Campanha solidária arrecada 1,5 tonelada de alimentos em três dias

Geral


  • Arrecadação de alimentos durante a campanha Vacina Solidária

 

Em apenas três dias da "Vacinação Solidária", campanha de arrecadação de alimentos criada pela Prefeitura de Aracaju, a soma da dose de esperança e solidariedade já ultrapassa 1,5 tonelada de alimentos não perecíveis, os quais serão entregues às famílias em situação de pobreza e extrema pobreza da capital sergipana.
A administração municipal pôs em prática uma série de ações para minimizar os danos e suprir as necessidades básicas dos aracajuanos que vivem em situação de vulnerabilidade social, a exemplo desta ação, iniciada na segunda-feira (5).
De acordo com a secretária da Assistência Social de Aracaju, Simone Passos, a "Vacinação Solidária" é a segunda campanha lançada pela atual gestão durante a pandemia. A primeira, realizada em março do ano passado, também obteve grande adesão.
"Após reunião do Comitê de Operação de Emergência, o COE, pensamos em ações estratégicas emergenciais para atender às demandas espontâneas. Na primeira campanha, conseguimos beneficiar cerca de 2,7 mil famílias aracajuanas de baixa renda, entre pessoas que não receberam o Auxílio Emergencial do Governo Federal, comunidades de religiões de matrizes africanas, população LGBTQIA+, além de pessoas com deficiência e as que corresponderam aos critérios estabelecidos. Obtivemos um resultado muito satisfatório com a soma de esforços da sociedade e de muitos empresários", ressaltou.
A secretária também conta que a campanha é mais uma ação complementar às ações que já são realizadas nos Centros de Referência da Assistência Social (Cras) da capital com recursos próprios do Município.
 "Com a segunda onda da covid-19 e a suspensão temporária do Auxílio Emergencial, novas famílias passaram a solicitar cestas básicas, aumentando a demanda, expressivamente. Das 600 unidades de cestas básicas concedidas mensalmente às famílias de baixa renda assistidas pelos nossos Cras, o número ampliou para 1.200. São novas medidas que potencializam as ações já realizadas regularmente nos Cras com a entrega de cestas básicas", frisou.
Onde doar - O ato não é obrigatório. A ideia é que no momento da vacinação, as pessoas, que puderem, façam suas doações, além de motivarem os outros a fazerem o mesmo.
Podem ser doados alimentos não perecíveis nos seguintes pontos arrecadação: no drive-thru para àqueles que recebem as doses da vacina contra a covid-19, montado no Parque Augusto Franco, conhecido como Sementeira, de segunda a domingo, de 8h às 17h, com funcionamento no horário do almoço; no prédio da Estação Cidadania, situado na rua Pacatuba, 64, Centro, de segunda à sexta-feira, de 9h às 15h; e nas 32 Unidades Básicas de Saúde (UBS) com vacinação autorizada, de segunda à sexta-feira, de 8h às 16h.

Em apenas três dias da "Vacinação Solidária", campanha de arrecadação de alimentos criada pela Prefeitura de Aracaju, a soma da dose de esperança e solidariedade já ultrapassa 1,5 tonelada de alimentos não perecíveis, os quais serão entregues às famílias em situação de pobreza e extrema pobreza da capital sergipana.
A administração municipal pôs em prática uma série de ações para minimizar os danos e suprir as necessidades básicas dos aracajuanos que vivem em situação de vulnerabilidade social, a exemplo desta ação, iniciada na segunda-feira (5).
De acordo com a secretária da Assistência Social de Aracaju, Simone Passos, a "Vacinação Solidária" é a segunda campanha lançada pela atual gestão durante a pandemia. A primeira, realizada em março do ano passado, também obteve grande adesão.
"Após reunião do Comitê de Operação de Emergência, o COE, pensamos em ações estratégicas emergenciais para atender às demandas espontâneas. Na primeira campanha, conseguimos beneficiar cerca de 2,7 mil famílias aracajuanas de baixa renda, entre pessoas que não receberam o Auxílio Emergencial do Governo Federal, comunidades de religiões de matrizes africanas, população LGBTQIA+, além de pessoas com deficiência e as que corresponderam aos critérios estabelecidos. Obtivemos um resultado muito satisfatório com a soma de esforços da sociedade e de muitos empresários", ressaltou.
A secretária também conta que a campanha é mais uma ação complementar às ações que já são realizadas nos Centros de Referência da Assistência Social (Cras) da capital com recursos próprios do Município.
 "Com a segunda onda da covid-19 e a suspensão temporária do Auxílio Emergencial, novas famílias passaram a solicitar cestas básicas, aumentando a demanda, expressivamente. Das 600 unidades de cestas básicas concedidas mensalmente às famílias de baixa renda assistidas pelos nossos Cras, o número ampliou para 1.200. São novas medidas que potencializam as ações já realizadas regularmente nos Cras com a entrega de cestas básicas", frisou.

Onde doar - O ato não é obrigatório. A ideia é que no momento da vacinação, as pessoas, que puderem, façam suas doações, além de motivarem os outros a fazerem o mesmo.
Podem ser doados alimentos não perecíveis nos seguintes pontos arrecadação: no drive-thru para àqueles que recebem as doses da vacina contra a covid-19, montado no Parque Augusto Franco, conhecido como Sementeira, de segunda a domingo, de 8h às 17h, com funcionamento no horário do almoço; no prédio da Estação Cidadania, situado na rua Pacatuba, 64, Centro, de segunda à sexta-feira, de 9h às 15h; e nas 32 Unidades Básicas de Saúde (UBS) com vacinação autorizada, de segunda à sexta-feira, de 8h às 16h.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS