Artistas se unem no 1º de Maio em solidariedade à classe trabalhadora

Gilvan Manoel


  • Cartaz com os artistas que vão participar do 1º de Maio em solidariedade à classe trabalhadora

 

Um dos primeiros setores a parar em 
meio à pandemia do novo corona
vírus, a classe artística terá ampla participação no 1º de Maio Unitário das Centrais Sindicais - CUT, Força, UGT, CTB, CSB, NCST, CGTB, Intersindical e Pública - neste sábado (1º).
O evento do Dia do Trabalhador e da Trabalhadora, que será virtual por causa da pandemia, será transmitido, às 14h, pela TVT e pelo Facebook da CUT. O tema é Vida, Democracia, Emprego, Vacina Para Todos e Auxílio de R$ 600, além do impacto da Covid-19 no setor cultural.
Os sindicalistas e políticos vão debater a atual conjuntura política, econômica e social do Brasil, destacando o desemprego, a escalada da inflação e medidas necessárias para combater a pandemia, gerar emprego e renda e acabar com a fome e a miséria.
Já artistas como Chico Buarque, Elza Soares, Renegado, Chico César, Osmar Prado, Teresa Cristina,  Spartakus, Elen Oléria e Lirinha, entre outros, vão garantir muita música boa, poesia e também reflexões sobre a situação do setor cultural, um dos mais afetados pela crise sanitária.
Sem trabalho há mais de um ano, cantores, atores, compositores e demais artistas ainda não têm data para voltar aos palcos porque suas atividades, em geral, costuma causar aglomerações e são realizadas na maioria das vezes em espaços fechados, sem janelas, não recomendado pelas autoridades da área da saúde porque pode aumentar a transmissão do vírus.
A necessidade de isolamento social suspendeu atividades em museus, casas de espetáculos, teatros, cinemas e outros segmentos,  o que impactou fortemente projetos em andamento, a manutenção de postos de trabalhos e a garantia da renda para profissionais que atuam em todo o país.
Todas as atividades, que dependem da aglomeração de gente e da venda de ingressos, foram interrompidas, mas não houve um plano do governo federal para suprir a renda dos profissionais do setor.
Para José Celestino Lourenço, secretário nacional de Cultura da CUT, a presença de vários artistas no 1º de Maio da classe trabalhadora expressa uma cultura progressista de esquerda que é fundamental porque a cultura não pode ser separada da política. Tino, como é chamado, ressalta que a presença dos artistas no dia internacional da classe trabalhadora é a expressão de uma cultura de resistência.
"Sem dúvida nenhuma vão abrilhantar o nosso dia da classe trabalhadora e muito mais que isso, vão possibilitar a compreensão de que aquilo que eles vão apresentar significa a expressão de resistência popular e social e, portanto, estarão unificados conosco".
"De fato os artistas estão demonstrando na prática a solidariedade com classe trabalhadora. Estão comprometidos com as pautas da fome, do desemprego, da democracia e por vacinas para todos", concorda Carmen Foro, secretária-Geral da CUT.
O cenário para a classe artística no país é desolador em meio à pandemia do coronavírus. Com o cancelamento de atividades para evitar aglomerações, multiplicam-se incertezas sobre como os profissionais da cultura conseguirão se manter uma vez que a pandemia ainda está descontrolada no país.
 Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad), o setor cultural envolvia, em 2018, mais de 5 milhões de trabalhadoras e trabalhadores, representando 5,7% do total de ocupados no país - 44% desses profissionais são autônomos.

Um dos primeiros setores a parar em  meio à pandemia do novo corona vírus, a classe artística terá ampla participação no 1º de Maio Unitário das Centrais Sindicais - CUT, Força, UGT, CTB, CSB, NCST, CGTB, Intersindical e Pública - neste sábado (1º).
O evento do Dia do Trabalhador e da Trabalhadora, que será virtual por causa da pandemia, será transmitido, às 14h, pela TVT e pelo Facebook da CUT. O tema é Vida, Democracia, Emprego, Vacina Para Todos e Auxílio de R$ 600, além do impacto da Covid-19 no setor cultural.
Os sindicalistas e políticos vão debater a atual conjuntura política, econômica e social do Brasil, destacando o desemprego, a escalada da inflação e medidas necessárias para combater a pandemia, gerar emprego e renda e acabar com a fome e a miséria.
Já artistas como Chico Buarque, Elza Soares, Renegado, Chico César, Osmar Prado, Teresa Cristina,  Spartakus, Elen Oléria e Lirinha, entre outros, vão garantir muita música boa, poesia e também reflexões sobre a situação do setor cultural, um dos mais afetados pela crise sanitária.
Sem trabalho há mais de um ano, cantores, atores, compositores e demais artistas ainda não têm data para voltar aos palcos porque suas atividades, em geral, costuma causar aglomerações e são realizadas na maioria das vezes em espaços fechados, sem janelas, não recomendado pelas autoridades da área da saúde porque pode aumentar a transmissão do vírus.
A necessidade de isolamento social suspendeu atividades em museus, casas de espetáculos, teatros, cinemas e outros segmentos,  o que impactou fortemente projetos em andamento, a manutenção de postos de trabalhos e a garantia da renda para profissionais que atuam em todo o país.
Todas as atividades, que dependem da aglomeração de gente e da venda de ingressos, foram interrompidas, mas não houve um plano do governo federal para suprir a renda dos profissionais do setor.
Para José Celestino Lourenço, secretário nacional de Cultura da CUT, a presença de vários artistas no 1º de Maio da classe trabalhadora expressa uma cultura progressista de esquerda que é fundamental porque a cultura não pode ser separada da política. Tino, como é chamado, ressalta que a presença dos artistas no dia internacional da classe trabalhadora é a expressão de uma cultura de resistência.
"Sem dúvida nenhuma vão abrilhantar o nosso dia da classe trabalhadora e muito mais que isso, vão possibilitar a compreensão de que aquilo que eles vão apresentar significa a expressão de resistência popular e social e, portanto, estarão unificados conosco".
"De fato os artistas estão demonstrando na prática a solidariedade com classe trabalhadora. Estão comprometidos com as pautas da fome, do desemprego, da democracia e por vacinas para todos", concorda Carmen Foro, secretária-Geral da CUT.
O cenário para a classe artística no país é desolador em meio à pandemia do coronavírus. Com o cancelamento de atividades para evitar aglomerações, multiplicam-se incertezas sobre como os profissionais da cultura conseguirão se manter uma vez que a pandemia ainda está descontrolada no país.
 Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad), o setor cultural envolvia, em 2018, mais de 5 milhões de trabalhadoras e trabalhadores, representando 5,7% do total de ocupados no país - 44% desses profissionais são autônomos.

Calamidade

A Aassembleia Legislativa aprovou ontem mais sete decretos de calamidade pública em municípios sergipanos. Ao todo, 15 municípios tiveram estado de calamidade decretada em 2021 por conta da pandemia do coronavírus. Com a aprovação dos decretos, os municípios de Cristinápolis, Macambira, Nossa Senhora da Glória, Capela e Japaratuba podem adotar medidas de combate à pandemia pelo prazo de 180 dias, sem a necessidade de licitações. Apenas o decreto do município de São Cristóvão tem vigência até o dia 31 de dezembro.

Outros

Já estavam em estado de calamidade pública os municípios de Boquim, Nossa Senhora do Socorro, Moita Bonita, Pirambu, Aracaju, Laranjeiras, Nossa Senhora de Lourdes, Cedro de São João e Campo do Brito.

Internado

O prefeito de Itabaiana, Adailton Sousa (PL), 55 anos, foi internado ontem,  após ter passado mal em sua residência.  Ele testou positivo para a covid-19 no último dia 25, mas estava em isolamento domiciliar. Com a piora, foi conduzido para Aracaju pela esposa Érica Sousa, e pelo ex-prefeito daquele município, Valmir de Francisquinho (PL). Adailton está no Hospital Primavera. Segundo a assessoria do prefeito, ele está sentindo dores no tórax, em observação e que o seu estado de saúde é estável. A internação foi decidida após os exames feitos na terça-feira (27), apontarem que o tratamento em casa não estava evoluindo.

Alta

Já o bispo Dom Giovanni Crippa, de 62 anos, recebeu alta na terça-feira (27), de um hospital particular em Aracaju, após 10 dias internado em tratamento contra a Covid-19. Segundo a Arquidiocese, a ida ao hospital foi tomada por precaução médica, para acompanhamento mais próximo. Com a alta, ele retornou à residência episcopal.  O bispo, que é italiano, foi nomeado pelo Papa Francisco para assumir a Diocese de Estância em julho de 2014. Atualmente, ele coordena 28 paróquias nas regiões Sul e Centro-Sul de Sergipe.

Mais uma

A deputada Maria Mendonça (PSDB) criticou ontem (27) as insinuações feitas pela deputada Kitty Lima (Cidadania) a respeito da instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as ações dos governos estadual e municipais no combate ao enfrentamento da Covid-19. "Eu não fui contatada por nenhum dos integrantes do grupo que propôs a Comissão e quero dizer, com muita clareza e consciência, que sou contrária à CPI por entender que criá-la neste momento é querer contribuir para que o Governo retire o foco das pessoas que estão morrendo em virtude da infecção por esse vírus maldito", argumentou.

Infeliz

No entender de Maria, Kitty foi muito infeliz e inconsequente em publicar nas suas redes sociais insinuações maldosas como forma de pressão para que todos os parlamentares assinassem o Requerimento da CPI. "A minha trajetória me credencia a repudiar tal afirmação. Nunca estive em bolso de Governo, nem de ninguém e nunca votei e nem voto em projetos em troca de favores. Em todos os atos da minha vida, como cidadã e como política, sempre defendi a transparência" explicou.

Fundeb

Os deputados estaduais apreciaram e aprovaram, por unanimidade, na manhã dessa quarta-feira (28), o projeto de autoria do Poder Executivo que dispõe sobre a instituição do Conselho Social do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (CEACS/FUNDEB), de acordo com a Lei Federal nº 14.113/2020, que regulamenta o Fundeb. 

Controle

O Conselho constitui-se numa nova instância de controle, de representação social, não se confundindo com o controle interno, de responsabilidade do Poder Executivo, e nem com o controle externo, de responsabilidade da Assembleia Legislativa, do Tribunal de Contas do Estado e do Ministério Público. Em relação à legislação anterior, houve uma ampliação de 12 para 17 membros, agora com representantes das escolas indígenas e quilombolas. 

Demorou

O deputado estadual Iran Barbosa (PT), que há algum tempo vinha cobrando e denunciando o não envio deste projeto para a Assembleia Legislativa, entende que a regulamentação dessa matéria através de lei específica atende a lei federal. Ele criticou o envio tardio, mas parabenizou o governo pelo fato de ter trazido o feito à ordem. "O governo instituiu esse Conselho sem que existisse uma lei estadual específica que regulamenta-se sua existência. Chegando a dar posse aos membros que foram nomeados por decreto, em um ato flagrantemente ilegal", explicou.

Bloqueio

Os servidores ativos, aniversariantes de março e abril, que continuam pendentes com a atualização cadastral do Censo Previdenciário de Sergipe sofrerão bloqueio da remuneração neste mês de abril. Para receber seus salários devem fazer o recadastramento de forma imediata.  De acordo com a superintendente Geral de Recursos Humanos (SGRH) da Secretaria de Estado da Administração, Zélia Mendonça, para o servidor desbloquear o recebimento da remuneração é necessário fazer o recadastramento em https://agendacenso.com.br/sergipe. 

Cronograma

O recadastramento do Censo Previdenciário continua seguindo o cronograma de acordo com o mês de nascimento do cadastrado. E para atualizar os segurados devem acessar o sistema eletrônico https://agendacenso.com.br/sergipe. A superintendente alerta que os aniversariantes dos meses de maio e junho devem atualizar seus dados cadastrais até a próxima sexta-feira, 30/04. Já os nascidos em julho e agosto, de 03 a 31/05; os de setembro e outubro, de 1º a 30/06; e os de novembro e dezembro, de 1º a 30/07.

Pandemia

A CPI da Pandemia se reúne nesta quinta-feira (29) para analisar o plano de trabalho que deve ser proposto pelo relator, senador Renan Calheiros (MDB-AL). Na reunião de terça-feira (27), o parlamentar antecipou alguns encaminhamentos que pretende sugerir para as investigações. Renan defende, por exemplo, a convocação do atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e dos três antecessores: Eduardo Pazuello, Nelson Teich e Luiz Henrique Mandetta.

Informações

O relator da CPI da Pandemia anunciou ainda que pretende solicitar informações sobre contratações e tratativas para a aquisição de vacinas, além de todas as regulamentações do governo federal para temas como isolamento social e quarentena. Renan Calheiros afirmou que deve solicitar registros do Poder Executivo sobre medicamentos sem eficácia comprovada e "tratamentos precoces".

Nova ação

Os senadores Eduardo Girão (Podemos-CE), Jorginho Mello (PL-SC) e Marcos Rogério (DEM-RO) anunciaram nesta quarta-feira (28) que entraram com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a presença do senador Renan Calheiros (MDB-AL) na CPI da Pandemia. De acordo com os autores do mandado de segurança, Renan não pode integrar a comissão por ser pai do governador de Alagoas, Renan Filho. Na terça-feira (27), o parlamentar alagoano foi nomeado relator do colegiado.

Turismo

Pouco mais de 27% dos estabelecimentos turísticos de Sergipe aderiram ao "Selo Turismo Responsável, Limpo e Seguro", do Ministério do Turismo, demonstrando que há espaço para ampliar a quantidade de adesões no estado. Após mais de 10 meses de seu lançamento, 364 selos foram emitidos no estado, com destaque para as agências de turismo (120), guias de turismo (110) e transportadoras turísticas (56). Entre as cidades sergipanas, as empresas da capital, Aracaju, Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão se destacaram no interesse pela certificação.

Com agências

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS