Cheiro de nordeste

Rian Santos


  • Inspiração à beira mar

 

Rian Santos
Tem muita gente nova 
chegando na cena au
toral sergipana. Rebecca Melo é uma das artistas que adentra nesse universo e resolve apresentar ao mundo o que emerge da sua criação. Ela lança hoje o seu primeiro single, 'Caminho de volta', composto em parceria com Raquel Diniz, com gosto e cheiro de cultura nordestina.
Rebecca não se colocou sob a luz da ribalta somente agora. Já faz uns bons anos que ela faz e acontece, sozinha ou ao lado do Nanã Trio, com quem construiu uma trajetória feliz, quase sempre envolta em projetos sobre a representatividade feminina na música.
Foi justamente ao lado do Nanã Trio que Rebecca mergulhou no forró. Com o show Mungunzá, elas estrearam nos palcos juninos ainda em 2018, ocupando espaços como os palcos do Forrocaju e Arraiá do Povo. 
"Nos anos seguintes, o mesmo aconteceu. E quanto mais vivenciávamos o São João por dentro e nos aproximávamos de artistas que fazem a cena do forró, mais nos apaixonávamos ainda mais por esse universo, que já nos era caro desde sempre. A verdade é que o pertencimento calou fundo na alma. Quando veio a pandemia e decidimos dar um break no grupo para tocar também outros projetos, entendi que era no forró tradicional que eu queria ficar. Era o que me tocava verdadeiramente", conta Rebecca.
De acordo com ela, daí por diante, o processo de composição fluiu naturalmente, sozinha ou em parceria. E o resultado disso vem a público ao longo dos próximos meses, quando ela promete uma sucessão de lançamentos. 
"Apesar de todos os males, a pandemia tem sido um período artisticamente produtivo para mim. Consegui me organizar melhor e definir com clareza uma linha de trabalho. Isso é um avanço e tanto. Às vezes leva um tempo até que a gente entenda o lugar que melhor nos cabe, o estilo com que mais se identifica, e produza um trabalho autoral que realmente represente a nossa verdade artística. Desse processo vieram parcerias com Lucas Campelo, Bob Lelis, Raquel Diniz, Taíme Gouvea, Álvaro Müller e minha mãe, Graça Melo".
Sobre 'Caminho de volta', Rebecca conta que é uma canção que fala de amor, numa narrativa que mescla elementos da natureza e do universo da música. "Ela foi concebida na praia, meu cenário preferido de composição. Ao escutar, é possível de imediato perceber a influência do ambiente na canção. Raquel, amiga querida e muito talentosa, tinha me mandado uma melodia harmonizada por Saulinho Ferreira. Achei belíssima e um dia, na praia, me veio a letra. Espero que toque as pessoas. É esse o nosso propósito maior ao produzir Arte", afirma.
Disponível nas plataformas de streaming, 'Caminho de Volta' tem produção musical e arranjo de Evandro Schiruder, que também assina as linhas de guitarra, violões e 12 cordas. A sanfona é de Missinho do Acordeon; o baixo, de Júnior di Lima; percussão e bateria, de Júlio Fonseca. Segundo Rebecca, esse é o time que acompanha as gravações de todo o trabalho, que inclui, ainda, canções inéditas de outros compositores sergipanos, como Ivan Reis; Joésia Ramos, Kleber Melo e Jardênia Leão; e Liu Poetisa.

Rian Santos

Tem muita gente nova  chegando na cena au toral sergipana. Rebecca Melo é uma das artistas que adentra nesse universo e resolve apresentar ao mundo o que emerge da sua criação. Ela lança hoje o seu primeiro single, 'Caminho de volta', composto em parceria com Raquel Diniz, com gosto e cheiro de cultura nordestina.
Rebecca não se colocou sob a luz da ribalta somente agora. Já faz uns bons anos que ela faz e acontece, sozinha ou ao lado do Nanã Trio, com quem construiu uma trajetória feliz, quase sempre envolta em projetos sobre a representatividade feminina na música.
Foi justamente ao lado do Nanã Trio que Rebecca mergulhou no forró. Com o show Mungunzá, elas estrearam nos palcos juninos ainda em 2018, ocupando espaços como os palcos do Forrocaju e Arraiá do Povo. 
"Nos anos seguintes, o mesmo aconteceu. E quanto mais vivenciávamos o São João por dentro e nos aproximávamos de artistas que fazem a cena do forró, mais nos apaixonávamos ainda mais por esse universo, que já nos era caro desde sempre. A verdade é que o pertencimento calou fundo na alma. Quando veio a pandemia e decidimos dar um break no grupo para tocar também outros projetos, entendi que era no forró tradicional que eu queria ficar. Era o que me tocava verdadeiramente", conta Rebecca.
De acordo com ela, daí por diante, o processo de composição fluiu naturalmente, sozinha ou em parceria. E o resultado disso vem a público ao longo dos próximos meses, quando ela promete uma sucessão de lançamentos. 
"Apesar de todos os males, a pandemia tem sido um período artisticamente produtivo para mim. Consegui me organizar melhor e definir com clareza uma linha de trabalho. Isso é um avanço e tanto. Às vezes leva um tempo até que a gente entenda o lugar que melhor nos cabe, o estilo com que mais se identifica, e produza um trabalho autoral que realmente represente a nossa verdade artística. Desse processo vieram parcerias com Lucas Campelo, Bob Lelis, Raquel Diniz, Taíme Gouvea, Álvaro Müller e minha mãe, Graça Melo".
Sobre 'Caminho de volta', Rebecca conta que é uma canção que fala de amor, numa narrativa que mescla elementos da natureza e do universo da música. "Ela foi concebida na praia, meu cenário preferido de composição. Ao escutar, é possível de imediato perceber a influência do ambiente na canção. Raquel, amiga querida e muito talentosa, tinha me mandado uma melodia harmonizada por Saulinho Ferreira. Achei belíssima e um dia, na praia, me veio a letra. Espero que toque as pessoas. É esse o nosso propósito maior ao produzir Arte", afirma.
Disponível nas plataformas de streaming, 'Caminho de Volta' tem produção musical e arranjo de Evandro Schiruder, que também assina as linhas de guitarra, violões e 12 cordas. A sanfona é de Missinho do Acordeon; o baixo, de Júnior di Lima; percussão e bateria, de Júlio Fonseca. Segundo Rebecca, esse é o time que acompanha as gravações de todo o trabalho, que inclui, ainda, canções inéditas de outros compositores sergipanos, como Ivan Reis; Joésia Ramos, Kleber Melo e Jardênia Leão; e Liu Poetisa.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS