Servidores protestam na porta da Seduc

Cidades

 

A manhã de ontem também foi marcada por ato público realizado em frente à Secretaria de Estado da Educação, Esporte e Cultura (Seduc), na zona Sul de Aracaju. Na luta pela reposição das perdas inflacionárias no salário contabilizadas ao longo dos últimos nove anos, Servidores da Administração Geral do Estado de Sergipe, que integram o Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Públicos (Sintrase), decidiram suspender as atividades funcionais por 48 horas como forma de pressionar o governador Belivaldo Chagas (PSD) a atender o pleito da classe trabalhadora. Conforme o JORNAL DO DIA já destacou em publicações realizadas este ano, os servidores garantem que seguem lutando por reunião com o chefe do Poder Executivo Estadual.
Segundo denunciado pelo presidente do Sintrase, Diego Araújo, desde 2012 os servidores buscam reparar os danos salariais, bem como se reunir com Belivaldo Chagas. O sindicalista lamenta que apesar dos pedidos formalizados, o governador segue sem se reunir com representantes das categorias. "São nove anos multiplicando perdas reais e nenhuma movimentação que indique recomposição, que é um direito do trabalhador. Nesse mesmo tempo, em especial desde janeiro 2019, a gente tenta se reunir com Belivaldo para discutir esse assunto, mas não somos convidados. Chegamos ao limite da paciência e a paralisação de 48 horas é uma demonstração disso", afirmou.
Por meio de nota pública oficializada no início da tarde de ontem, a Superintendência de Comunicação informou que o governo de Sergipe, por intermédio de gestores da Secretaria de Esatado da Administração (SEAD), irá receber representantes do Sintrase numa reunião que foi agendada para o próximo dia 23 de setembro, quando os assuntos abordados na atual mobilização dos servidores serão apresentados como tema central das discussões. O serviço de porta-voz da gestão estadual destacou ainda que a Secretaria da Administração dará início a um trabalho, juntamente com o sindicato, a fim de identificar em curto prazo, medidas as quais proporcionem o desejado entendimento entre servidores e gestão pública estadual.

A manhã de ontem também foi marcada por ato público realizado em frente à Secretaria de Estado da Educação, Esporte e Cultura (Seduc), na zona Sul de Aracaju. Na luta pela reposição das perdas inflacionárias no salário contabilizadas ao longo dos últimos nove anos, Servidores da Administração Geral do Estado de Sergipe, que integram o Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Públicos (Sintrase), decidiram suspender as atividades funcionais por 48 horas como forma de pressionar o governador Belivaldo Chagas (PSD) a atender o pleito da classe trabalhadora. Conforme o JORNAL DO DIA já destacou em publicações realizadas este ano, os servidores garantem que seguem lutando por reunião com o chefe do Poder Executivo Estadual.
Segundo denunciado pelo presidente do Sintrase, Diego Araújo, desde 2012 os servidores buscam reparar os danos salariais, bem como se reunir com Belivaldo Chagas. O sindicalista lamenta que apesar dos pedidos formalizados, o governador segue sem se reunir com representantes das categorias. "São nove anos multiplicando perdas reais e nenhuma movimentação que indique recomposição, que é um direito do trabalhador. Nesse mesmo tempo, em especial desde janeiro 2019, a gente tenta se reunir com Belivaldo para discutir esse assunto, mas não somos convidados. Chegamos ao limite da paciência e a paralisação de 48 horas é uma demonstração disso", afirmou.
Por meio de nota pública oficializada no início da tarde de ontem, a Superintendência de Comunicação informou que o governo de Sergipe, por intermédio de gestores da Secretaria de Esatado da Administração (SEAD), irá receber representantes do Sintrase numa reunião que foi agendada para o próximo dia 23 de setembro, quando os assuntos abordados na atual mobilização dos servidores serão apresentados como tema central das discussões. O serviço de porta-voz da gestão estadual destacou ainda que a Secretaria da Administração dará início a um trabalho, juntamente com o sindicato, a fim de identificar em curto prazo, medidas as quais proporcionem o desejado entendimento entre servidores e gestão pública estadual.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS