Os singles "perdidos" da Relespública

Geral


  • Os Mods de Curitiba estão de volta

 

A Relespública lança 
nesta sexta-feira, 
em todas as plataformas digitais, uma reunião valiosa de hinos perdidos. 'Sem Ninguém ao Lado' marca o retorno do trio ao estúdio, depois de quase 13 anos sem gravar.
"13 anos é tempo demais para uma banda como a nossa, mas a vida dá umas rasteiras e a gente foi protelando. Quando o Crivano reapareceu querendo levar banda pro estúdio, juntou a fome e a vontade de comer", disse Fabio Elias, guitarrista e compositor da Reles.
Para realizar o EP, a Relespública precisou revirar o próprio baú. As cinco faixas de Sem 'Ninguém ao Lado' estão no repertório de shows da banda há décadas, mas nunca tinham sido gravadas. Nelas estão a essência do som e da estética da banda formada em Curitiba em 1989: rock de garagem, a fúria adolescente inconformista e a elegância mod. Na produção, Marcelo Crivano, com quem a banda criou o cultuado álbum 'As Histórias São Iguais' (2003) e o especial MTV Apresenta (2006).
Para Fabio, o novo trabalho é um retrato "atual e antigo" da banda. "Depois de anos de estrada e tudo o que aconteceu, a gente se perdeu um pouco de nós mesmos. Precisávamos nos reencontrar como banda e buscar novamente a voz da Reles".
Segundo Crivano, o EP nasceu da necessidade de revisitar a primeira fase da carreira da Reles. "A ideia era gravar ao vivo um conjunto de doze canções muito importantes para nós da primeira fase da banda (entre 1989-1995), mas que nunca tiveram um registro à altura. Avaliamos o material e cinco faixas se destacaram, cada uma por uma razão específica", disse.
Crivano conta que a sessão em estúdio para a pré-produção das faixas iniciais aconteceu no dia 10 de março de 2020. Um dia depois, a Organização Mundial de Saúde (OMS) decretou pandemia.
"À medida que a produção foi fluindo e trabalhávamos nos arranjos das músicas, a pandemia foi avançando. No fundo, só aumentou o sentimento que estávamos todos sozinhos no mundo, sem ninguém ao lado".
Com as restrições impostas pelas circunstâncias, o processo demorou quase um ano. Para Fábio, o resultado é a melhor versão da banda desde 2003.
"A energia motriz da Reles se repetiu. O Moon continua gravando sua parte numa sentada e o Ricardo continua criando muito na hora certa. Eu parei de fumar, beber e fazer merda. Emagreci muitos quilos e minha saúde, voz e espírito estão melhores do que nunca. A Reles está acontecendo de novo. Os Mods estão de volta". 

A Relespública lança  nesta sexta-feira,  em todas as plataformas digitais, uma reunião valiosa de hinos perdidos. 'Sem Ninguém ao Lado' marca o retorno do trio ao estúdio, depois de quase 13 anos sem gravar.
"13 anos é tempo demais para uma banda como a nossa, mas a vida dá umas rasteiras e a gente foi protelando. Quando o Crivano reapareceu querendo levar banda pro estúdio, juntou a fome e a vontade de comer", disse Fabio Elias, guitarrista e compositor da Reles.
Para realizar o EP, a Relespública precisou revirar o próprio baú. As cinco faixas de Sem 'Ninguém ao Lado' estão no repertório de shows da banda há décadas, mas nunca tinham sido gravadas. Nelas estão a essência do som e da estética da banda formada em Curitiba em 1989: rock de garagem, a fúria adolescente inconformista e a elegância mod. Na produção, Marcelo Crivano, com quem a banda criou o cultuado álbum 'As Histórias São Iguais' (2003) e o especial MTV Apresenta (2006).
Para Fabio, o novo trabalho é um retrato "atual e antigo" da banda. "Depois de anos de estrada e tudo o que aconteceu, a gente se perdeu um pouco de nós mesmos. Precisávamos nos reencontrar como banda e buscar novamente a voz da Reles".
Segundo Crivano, o EP nasceu da necessidade de revisitar a primeira fase da carreira da Reles. "A ideia era gravar ao vivo um conjunto de doze canções muito importantes para nós da primeira fase da banda (entre 1989-1995), mas que nunca tiveram um registro à altura. Avaliamos o material e cinco faixas se destacaram, cada uma por uma razão específica", disse.
Crivano conta que a sessão em estúdio para a pré-produção das faixas iniciais aconteceu no dia 10 de março de 2020. Um dia depois, a Organização Mundial de Saúde (OMS) decretou pandemia.
"À medida que a produção foi fluindo e trabalhávamos nos arranjos das músicas, a pandemia foi avançando. No fundo, só aumentou o sentimento que estávamos todos sozinhos no mundo, sem ninguém ao lado".
Com as restrições impostas pelas circunstâncias, o processo demorou quase um ano. Para Fábio, o resultado é a melhor versão da banda desde 2003.
"A energia motriz da Reles se repetiu. O Moon continua gravando sua parte numa sentada e o Ricardo continua criando muito na hora certa. Eu parei de fumar, beber e fazer merda. Emagreci muitos quilos e minha saúde, voz e espírito estão melhores do que nunca. A Reles está acontecendo de novo. Os Mods estão de volta". 

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS