Auxílio será de R$ 250 por quatro meses

Geral


  • O jornalista Zenóbio Melo morreu ontem em Teresina/PI

 

O presidente da Câmara dos Depu-
tados, Arthur Lira (PP-AL), anunciou 
nesta segunda-feira (1º)  que, na reunião com o presidente Jair Bolsonaro, ficou acertado o valor de R$ 250 para uma nova rodada do auxílio emergencial pelo período de quatro meses, de março a junho. Segundo Lira, durante esse período, o Parlamento vai buscar aprovar um novo programa social que seja permanente. O projeto deve ser votado esta semana na Câmara e no Senado.
Lira também afirmou que o governo se comprometeu a entregar 140 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 até maio. Lira fez a afirmação no programa Fala Brasil, da TV Record. Segundo ele, o tema foi tratado em reunião neste domingo no Palácio da Alvorada com o presidente da República, Jair Bolsonaro.
Lira destacou que foi estabelecido um calendário bastante otimista em relação à imunização dos brasileiros . "Se as perspectivas correm bem, com importação de insumos e fabricação [dos imunizantes] podemos ter 140 milhões de vacinas para março, abril e maio. Estamos trabalhando para isso, é a única saída que nós temos para garantir a saúde da população e a manutenção da economia", afirmou Lira.
Na entrevista, Lira negou que a chamada Proposta de Emenda à Constituição (PEC) das Prerrogativas (PEC 3/21) seja uma forma de blindar o Parlamento. Segundo ele, o objetivo é garantir ao Judiciário um regramento claro para poder agir e garantir a imunidade de voz e voto do parlamentar. O presidente da Câmara voltou a afirmar que a proposta não representa imunidade absoluta e destacou que o deputado Daniel Silveira foi preso por extrapolar preceitos constitucionais.
"A PEC foi tratada, a meu ver, de maneira injusta, tem que se preocupar como ela sai e não como ela chega, e nós votamos apenas a admissibilidade. Vamos votar de maneira transparente para não ficar dúvidas para população de que se trata de imunidade de voz e voto", disse Lira.
Lira também reafirmou que espera votar a reforma administrativa no Plenário da Câmara em até dois meses, e a tributária, em até oito. Em relação às privatizações, Lira destacou que nesta semana irá indicar um relator para a matéria. Estão tramitando na Câmara duas proposições que autorizam o governo a privatizar a Eletrobras e os Correios.
Arthur Lira afirmou que ainda não teve tempo de se debruçar sobre os mais de 60 pedidos de impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Ele disse que é um tema que deve ser tratado com responsabilidade e seriedade. Lira voltou a afirmar que é contrário a uma Comissão Parlamentar de Inquérito neste momento para apurar eventuais responsabilidades na condução do combate à pandemia. Mas não descartou uma investigação no futuro.
"O momento agora é que nós todos possamos debater ações conjuntas, a classe politica e a população, para trazer vacinas, mais leitos e saídas emergenciais com reformas. Depois disso, a gente vai ter oportunidade de fazer essa ou aquela CPI para investigar e punir eventuais erros", destacou.

O presidente da Câmara dos Depu- tados, Arthur Lira (PP-AL), anunciou  nesta segunda-feira (1º)  que, na reunião com o presidente Jair Bolsonaro, ficou acertado o valor de R$ 250 para uma nova rodada do auxílio emergencial pelo período de quatro meses, de março a junho. Segundo Lira, durante esse período, o Parlamento vai buscar aprovar um novo programa social que seja permanente. O projeto deve ser votado esta semana na Câmara e no Senado.
Lira também afirmou que o governo se comprometeu a entregar 140 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 até maio. Lira fez a afirmação no programa Fala Brasil, da TV Record. Segundo ele, o tema foi tratado em reunião neste domingo no Palácio da Alvorada com o presidente da República, Jair Bolsonaro.
Lira destacou que foi estabelecido um calendário bastante otimista em relação à imunização dos brasileiros . "Se as perspectivas correm bem, com importação de insumos e fabricação [dos imunizantes] podemos ter 140 milhões de vacinas para março, abril e maio. Estamos trabalhando para isso, é a única saída que nós temos para garantir a saúde da população e a manutenção da economia", afirmou Lira.
Na entrevista, Lira negou que a chamada Proposta de Emenda à Constituição (PEC) das Prerrogativas (PEC 3/21) seja uma forma de blindar o Parlamento. Segundo ele, o objetivo é garantir ao Judiciário um regramento claro para poder agir e garantir a imunidade de voz e voto do parlamentar. O presidente da Câmara voltou a afirmar que a proposta não representa imunidade absoluta e destacou que o deputado Daniel Silveira foi preso por extrapolar preceitos constitucionais.
"A PEC foi tratada, a meu ver, de maneira injusta, tem que se preocupar como ela sai e não como ela chega, e nós votamos apenas a admissibilidade. Vamos votar de maneira transparente para não ficar dúvidas para população de que se trata de imunidade de voz e voto", disse Lira.
Lira também reafirmou que espera votar a reforma administrativa no Plenário da Câmara em até dois meses, e a tributária, em até oito. Em relação às privatizações, Lira destacou que nesta semana irá indicar um relator para a matéria. Estão tramitando na Câmara duas proposições que autorizam o governo a privatizar a Eletrobras e os Correios.
Arthur Lira afirmou que ainda não teve tempo de se debruçar sobre os mais de 60 pedidos de impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Ele disse que é um tema que deve ser tratado com responsabilidade e seriedade. Lira voltou a afirmar que é contrário a uma Comissão Parlamentar de Inquérito neste momento para apurar eventuais responsabilidades na condução do combate à pandemia. Mas não descartou uma investigação no futuro.
"O momento agora é que nós todos possamos debater ações conjuntas, a classe politica e a população, para trazer vacinas, mais leitos e saídas emergenciais com reformas. Depois disso, a gente vai ter oportunidade de fazer essa ou aquela CPI para investigar e punir eventuais erros", destacou.

Contestam

Governadores de 16 estados assinaram uma carta contestando o presidente  Jair Bolsonaro com relação a uma postagem na qual listou valores que o governo federal teria repassado em 2020 a cada estado. Segundo o documento, os recursos repassados para a área de Saúde são minoritários dentro do montante publicado. O governador Belivaldo Chagas foi um dos signatários.

Ínfimos

Ressalta a carta que os recursos efetivamente repassados para a área de Saúde correspondem a uma "parcela absolutamente minoritária dentro do montante publicado" e os instrumentos de auditoria de repasses federais estão em vigor. "A estrutura de fiscalização do Governo Federal e do Tribunal de Contas da União tem por dever assegurar aos brasileiros que a finalidade de tais recursos seja obedecida por cada governante local", afirma.

Repasses

De acordo com os governadores, os dados são distorcidos porque englobam repasses obrigatórios pela Constituição Federal, que estão previstos pelo pacto federativo. "Situação absurda similar seria se cada governador publicasse valores de ICMS e IPVA pertencentes a cada cidade, tratando-os como uma aplicação de recursos nos Municípios a critério de decisão individual", enfatiza a carta.

Sergipe

De acordo com informações do presidente Bolsonaro, o Governo de Sergipe teria recebido em 2020, para a Covid-19 a importância de R$ 12,9 bilhões e R$ 3,85 bilhões de auxílio emergencial. O governador não especificou quanto efetivamente o estado recebeu de repasses voluntários do governo federal.

Codevasf

Marcos Alves Filho, sobrinho do ex-governador João Alves Filho, assume amanha (3) a superintendência da Companhia do Vale do São Francisco (Codevasf) em substituição a Cesar Mandarino. A indicação é da senadora Maria do Carmo Alves (DEM), viúva do ex-governador. A Codevasf dispõe de recursos de emendas parlamentares e executa muitas obras no estado.

Vacinas

O Governo de Sergipe encaminhou, nesta segunda-feira, as 25.500 doses das vacinas Coronavac e da Astrazeneca contra a Covid-19 aos 75 municípios sergipanos. As vacinas chegaram ao estado na quarta e quinta e ficaram esses dias guardas na Secretaria da Saúde. As vacinas foram encaminhadas para as regionais de saúde em Aracaju, Nossa Senhora do Socorro, Itabaiana, Lagarto, Estância, Nossa Senhora da Glória e Propriá. Hoje começa a imunização de idosos com idades entre 85 e 89 anos.

Lentidão

Em nota divulgada na noite de domingo, o Sindicato dos Médicos do Estado de Sergipe alerta mais uma vez à população Sergipana sobre a lentidão, morosidade e letargia da vacinação em nosso Estado.  "Vimos com alegria ontem (27), em todo o Brasil inúmeras cidades vacinando com várias estratégias de campanha, usando estádios de futebol , ginásios , drive-thru, escolas, unidades básicas de saúde , estacionamentos de shoppings e Universidades, e funcionando em horários ampliados para atingir o maior número de pessoas. Porém, ficamos perplexos, que em 27/02/2021,  em nossa capital,  não havia sequer um ponto de vacinação", diz um trecho do documento".

Ampliação 

"Diante desta apatia, sabendo do aumento do número de casos graves em nosso Estado e que cada dia e cada pessoa vacinada é importante no combate à pandemia, podendo significar menos pessoas com evolução grave da doença e óbitos; solicitamos de forma veemente ao Governador e ao Prefeito da nossa Capital, que ampliem o número de postos de vacinação , ampliem o número de equipes vacinação , ampliem o horário de vacinação, usando estratégias bem sucedidas em nosso país. Não queremos festas em parques, mas sim que a população seja vacinada o mais rápido possível", entende o Sindicato dos Médicos. 

Ação judicial

O sindicato informa que encaminhará aos ministérios públicos, preocupação e sugestões. "Concomitantemente entraremos com uma ação judicial pedindo que os nossos governantes mudem suas estratégias de vacinação em nosso Estado, com possível responsabilidade sobre casos de grupos de pessoas que por ventura não foram vacinados por falta desta celeridade , como idosos e profissionais de saúde , caso desenvolvam formas graves da doença ou até óbito", alerta o sindicato.

Polícia Federal

O senador Rogério Carvalho (PT/SE) apresentou ontem (1), um requerimento de informação no Senado Federal onde pede explicações ao diretor-chefe da PF sobre a situação que envolve a delegada Erika Marena. "A Polícia Federal tem sido protagonista em diversas ações que mexem com a estrutura institucional do Brasil. E sempre teve autonomia para isso! Agora, na possibilidade de perversão da estrutura policial para outros fins, de interesse político e pessoal, a situação precisa de esclarecimento", pontuou o senador.

Depoimento

Nos diálogos, os procuradores da Lava Jato revelam que Erika praticou uma falsificação. Pensando atender a pedidos dos procuradores, Erika criou um falso termo de depoimento, simulando ter ouvido a testemunha com escrivão e tudo, "quando não ouviu nada". A constatação consta de diálogo mantido entre os procuradores Deltan Dallagnol e Orlando Martello Júnior em janeiro de 2016. Nele, eles relatam o que contou a delegada da Polícia Federal. "Como expõe a Erika: ela entendeu que era pedido nosso e lavrou termo de depoimento como se tivesse ouvido o cara, com escrivão e tudo, quando não ouviu nada", disse Deltan.

Equipamentos

Na manhã desta segunda-feira (1), o senador Alessandro Vieira fez a entrega oficial de três tratores e insumos agrícolas (niveladora, plantadeira, grade aradora e reboque pipa) às Associações de Poço Verde, Carira e Porto da Folha, regiões fundamentais para o desenvolvimento da agricultura sergipana. O investimento de aproximadamente de R$ 600 mil é fruto de emendas de bancada do senador Alessandro Vieira. A entrega do maquinário foi realizada na sede do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas - Coordenadoria Estadual em Sergipe (DNOCS), e contou com a presença dos deputados estaduais Kitty Lima, Georgeo Passos e Samuel Carvalho.

Censo 2021

A realização do Censo Demográfico 2021, na capital sergipana, contará com apoio logístico e estratégico da Prefeitura de Aracaju, após parceria firmada com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Realizado a cada dez anos, o Censo é a principal fonte de referência para o conhecimento das condições de vida da população em todos os municípios do país. Em Aracaju, 560 recenseadores trabalharão na coleta de informações, entre os meses de agosto e outubro deste ano. Para contratar esses profissionais, o IBGE publicou dois editais para Agente Censitário Supervisor (ACS), Agente Censitário Municipal (ACS) e recenseadores. As inscrições seguem abertas até os dias 15 de março e 19, respectivamente, no site https://censo2021.ibge.gov.br.

Zenóbio Melo

O radialista e jornalista Zenóbio Melo morreu, nesta segunda-feira (1), num hospital de Teresina (PI) onde estava internado tratando de um câncer. O corpo foi sepultado no Cemitério Max Simeão, na capital piauiense. Zenóbio morou em Aracaju de 1980 até o ano passado, quando retornou ao seu estado natal. Segundo Liduina Melo, irmã de Zenóbio, ele só soube do câncer há cerca de um mês. O quadro foi se agravando até que o levou a óbito na manhã desta segunda-feira. Zenóbio era divorciado e tinha dois filhos, que residem em Aracaju.

Com agências

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS