CUT-SE faz vigília em aeroporto e protesto no centro de Aracaju contra PEC 32

Geral


  • MANIFESTAÇÃO DOS SERVIDORES NO CENTRO DE ARACAJU

  • Manifestação contra a PEC da Reforma Administrativa no aeroporto

 

Para barrar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 32/2020, da reforma Administrativa, que está em discussão na Câmara Federal desde a manhã desta terça-feira (14), a Central Única dos Trabalhadores (CUT Sergipe) e o movimento sindical de estado organizaram ontem uma vigília no Aeroporto Santa Maria em Aracaju e um protesto no Calçadão da João Pessoa.
As duas atividades de luta cumprem os objetivos de dialogar com a população informando os malefícios da reforma Administrativa e também o de pressionar os deputados federais de Sergipe para que eles não votem a favor da PEC que vai destruir os serviços públicos.
O presidente da CUT Sergipe, Roberto Silva, afirmou que a PEC 32 é mais uma mentira do governo Bolsonaro. "Aprovaram a reforma da Previdência, a reforma Trabalhista e a lei das Terceirizações dizendo que iam gerar emprego. Qual emprego foi gerado? A população está afundada em desemprego e carestia. Agora querem aprovar a reforma Administrativa para destruir o serviço público e dizem que vão gerar emprego. Ninguém acredita mais", criticou.
Segundo Roberto Silva, a reforma Administrativa destrói os Planos de Carreira dos servidores públicos municipais, estaduais e federais; acaba com o concurso público destruindo o sonho de milhões de jovens que estudam para concurso e querem estabilidade no emprego público.
"É o retorno do 'Trem da alegria', que havia acabado com a Constituição de 1988. Além disso, a PEC 32 fortalece a corrupção no País porque acaba com a estabilidade do servidor e quem vai denunciar o chefe corrupto? A previsão é que a perseguição e a politicagem voltem ao serviço público. Tudo isso prejudica a população que mais necessita deste serviço", alertou Roberto Silva.
No aeroporto de Aracaju, o movimento sindical dialogou com os deputados sobre os malefícios que a reforma administrativa vai trazer para o serviço público e para a sociedade em geral. O deputado federal Gustinho Ribeiro disse que ia estudar sobre o assunto e que ainda não havia se decidido sobre o voto. Os deputados federais João Daniel, Fábio Mitidieri e Fábio Henrique já manifestaram seu voto contrário à PEC 32.14/09/2021.

Para barrar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 32/2020, da reforma Administrativa, que está em discussão na Câmara Federal desde a manhã desta terça-feira (14), a Central Única dos Trabalhadores (CUT Sergipe) e o movimento sindical de estado organizaram ontem uma vigília no Aeroporto Santa Maria em Aracaju e um protesto no Calçadão da João Pessoa.
As duas atividades de luta cumprem os objetivos de dialogar com a população informando os malefícios da reforma Administrativa e também o de pressionar os deputados federais de Sergipe para que eles não votem a favor da PEC que vai destruir os serviços públicos.
O presidente da CUT Sergipe, Roberto Silva, afirmou que a PEC 32 é mais uma mentira do governo Bolsonaro. "Aprovaram a reforma da Previdência, a reforma Trabalhista e a lei das Terceirizações dizendo que iam gerar emprego. Qual emprego foi gerado? A população está afundada em desemprego e carestia. Agora querem aprovar a reforma Administrativa para destruir o serviço público e dizem que vão gerar emprego. Ninguém acredita mais", criticou.
Segundo Roberto Silva, a reforma Administrativa destrói os Planos de Carreira dos servidores públicos municipais, estaduais e federais; acaba com o concurso público destruindo o sonho de milhões de jovens que estudam para concurso e querem estabilidade no emprego público.
"É o retorno do 'Trem da alegria', que havia acabado com a Constituição de 1988. Além disso, a PEC 32 fortalece a corrupção no País porque acaba com a estabilidade do servidor e quem vai denunciar o chefe corrupto? A previsão é que a perseguição e a politicagem voltem ao serviço público. Tudo isso prejudica a população que mais necessita deste serviço", alertou Roberto Silva.
No aeroporto de Aracaju, o movimento sindical dialogou com os deputados sobre os malefícios que a reforma administrativa vai trazer para o serviço público e para a sociedade em geral. O deputado federal Gustinho Ribeiro disse que ia estudar sobre o assunto e que ainda não havia se decidido sobre o voto. Os deputados federais João Daniel, Fábio Mitidieri e Fábio Henrique já manifestaram seu voto contrário à PEC 32.14/09/2021.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS