Cabeleireiro que desapareceu em Dores é encontrado morto

Geral


  • O cabeleireiro Claudon Alves Feitosa estava desaparecido desde sábado

 

A polícia avançou nas in
vestigações relaciona
das ao desaparecimento do cabeleireiro Claudon Alves Feitosa, que desapareceu no sábado passado em Nossa Senhora das Dores (Sertão).Na tarde desta sexta-feira, a polícia confirmou que a vítima foi assassinada e que três suspeitos foram presos por envolvimento no crime. Um deles, Francismar de Almeida Santos, o "Francis", foi encontrado pela manhã em um matagal na zona rural de Rosário do Catete (Vale do Cotinguiba). Antes, foi preso o casal Marcelo Ribeiro Santos e Joana Santos, que é prima de 'Francis'
Também na tarde de ontem, equipes da Polícia Civil, do Instituto Médico-Legal (IML) e do Corpo de Bombeiros estiveram no povoado Maniçoba, em Divina Pastora, e encontraram o corpo de Claudon em um riacho. O local foi indicado a partir do depoimento dos três suspeitos, os quais confirmaram ter amarrado o cabeleireiro, levado ele num carro e o jogado ainda com vida no riacho. 
Testemunhas haviam dito à polícia que, na noite do dia 5, o rapaz tinha sido levado de casa sua casa, em Dores, por duas pessoas em um carro de cor preta. Ao longo da semana, policiais da Delegacia Regional de Dores descobriram que Claudon foi levado para um cativeiro e teve objetos roubados da residência. "A equipe esteve em vários locais e, em um deles, que poderia ter sido utilizado como cativeiro, foram encontrados três aparelhos de televisão, roubados da casa da vítima", detalhou. O resultado da diligência não deixa dúvidas sobre o envolvimento de Francismarno desaparecimento do cabeleireiro", havia dito a delegada.
Com a confirmação da morte da vítima, o caso passa a ser investigado como latrocínio (roubo seguido de morte). A polícia trabalha agora para descobrir outras circunstâncias do crime, principalmente a real motivação e qual a conexão existente entre os suspeitos e a vítima. Segundo a Polícia Civil, Francis confessou sua participação no crime e será indiciado por ocultação de cadáver. O inquérito policial será concluído nos próximos dias. Equipes da Divisão de Inteligência (Dipol) e Coordenadoria de Polícia Civil do Interior (Copci) também atuam no caso.

A polícia avançou nas in vestigações relaciona das ao desaparecimento do cabeleireiro Claudon Alves Feitosa, que desapareceu no sábado passado em Nossa Senhora das Dores (Sertão).Na tarde desta sexta-feira, a polícia confirmou que a vítima foi assassinada e que três suspeitos foram presos por envolvimento no crime. Um deles, Francismar de Almeida Santos, o "Francis", foi encontrado pela manhã em um matagal na zona rural de Rosário do Catete (Vale do Cotinguiba). Antes, foi preso o casal Marcelo Ribeiro Santos e Joana Santos, que é prima de 'Francis'
Também na tarde de ontem, equipes da Polícia Civil, do Instituto Médico-Legal (IML) e do Corpo de Bombeiros estiveram no povoado Maniçoba, em Divina Pastora, e encontraram o corpo de Claudon em um riacho. O local foi indicado a partir do depoimento dos três suspeitos, os quais confirmaram ter amarrado o cabeleireiro, levado ele num carro e o jogado ainda com vida no riacho. 
Testemunhas haviam dito à polícia que, na noite do dia 5, o rapaz tinha sido levado de casa sua casa, em Dores, por duas pessoas em um carro de cor preta. Ao longo da semana, policiais da Delegacia Regional de Dores descobriram que Claudon foi levado para um cativeiro e teve objetos roubados da residência. "A equipe esteve em vários locais e, em um deles, que poderia ter sido utilizado como cativeiro, foram encontrados três aparelhos de televisão, roubados da casa da vítima", detalhou. O resultado da diligência não deixa dúvidas sobre o envolvimento de Francismarno desaparecimento do cabeleireiro", havia dito a delegada.
Com a confirmação da morte da vítima, o caso passa a ser investigado como latrocínio (roubo seguido de morte). A polícia trabalha agora para descobrir outras circunstâncias do crime, principalmente a real motivação e qual a conexão existente entre os suspeitos e a vítima. Segundo a Polícia Civil, Francis confessou sua participação no crime e será indiciado por ocultação de cadáver. O inquérito policial será concluído nos próximos dias. Equipes da Divisão de Inteligência (Dipol) e Coordenadoria de Polícia Civil do Interior (Copci) também atuam no caso.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS