A luta do estado e da PMA por mais vacinas

Gilvan Manoel


  • O governador Belivaldo Chagas durante reunião com governadores e representantes do Fundo Soberano

 

O governador Belivaldo Chagas se 
reuniu ontem de manhã com ou
tros 13 governadores de estados do país, onde ficou decidido que vão continuar lutando para que a Anvisa reveja o seu veto e autorize a importação da vacina Sputnik V. "Temos um acordo fechado com o fabricante para adquirir inicialmente 400 mil doses do imunizante, ao custo estimado de R$ 23 milhões, com recursos próprios, e não vamos desistir de colocar isso em prática, vacinando os sergipanos o mais breve possível", justificou o governador.
Belivaldo disse que entende e respeita a posição da Anvisa como órgão técnico responsável, mas alerta que causa estranheza neste veto, "o fato de a Sputnik já ter sido liberada anteriormente pelo Comitê Científico do Nordeste e de outros 62 países, onde ela está sendo aplicada em massa". 
Por fim, Belivaldo disse esperar, "do fundo do coração",  que a questão das vacinas não esteja sendo politizada e "continuarei lutando para trazer imunizantes seguros e eficazes para a população, independente do seu local de origem. O povo precisa de vacina para voltar à normalidade das suas vidas e não mediremos esforços para que isto aconteça".
A autorização excepcional e temporária para importação foi pedida pelos estados da Bahia, Acre, Rio Grande do Norte, Maranhão, Mato Grosso, Piauí, Ceará, Sergipe, Pernambuco e Rondônia. Esta liberação permite que os imunizantes sejam comprados, distribuídos e aplicados na população.
Já o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, encaminhou ontem de manhã,um ofício ao Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, solicitando o envio urgente de 11.893 doses de CoronaVac para o uso nos aracajuanos que já receberam a primeira dose e completaram o prazo máximo de reforço de 28 dias. 
"Aracaju recebeu 48.020 doses de CoronaVac, destinadas à aplicação do imunizante como primeira dose. Conforme o próprio Ministério da Saúde orientou em 21 de março, utilizamos todas as doses recebidas para aplicação da primeira dose como estratégia de ampliação da vacinação contra a Covid-19. Além disso, também passamos a fazer o aproveitamento das sobras da segunda dose para aplicação como primeira dose nos grupos prioritários", explicou o prefeito no ofício ao ministro.
Por fim, o prefeito de Aracaju disse que fez isso "confiante de que viessem mais doses de CoronaVac para a referida reposição, o que não vem acontecendo há cerca de duas semanas. Por isso, informamos a necessidade do envio dessa quantidade de doses e esperamos ser atendidos".
A falta de compromisso do governo Bolsonaro no combate à covid-19 afeta a todos e deixa estados e municípios sem alternativas, até porque a Anvisa também parece agir de forma política.

O governador Belivaldo Chagas se  reuniu ontem de manhã com ou tros 13 governadores de estados do país, onde ficou decidido que vão continuar lutando para que a Anvisa reveja o seu veto e autorize a importação da vacina Sputnik V. "Temos um acordo fechado com o fabricante para adquirir inicialmente 400 mil doses do imunizante, ao custo estimado de R$ 23 milhões, com recursos próprios, e não vamos desistir de colocar isso em prática, vacinando os sergipanos o mais breve possível", justificou o governador.
Belivaldo disse que entende e respeita a posição da Anvisa como órgão técnico responsável, mas alerta que causa estranheza neste veto, "o fato de a Sputnik já ter sido liberada anteriormente pelo Comitê Científico do Nordeste e de outros 62 países, onde ela está sendo aplicada em massa". 
Por fim, Belivaldo disse esperar, "do fundo do coração",  que a questão das vacinas não esteja sendo politizada e "continuarei lutando para trazer imunizantes seguros e eficazes para a população, independente do seu local de origem. O povo precisa de vacina para voltar à normalidade das suas vidas e não mediremos esforços para que isto aconteça".
A autorização excepcional e temporária para importação foi pedida pelos estados da Bahia, Acre, Rio Grande do Norte, Maranhão, Mato Grosso, Piauí, Ceará, Sergipe, Pernambuco e Rondônia. Esta liberação permite que os imunizantes sejam comprados, distribuídos e aplicados na população.
Já o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, encaminhou ontem de manhã,um ofício ao Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, solicitando o envio urgente de 11.893 doses de CoronaVac para o uso nos aracajuanos que já receberam a primeira dose e completaram o prazo máximo de reforço de 28 dias. 
"Aracaju recebeu 48.020 doses de CoronaVac, destinadas à aplicação do imunizante como primeira dose. Conforme o próprio Ministério da Saúde orientou em 21 de março, utilizamos todas as doses recebidas para aplicação da primeira dose como estratégia de ampliação da vacinação contra a Covid-19. Além disso, também passamos a fazer o aproveitamento das sobras da segunda dose para aplicação como primeira dose nos grupos prioritários", explicou o prefeito no ofício ao ministro.
Por fim, o prefeito de Aracaju disse que fez isso "confiante de que viessem mais doses de CoronaVac para a referida reposição, o que não vem acontecendo há cerca de duas semanas. Por isso, informamos a necessidade do envio dessa quantidade de doses e esperamos ser atendidos".
A falta de compromisso do governo Bolsonaro no combate à covid-19 afeta a todos e deixa estados e municípios sem alternativas, até porque a Anvisa também parece agir de forma política.

Culpado

O senador Rogério Carvalho (PT-SE), membro suplente da CPI da Pandemia, entende que a comissão poderá "mostrar ao Brasil que a tese da imunidade de rebanho é o principal causador das (quase) 400 mil mortes" já registradas. Rogério Carvalho se refere à estratégia de estimular a infecção de um grande número de pessoas, buscando uma imunização natural e não por vacinas. Como já comprovado por estudo da Universidade de São Paulo (USP), essa foi a opção de Bolsonaro, mesmo sendo alertado que, se agisse dessa forma, causaria a morte de centenas de milhares de brasileiros.

Sobre CPI

A insistência de deputados estaduais do partido Cidadania em abrir uma CPI da Covid específica para o governo de Sergipe, sob orientação do presidente Jair Bolsonaro, fez com que parlamentares da base governista se manifestassem duramente contra a ideia na sessão desta terça-feira (27). "Fiquei estarrecido quando li no noticiário da própria Alese, e em outros blogs, a seguinte frase dita pela deputada Kitty Lima: 'Agora é hora de saber quais os deputados que estão no bolso do governador'. Achei esta declaração um despreparo muito grande e uma leviandade sem tamanho. Quando a deputada faz uma acusação dessa sem provas, ela está cometendo crimes tipificados no Código Penal", disse  o vive-presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe, Francisco Gualberto (PT). 

Corruptos

Para Gualberto a declaração da deputada, "se olhada profundamente, acusa o governador de ser corruptor e acusa os deputados de serem corruptos, e não apenas os da bancada de governo. Acusa qualquer um que não assine essa CPI, seja da situação ou oposição", persistiu Gualberto, lembrando mais uma vez o diálogo entre o senador Cajuru, do partido Cidadania, e o presidente Bolsonaro, pedindo que a CPI da Covid aberta e já instalada pelos senadores em Brasília fosse estendida para estados e municípios, para que o presidente, que comprovadamente praticou inúmeros crimes de responsabilidade na condução do combate à pandemia, não sofresse sozinho as conseqüências.

No bolso?

Para Gualberto, os argumentos que levam à rejeição da CPI proposta em Sergipe são discutidos no campo da política e da administração. Diferente dos interesses dos deputados sergipanos que propõe a investigação local. "Imaginem se qualquer um da gente que não assina essa CPI dissesse: 'aqueles que estão assinando a CPI estão no bolso de Cajuru, do senador Alessandro, e do presidente da República'. Seria justo, seria ético, correto? Claro que não", sustenta o deputado.

Repúdio

O deputado estadual Adailton Martins (PSD) ocupou da tribuna da Alese, durante a Sessão Extraordinária Mista desta terça-feira, para repudiar a nota da colega parlamentar Kitty Lima (Cidadania), em que força os demais a assinar o documento de forma deselegante, onde diz que "aqueles que não assinaram estão nos deputados estão no bolso do Governo de Sergipe".

Empolgação

Na oportunidade, Adailton Martins colocou que existiu uma empolgação da deputada Kitty Lima em suas redes sociais. "Repudio essa atitude da colega, que quis forçar a todos os deputados a assinassem uma CPI da Covid-19, que mostrou em Brasília como foi encaminhada, através de Cajuru (Cidadania), que fez um papelão junto com o presidente Jair Bolsonaro. Encaminhando uma CPI que seria para apurar a irresponsabilidade do Governo Federal quanto a vacinação e enfrentamento do coronavirus. Hoje, o Brasil está nessa situação porque não comprou a vacina no momento adequado, levou  a pandemia na brincadeira em não usando máscara e não obedecendo as medidas sanitária".

Ampliação

Adailton responsabiliza o presidente, junto com o Cidadania, pela investigação dos prefeitos e governadores no Senado. "A situação não está pior porque os governadores tomaram as rédeas e realizaram medidas efetivas para combater a pandemia. Então, fica aqui o meu repúdio contra a nota que a deputada colocou. Sabemos que a internet deixa a pessoa empolgada", enfatizou.

Canindé

A Prefeitura de Canindé de São Francisco continua quitando salários atrasados da gestão passada. Na segunda (26), foi paga a segunda parcela do mês de dezembro de 2020 dos professores.  Ontem (27), receberam o 13º de 2018, os professores. Já o salário do mês de abril também foi pago no mesmo dia para os servidores da Assistência e demais secretarias. E na quarta-feira (28), encerrando a folha, recebe o pessoal da Saúde e Educação. 

Esforço

Segundo o prefeito Weldo Mariano, esses pagamentos só tem sido possível devido ao esforço fiscal implementado pela atual administração, priorizando o servidor, que tem em seus vencimentos, a principal fonte de renda. Lembrando que as folhas incluem todos os servidores efetivos, comissionados e contratados.

Milho

Foi aprovada por maioria, nesta terça-feira, a Moção Nº 37/2021, de autoria dos deputados Maria Mendonça (PSDB) e Zezinho Sobral (Podemos). O documento pede a prorrogação da vigência do Decreto Nº 40.462, de 16/10/2019, que estabelece em 2% a alíquota do ICMS sobre a venda de milho nas operações internas e interestaduais em Sergipe. A Moção será encaminhada ao governador Belivaldo Chagas. O objetivo do decreto é tornar a produção sergipana competitiva em relação a outros estados, estimular a economia local e combater a sonegação.

Golpe

O Ministério Público de Sergipe faz um alerta para a sociedade sobre a aplicação de golpes com a utilização de nomes de Procuradores e Promotores de Justiça. O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), por meio da Comissão de Preservação da Autonomia do Ministério Público (CPAMP), instaurou um procedimento para investigar esse tipo de prática, que se configura como crime de estelionato ou falsidade ideológica.

Prática

Segundo o MPE, integrantes de uma quadrilha estão utilizando o aplicativo de mensagens WhatsApp, identificando-se como Promotores de Justiça e solicitando depósitos bancários, entre outros. Além disso, e-mails estão sendo encaminhados a cidadãos intimando-os para comparecimento em audiências. A mensagem contém um link que, quando clicado, permite ao golpista obter informações do computador da vítima. O Ministério Público não faz intimações por e-mail.

Orientação

O MP recomenda que se algum representante do órgão entrar em contato diretamente com o cidadão é recomendável a conferência dos dados pessoais e dos números de telefones utilizados junto às respectivas Promotorias de Justiça, mediante a consulta direta no site do Ministério Público. Caso receba comunicações suspeitas em nome do Ministério Público do Estado de Sergipe, a Ouvidoria deve ser acionada: Telefone 127 (segunda a sexta-feira, das 7h às 17h).

1º de Maio

No Dia Internacional do Trabalhador, 1º de Maio, as centrais sindicais estão organizando a Carreata Solidária que vai doar alimentos para organizações sociais de Sergipe. No próximo sábado, as centrais sindicais e movimentos sociais vão se reunir, a partir das 8h30 da manhã, na Praça do Siqueira Campos para sair em Carreata pelas ruas de Aracaju.

Onde Doar?

Na manhã desta terça-feira, começaram as doações. No Centro de Aracaju, turno da manhã, na quinta-feira (29), a entrega de alimentos pode ser feita na Praça dos Mercados, próximo ao Gbarbosa. Na sede da CUT Sergipe, localizada no Bairro Cirurgia, Rua Porto da Folha, Nº: 1039, as doações podem ser feitas de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h. As doações dos sindicatos Cutistas também podem ser feitas diretamente com Cléo, em horários a combinar.

Outros

Até a sexta-feira, das 9h às 15h, as pessoas podem doar alimentos e/ou itens de higiene na sede do Sindomestica/SE, localizado na Rua Propriá, 386, Centro; ou na sede do CSP Conlutas/Sindipetro, na Rua Siriri, 629, nos mesmos dias e horários.  No Bairro São José, as doações podem ser feitas das 8h às 12h, na sede do Sindiscose, localizado na Travessa Gaspar Lourenço, 50. No Bairro Luzia, as doações podem ser feitas na sede da UNIDAS, situada na Rua da Integração, 212.

Com agências

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS