativos. São 2.548 (52,9%) médicos e 2.262 (47,1%) médicas que atuam em Sergipe, Destaco que apenas 6,8% dos médicos são do interior, são 331 médicos no interior, 4.062 médicos na capital, 385 de outros estados e 32 em processo de atualização do registro.
Sergipe tem 1 médico para cada 482 habitantes, dessa forma, o estado tem uma média de médico/população maior que a da Região Nordeste, cuja média é de 1,69 médico para cada 1.0000 habitantes, em Sergipe temos 2,07 médicos para cada 1.000 habitantes. Estes dados revelam que ainda existe muito espaço para a atuação do médico no Estado de Sergipe, o que reforça o grande desafio e responsabilidade na formação de referido profissional tão importante para a nossa sociedade.
Em Sergipe duas Universidades oferecem o curso de Medicina, a Universidade Federal de Sergipe, no Campus de São Cristóvão e no Campus de Lagarto e, a Universidade Tiradentes, no Campus da Farolândia em Aracaju e no Campus de Estância.
Irei abordar neste artigo as premissas de formação do profissional de Medicina na Universidade Tiradentes.  
Destaco que o fato de uma instituição de ensino superior privada inserir-se na opção de oferta da formação de medicina tem a lógica de contribuir para a melhoria dos patamares de saúde do nosso país. A primeira turma de Medicina da Universidade Tiradentes colou grau no 2º semestre de 2015, ou seja, são 5 (cinco) anos contribuindo para a inserção de médicos em Sergipe, no Brasil e no Mundo.
Na formação do Médico na Universidade Tiradentes, trabalha-se com três pontos essenciais que é a atenção à saúde (considerando-se as dimensões da diversidade biológica e de todos os aspectos que fazem parte da diversidade humana), a gestão em saúde (preparando o profissional para ser capaz de compreender os princípios, diretrizes e políticas do sistema de saúde e participar de ações de gerenciamento e administração para promover o bem estar da comunidade) e a educação em saúde (para que seja possível ter um profissional que seja co-responsável pela própria formação inicial continuada em serviço).
Nos eixos estruturantes da formação do Médico na Universidade Tiradentes, trabalha-se para que ele possa ser um profissional com uma formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, com capacidade de atuar pautado em princípios éticos, no processo de saúde/doença, em seus diferentes níveis de atenção, com ações de promoção, prevenção, recuperação e reabilitação à saúde, na perspectiva da integralidade da assistência.
O médico formado em medicina na Universidade Tiradentes será um profissional apto a tratar o que é mais frequente na realidade epidemiológica do Estado de Sergipe, da Região do Nordeste, do Brasil e do Mundo, pois ele tem uma formação voltada para o Sistema Único de Saúde - SUS. Neste quesito, o curso de medicina está articulado com o SUS através de parcerias firmadas por acordo de cooperação com a Secretaria Municipal de Aracaju e outros municípios sergipanos, bem como com a Secretaria de Estado da Saúde de Sergipe e com hospitais conveniados com o SUS.
No quesito das Secretarias Municipais de Saúde da capital e do interior, trabalha-se com a rede de atenção primária, a rede de atenção especializada, a rede de atenção psicossocial, a rede de urgência e emergência e a rede hospitalar. Com a Secretaria de Estado da Saúde trabalha-se com o Hospital de Urgência de Sergipe e com a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, além disso, trabalha-se também com alguns hospitais conveniados com o SUS, a exemplo da Fundação Beneficiente Hospital de Cirurgia, Hospital e Maternidade Santa Isabel e Sociedade Hospitalar São José.
Existem também outras parcerias locais, nacionais e internacionais. Localmente um exemplo é Legião Feminina de Educação e Combate ao Câncer; no nível nacional, existe um convênio com o Hospital Alemão Osvaldo Cruz em São Paulo e, internacionalmente, existem parcerias firmadas pelo Tiradentes Institute em Boston para a formação dos profissionais de medicina da Universidade Tiradentes com atividades em hospitais americanos.
Nas metodologias de ensino e aprendizagem o aluno vivenciará metodologias ativas, a exemplo do método PBL (que significa o aprendizado baseado em problemas), ele vivenciará a aprendizagem baseada na comunidade, aprendizagem colaborativa, problematização das habilidades profissionais, etc, reforçando a integração da teoria com a prática, com atividades na comunidade desde o início do curso para desenvolvimento de habilidades clínicas, ambulatoriais e internato.
As atividades acadêmicas da formação do médico na Universidade Tiradentes envolvem monitorias, pesquisa, extensão, internacionalização e agremiações estudantis.
O perfil docente é da mais alta competência, formação e experiência, visando propiciar o maior repasse possível de conhecimentos, experiências e orientação.
Pelo apresentado, neste exemplo prático da formação em Medicina em uma das duas Universidades Sergipanas, observa-se que a busca pelo cumprimento do desafio de formar profissionais em nível de excelência é constante e busca-se está em sintonia com o que é preconizado com o Conselho de Classe da Profissão, neste quesito a Universidade Tiradentes tem buscado estreitar o relacionamento institucional com o Conselho Regional de Medicina de Sergipe, através do seu Presidente Jilvan P. Monteiro e demais membros da Diretoria, no sentido de buscar a sintonia com a melhor formação possível para o futuro médico e futura médica, destacando-se a valorização deste profissional de acordo com os preceitos do código de Ética Médica vigente.

Segundo informações do Conselho  Federal de Medicina (CFM), o Brasil  possui mais de 500 mil médicos em atividades no Brasil. São 557.032 médicos, sendo 509.648 com inscrições principais, 47.252 inscrições secundárias e 132 estudantes estrangeiros.
Em Sergipe, conforme os dados do Conselho Federal de Medicina temos 4.810 médicos ativos. São 2.548 (52,9%) médicos e 2.262 (47,1%) médicas que atuam em Sergipe, Destaco que apenas 6,8% dos médicos são do interior, são 331 médicos no interior, 4.062 médicos na capital, 385 de outros estados e 32 em processo de atualização do registro.
Sergipe tem 1 médico para cada 482 habitantes, dessa forma, o estado tem uma média de médico/população maior que a da Região Nordeste, cuja média é de 1,69 médico para cada 1.0000 habitantes, em Sergipe temos 2,07 médicos para cada 1.000 habitantes. Estes dados revelam que ainda existe muito espaço para a atuação do médico no Estado de Sergipe, o que reforça o grande desafio e responsabilidade na formação de referido profissional tão importante para a nossa sociedade.
Em Sergipe duas Universidades oferecem o curso de Medicina, a Universidade Federal de Sergipe, no Campus de São Cristóvão e no Campus de Lagarto e, a Universidade Tiradentes, no Campus da Farolândia em Aracaju e no Campus de Estância.
Irei abordar neste artigo as premissas de formação do profissional de Medicina na Universidade Tiradentes.  
Destaco que o fato de uma instituição de ensino superior privada inserir-se na opção de oferta da formação de medicina tem a lógica de contribuir para a melhoria dos patamares de saúde do nosso país. A primeira turma de Medicina da Universidade Tiradentes colou grau no 2º semestre de 2015, ou seja, são 5 (cinco) anos contribuindo para a inserção de médicos em Sergipe, no Brasil e no Mundo.
Na formação do Médico na Universidade Tiradentes, trabalha-se com três pontos essenciais que é a atenção à saúde (considerando-se as dimensões da diversidade biológica e de todos os aspectos que fazem parte da diversidade humana), a gestão em saúde (preparando o profissional para ser capaz de compreender os princípios, diretrizes e políticas do sistema de saúde e participar de ações de gerenciamento e administração para promover o bem estar da comunidade) e a educação em saúde (para que seja possível ter um profissional que seja co-responsável pela própria formação inicial continuada em serviço).
Nos eixos estruturantes da formação do Médico na Universidade Tiradentes, trabalha-se para que ele possa ser um profissional com uma formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, com capacidade de atuar pautado em princípios éticos, no processo de saúde/doença, em seus diferentes níveis de atenção, com ações de promoção, prevenção, recuperação e reabilitação à saúde, na perspectiva da integralidade da assistência.
O médico formado em medicina na Universidade Tiradentes será um profissional apto a tratar o que é mais frequente na realidade epidemiológica do Estado de Sergipe, da Região do Nordeste, do Brasil e do Mundo, pois ele tem uma formação voltada para o Sistema Único de Saúde - SUS. Neste quesito, o curso de medicina está articulado com o SUS através de parcerias firmadas por acordo de cooperação com a Secretaria Municipal de Aracaju e outros municípios sergipanos, bem como com a Secretaria de Estado da Saúde de Sergipe e com hospitais conveniados com o SUS.
No quesito das Secretarias Municipais de Saúde da capital e do interior, trabalha-se com a rede de atenção primária, a rede de atenção especializada, a rede de atenção psicossocial, a rede de urgência e emergência e a rede hospitalar. Com a Secretaria de Estado da Saúde trabalha-se com o Hospital de Urgência de Sergipe e com a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, além disso, trabalha-se também com alguns hospitais conveniados com o SUS, a exemplo da Fundação Beneficiente Hospital de Cirurgia, Hospital e Maternidade Santa Isabel e Sociedade Hospitalar São José.
Existem também outras parcerias locais, nacionais e internacionais. Localmente um exemplo é Legião Feminina de Educação e Combate ao Câncer; no nível nacional, existe um convênio com o Hospital Alemão Osvaldo Cruz em São Paulo e, internacionalmente, existem parcerias firmadas pelo Tiradentes Institute em Boston para a formação dos profissionais de medicina da Universidade Tiradentes com atividades em hospitais americanos.
Nas metodologias de ensino e aprendizagem o aluno vivenciará metodologias ativas, a exemplo do método PBL (que significa o aprendizado baseado em problemas), ele vivenciará a aprendizagem baseada na comunidade, aprendizagem colaborativa, problematização das habilidades profissionais, etc, reforçando a integração da teoria com a prática, com atividades na comunidade desde o início do curso para desenvolvimento de habilidades clínicas, ambulatoriais e internato.
As atividades acadêmicas da formação do médico na Universidade Tiradentes envolvem monitorias, pesquisa, extensão, internacionalização e agremiações estudantis.
O perfil docente é da mais alta competência, formação e experiência, visando propiciar o maior repasse possível de conhecimentos, experiências e orientação.
Pelo apresentado, neste exemplo prático da formação em Medicina em uma das duas Universidades Sergipanas, observa-se que a busca pelo cumprimento do desafio de formar profissionais em nível de excelência é constante e busca-se está em sintonia com o que é preconizado com o Conselho de Classe da Profissão, neste quesito a Universidade Tiradentes tem buscado estreitar o relacionamento institucional com o Conselho Regional de Medicina de Sergipe, através do seu Presidente Jilvan P. Monteiro e demais membros da Diretoria, no sentido de buscar a sintonia com a melhor formação possível para o futuro médico e futura médica, destacando-se a valorização deste profissional de acordo com os preceitos do código de Ética Médica vigente.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS