Movimento sindical cobra pressa em vacinação

Cidades

 

Milton Alves Júnior
No momento em que 
se comemorava o Dia 
Mundial da Saúde, centrais sindicais e entidades filiadas se reuniram na manhã de ontem na praça General Valadão, região central de Aracaju, para pedir ao Governo de Sergipe maior intensidade no processo de compra e fornecimento da vacina contra a covid-19. Coordenado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), a meta da mobilização unificada era pressionar a administração estadual para conceder com maior brevidade doses para profissionais que operam diariamente o sistema de transporte coletivo na região metropolitana de Aracaju. Para o presidente da CUT/Sergipe, professor Roberto Silva, é preciso multiplicar as atenções para as categorias de profissionais que não suspenderam as respectivas atividades desde o início da pandemia. 
 "A nossa luta diária é para que os administradores públicos de todas as esferas não poupem esforços para promover a aquisição de novas doses seja lá qual for a indústria científica que produza vacina contra a covid-19. Precisamos imunizar o maior número de pessoas possível; os trabalhadores precisam manter seus empregos, fortalecer a economia de forma geral, mas para isso acontecer, todos precisam cuidar da sua saúde, e, para isso acontecer, a vacina é essencial. Existem prioridades, como é o caso dos motoristas e cobradores de ônibus, mas é preciso destacar que essa nossa luta é que haja imediatamente vacina para todos", destacou. 
Ainda durante a mobilização promovida na praça General Valadão, os manifestantes cravaram dezenas de cruzes na grama como forma de representar as mais de 340 mil mortes provocadas pela covid somente no Brasil. Também foram instaladas faixas, bandeiras e miniaturas de ônibus sinalizando a situação grave que o país e o estado vem passando. No dia de ontem também foi comemorado o Dia do Jornalista. Conforme avaliado por Roberto Silva: "se trata de outra categoria que não parou suas atividades em momento algum nesses meses de muita angústia. Nos mantemos informados em tempo integral devido ao trabalho intenso desses trabalhadores que também necessitam receber atenção. Para imunizar a todos só tem uma saúda: receber e comparar mais vacinas. O cidadão trabalhador necessita urgentemente." 

Milton Alves Júnior

No momento em que  se comemorava o Dia  Mundial da Saúde, centrais sindicais e entidades filiadas se reuniram na manhã de ontem na praça General Valadão, região central de Aracaju, para pedir ao Governo de Sergipe maior intensidade no processo de compra e fornecimento da vacina contra a covid-19. Coordenado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), a meta da mobilização unificada era pressionar a administração estadual para conceder com maior brevidade doses para profissionais que operam diariamente o sistema de transporte coletivo na região metropolitana de Aracaju. Para o presidente da CUT/Sergipe, professor Roberto Silva, é preciso multiplicar as atenções para as categorias de profissionais que não suspenderam as respectivas atividades desde o início da pandemia. 
 "A nossa luta diária é para que os administradores públicos de todas as esferas não poupem esforços para promover a aquisição de novas doses seja lá qual for a indústria científica que produza vacina contra a covid-19. Precisamos imunizar o maior número de pessoas possível; os trabalhadores precisam manter seus empregos, fortalecer a economia de forma geral, mas para isso acontecer, todos precisam cuidar da sua saúde, e, para isso acontecer, a vacina é essencial. Existem prioridades, como é o caso dos motoristas e cobradores de ônibus, mas é preciso destacar que essa nossa luta é que haja imediatamente vacina para todos", destacou. 
Ainda durante a mobilização promovida na praça General Valadão, os manifestantes cravaram dezenas de cruzes na grama como forma de representar as mais de 340 mil mortes provocadas pela covid somente no Brasil. Também foram instaladas faixas, bandeiras e miniaturas de ônibus sinalizando a situação grave que o país e o estado vem passando. No dia de ontem também foi comemorado o Dia do Jornalista. Conforme avaliado por Roberto Silva: "se trata de outra categoria que não parou suas atividades em momento algum nesses meses de muita angústia. Nos mantemos informados em tempo integral devido ao trabalho intenso desses trabalhadores que também necessitam receber atenção. Para imunizar a todos só tem uma saúda: receber e comparar mais vacinas. O cidadão trabalhador necessita urgentemente." 

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS