CPI da Covid-19 pode ser instalada na próxima semana

Geral


  • Com a pandemia, o Cariri, um dos mais tradicionais restaurantes da orla de Aracaju, deve fechar na terça-feira
O presidente do Senado, Rodrigo Pache
co, confirmou nesta quinta-feira (15) 
os nomes que vão compor a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, que vai investigar a condução do combate à pandemia pelo governo federal e o uso de verbas federais transferidas a estados e municípios.
A partir de agora, a comissão já pode ser instalada - na primeira reunião devem ser eleitos o presidente, o vice-presidente e o relator da CPI. O senador Otto Alencar, como membro mais idoso entre os titulares da comissão, vai comandar a instalação e a eleição, que acontecerão em encontro presencial. A data da instalação ainda não foi definida. Pacheco adiantou que está discutindo o assunto com a Secretaria-Geral da Mesa do Senado e que em breve levará as opções para os membros da comissão.
O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), autor do requerimento de criação da CPI (RQS 1.371/2021), defendeu que os trabalhos comecem já na próxima quinta-feira (22).
- Consultei boa parte dos membros da comissão. Eles estão prontos para virem a Brasília assim que forem chamados. A possibilidade de adiamento já foi vencida pelos fatos. Creio que todos têm essa convicção.
Em entrevista coletiva concedida nesta quinta, Randolfe avaliou que a CPI será uma "medida sanitária" contra a pandemia. Ele afirmou que, ao jogar luz sobre as políticas de saúde do país, a comissão poderá impedir o "aprofundamento do morticínio". O Brasil é o líder mundial de novas contaminações e mortes por covid-19.
Para o senador, a comissão não se converterá em meio de perseguição pessoal contra ninguém, e poderá oferecer subsídios para providências políticas e judiciais. Randolfe defendeu que as primeiras reuniões da comissão se concentrem em audiências com médicos e cientistas que possam explicar por que a situação do Brasil se agravou, e quais ações e omissões do poder público contribuíram para isso."Estamos em um atoleiro sanitário porque não foi ouvida a ciência".
A partir daí, disse ele, será possível decidir quais autoridades serão chamadas para prestar depoimento e dar explicações. Ele antecipou que será "inevitável" a presença dos ex-ministros da Saúde Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich e Eduardo Pazuello. Também defendeu a inquirição de autoridades do estado do Amazonas, cuja situação, no início do ano, motivou a busca de assinaturas pela CPI.
Os membros titulares da CPI da Covid são: Eduardo Braga (MDB-AM),  Renan Calheiros (MDB-AL), Ciro Nogueira (PP-PI), Omar Aziz (PSD-AM), Otto Alencar (PSD-BA), Tasso Jereissati (PSDB-CE), Eduardo Girão (Podemos-CE), Marcos Rogério (DEM-RO), Jorginho Mello (PL-SC), Humberto Costa (PT-PE) e  Randolfe Rodrigues (Rede-AP).
Dois senadores sergipanos estão os suplentes: Jader Barbalho (MDB-PA), Luis Carlos Heinze (PP-RS), Angelo Coronel (PSD-BA), Marcos do Val (Podemos-ES), Zequinha Marinho (PSC-PA), Rogério Carvalho (PT-SE) e Alessandro Vieira (Cidadania-SE).

O presidente do Senado, Rodrigo Pache co, confirmou nesta quinta-feira (15)  os nomes que vão compor a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, que vai investigar a condução do combate à pandemia pelo governo federal e o uso de verbas federais transferidas a estados e municípios.
A partir de agora, a comissão já pode ser instalada - na primeira reunião devem ser eleitos o presidente, o vice-presidente e o relator da CPI. O senador Otto Alencar, como membro mais idoso entre os titulares da comissão, vai comandar a instalação e a eleição, que acontecerão em encontro presencial. A data da instalação ainda não foi definida. Pacheco adiantou que está discutindo o assunto com a Secretaria-Geral da Mesa do Senado e que em breve levará as opções para os membros da comissão.
O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), autor do requerimento de criação da CPI (RQS 1.371/2021), defendeu que os trabalhos comecem já na próxima quinta-feira (22).
- Consultei boa parte dos membros da comissão. Eles estão prontos para virem a Brasília assim que forem chamados. A possibilidade de adiamento já foi vencida pelos fatos. Creio que todos têm essa convicção.
Em entrevista coletiva concedida nesta quinta, Randolfe avaliou que a CPI será uma "medida sanitária" contra a pandemia. Ele afirmou que, ao jogar luz sobre as políticas de saúde do país, a comissão poderá impedir o "aprofundamento do morticínio". O Brasil é o líder mundial de novas contaminações e mortes por covid-19.
Para o senador, a comissão não se converterá em meio de perseguição pessoal contra ninguém, e poderá oferecer subsídios para providências políticas e judiciais. Randolfe defendeu que as primeiras reuniões da comissão se concentrem em audiências com médicos e cientistas que possam explicar por que a situação do Brasil se agravou, e quais ações e omissões do poder público contribuíram para isso."Estamos em um atoleiro sanitário porque não foi ouvida a ciência".
A partir daí, disse ele, será possível decidir quais autoridades serão chamadas para prestar depoimento e dar explicações. Ele antecipou que será "inevitável" a presença dos ex-ministros da Saúde Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich e Eduardo Pazuello. Também defendeu a inquirição de autoridades do estado do Amazonas, cuja situação, no início do ano, motivou a busca de assinaturas pela CPI.
Os membros titulares da CPI da Covid são: Eduardo Braga (MDB-AM),  Renan Calheiros (MDB-AL), Ciro Nogueira (PP-PI), Omar Aziz (PSD-AM), Otto Alencar (PSD-BA), Tasso Jereissati (PSDB-CE), Eduardo Girão (Podemos-CE), Marcos Rogério (DEM-RO), Jorginho Mello (PL-SC), Humberto Costa (PT-PE) e  Randolfe Rodrigues (Rede-AP).
Dois senadores sergipanos estão os suplentes: Jader Barbalho (MDB-PA), Luis Carlos Heinze (PP-RS), Angelo Coronel (PSD-BA), Marcos do Val (Podemos-ES), Zequinha Marinho (PSC-PA), Rogério Carvalho (PT-SE) e Alessandro Vieira (Cidadania-SE).

Transportes

O governador Belivaldo Chagas explicou que a redução do toque de recolher foi uma medida adotada para reduzir a lotação no transporte coletivo. "Ainda diante da grande ocupação de leitos na rede pública e particular de Saúde e da estabilização de casos e óbitos num patamar muito alto, o Comitê Técnico Científico e de Atividades Especiais (CTCAE) decidiu por manter as medidas restritivas em vigor até o próximo dia 22 de abril. A única alteração se dá no toque de recolher diário, que sai das 20h para as 22h, de modo a desafogar o horário de pico no transporte público para os trabalhadores", justificou. No Diário Oficial de hoje (16) será publicado também um resumo com o funcionamento atual de todas as atividades e setores - essenciais,  não essenciais e especiais -, para esclarecer quaisquer dúvidas.

Novas cepas

O governador transfere a responsabilidade pela pandemia para a população: "Infelizmente, as novas cepas do novo coronavírus, que está atingindo populações mais jovens que permanecem mais tempo internados, e a baixa conscientização das pessoas, que insistem em não seguir os protocolos sanitários, não permitem que possamos flexibilizar as medidas, especialmente aos finais de semana. O Governo do Estado vai continuar fiscalizando, trabalhando pela ampliação de leitos, acompanhando diariamente a evolução dos casos e buscando vacinas, mas o momento é crítico e a população também precisa fazer a sua parte".

Restaurantes

O setor de bares e restaurantes foi um dos mais atingidos no Brasil desde o início da pandemia. Em Sergipe não foi diferente. Alguns empresários da área anunciaram o encerramento das atividades e outros ameaçam fechar as portas caso a situação continue com restrições severas. Depois do Coco de Sergipe, mais um tradicional restaurante da orla de Atalaia anunciou fechamento: Hamilton Santana, do Cariri, fechará as portas de seu bar e restaurante no próximo dia 20, terça-feira.

Angústia

Residente em Sergipe desde 2017, o ex-jogador Washington, proprietário de uma churrascaria no Jardins, lamentou o fechamento recente de alguns bares e restaurantes na capital. "Vi uma entrevista do Hamilton do Cariri e fiquei emocionado quando ele diz que poderá fechar a casa após 21 anos de serviço. Se está ruim para ele, imagina para os pequenos empresários, donos de bares mais simples e lanchonetes. É uma situação angustiante", acrescentou.

Auxílio

Para Washington, o governo estadual precisa dar auxílio aos empregados e fornecer linhas de crédito aos empresários, bem como suspender a cobrança de impostos e outros tributos. "Entendemos o momento e lamentamos as milhares de mortes em todo o país, contudo se continuarmos fechados  à noite e nos fins de semana o governo terá que ajudar urgentemente toda a categoria. E eu não falo de ajudar ao dono não, me refiro aos garçons, cozinheiras, pessoal de limpeza e toda equipe. É preciso que as autoridades encontrem uma solução de imediato", desabafa o empresário.

Em recuperação

A família do ex-deputado federal Sérgio Reis informa que depois de dois dias de observação médica no Hospital Primavera ele teve uma melhora significativa em seu quadro de saúde.  Sérgio já respira sem ajuda de oxigenação e entre quarta e quinta realizou exames  laboratoriais, radiografia e tomografia. Segundo o boletim, o quadro de saúde do ex-deputado requer cuidado e atenção, mas a melhora do seu estado de saúde é bastante significativa.

Bem avaliado

Enquanto os petistas de Sergipe são críticos a Edvaldo Nogueira, no âmbito nacional, a avaliação sobre o prefeito de Aracaju é das melhores. Ontem, durante a posse do prefeito da capital na presidência da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), o prefeito de Araraquara (SP), Edinho Silva, do PT, rasgou elogios a Edvaldo. Segundo Edinho, Edvaldo é "um quadro de primeira grandeza no nosso país" e um "prefeito excepcional". Para o prefeito de Araraquara, "a liderança política e capacidade de Edvaldo serão muito importantes na condução da Frente Nacional de Prefeitos para lidar com os desafios imensos impostos pela maior tragédia humanitária da história".

Covas

E a boa avaliação de Edvaldo vai de petistas a tucanos. Bruno Covas, prefeito de São Paulo, liderança histórica do PSDB, se disse "honrado em fazer parte de uma chapa ao lado de Edvaldo". Ele será o primeiro vice-presidente da FNP. "Edvaldo nos representa, representa os prefeitos e prefeitas do Brasil, e terá a responsabilidade de conduzir pautas importantes, não apenas relacionadas à pandemia, que está à nossa porta, mas outras questões que nos darão condições de fazer melhor pela população brasileira".

Serviços

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, revelou que, em fevereiro deste ano, o setor de serviços em Sergipe apresentou crescimento de 1,4% no volume de serviços prestados, em relação ao último mês de janeiro, na série com ajuste sazonal (método utilizado para uniformizar os períodos de comparação). Na comparação com fevereiro do ano passado, o volume de serviços assinalou redução de 8,8%. 

Receita

A Pesquisa Mensal de Serviços - PMS tem como objetivo produzir indicadores que permitam o acompanhamento da evolução conjuntural do setor de serviços empresariais não-financeiros e de seus principais segmentos. A receita nominal dos serviços, no mês analisado, registrou aumento de 1,4% em relação ao mês anterior, janeiro último, na série ajustada. No comparativo com fevereiro do ano passado, assinalou queda de 6,6%.

Negacionista

Do senador Rogério Carvalho, suplente do PT na CPI da Covid-19: "Agora se sabe que a ação de Bolsonaro não foi apenas negacionista, mas sim intencional. Na teoria dele, quanto mais rápido as pessoas se contaminarem, mais rápido sairíamos da crise sanitária, morra quantos fossem necessários. Tese errada e já comprovada uma vez que uma mesma pessoa pode se contaminar mais de uma vez. O pior é que ele ainda não abandonou essa tese, mesmo sabendo que quanto mais contaminados, mais mortes".

Sem médicos

O deputado estadual Iran Barbosa (PT) denunciou a falta de plantonistas obstetras no Centro Obstétrico Doutora Leonor Barreto Franco, no município de Capela. "É um problema muito sério que se arrasta desde 2017 sem solução. Temos ouvido as reclamações da população de Capela e do Sindimed quanto a essa falta de plantonistas obstetras naquela maternidade. As pacientes são atendidas pelas equipes de enfermagem, mas ficam desassistidas quanto ao atendimento obstétrico por falta desses profissionais. Então, pela falta de possibilidade de atendimento, elas precisam ser encaminhadas a outras maternidades", afirmou Iran.

Transferidos

De acordo com o parlamentar, as denúncias apresentadas evidenciam que situação se agravou com a transferência feita pelo gestão estadual de vários neonatologistas para atuarem na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, em Aracaju. Iran destacou que o Sindimed aponta a necessidade de uma escala completa com 14 plantonistas. No entanto, atualmente, a escala médica que atende naquela unidade obstétrica conta apenas com quatro plantonistas.

Busca ativa

O vereador Sargento Byron (Republicanos) quer que a Prefeitura de Aracaju faça busca ativa aos cidadãos para recebem a segunda dose da vacina contra covid-19. "Estamos passando por um momento muito delicado. Os números de mortes não param de crescer. Milhões de brasileiros aguardam com muita angústia e medo que chegue logo o momento da vacinação. Em todo o país, pessoas recebem a primeira dose, mas não comparecem à segunda aplicação. O que está acontecendo? Essas pessoas precisam entender que a imunização só ocorre após as duas vacinas serem aplicadas, pelo menos com essas duas opções de vacinas que são ofertadas até o momento", alertou Byron.

Com agências


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS