PMA orienta setor de eventos para retomada de atividades

Geral


  • Representantes do setor de eventos discutiram as orientações com a Emsurb

 

Com a flexibilização das medidas restritivas de enfrentamento à pandemia e a reabertura das atividades econômicas, estabelecidas em decretos dos governos estadual e municipal, o setor de eventos se mobiliza para retomar o ritmo de atividades pré-pandemia. Pensando no sucesso e organização de cada evento, de forma a evitar a corrida pela ocupação dos mesmos espaços e o conflito de datas, a Prefeitura de Aracaju reuniu ontem, na Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), representantes da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Sergipe (Fecomércio/SE), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes  (Abrasel), Associação Brasileira dos Promotores de Eventos (Abrape), além do presidende da Frente Parlamentar de Turismo (FPT), da Câmara de Municipal de Aracaju, vereador Fabiano Oliveira.
"Reunimos todos os interessados que já tinham protocolado pedidos e pleitos para ocuparem espaços temporários na Orla da Atalaia, seja para realização de feiras, eventos ou shows e chegamos ao consenso pela possibilidade de todos serem contemplados nas suas respectivas datas", informou o presidente da Emsurb, Luiz Roberto Dantas.
O presidente da Emsurb disse reconhecer as dificuldades vivenciadas pelo setor, o qual, segundo destacou, "foi um dos que mais sofreu com a pandemia e por pertencer a uma cadeia produtiva merece a atenção da Prefeitura". 
"Desta forma, promovemos a reunião por entender que não deve ser uma decisão unilateral da gestão. Aqui, ouvimos empresários, produtores, montadores de feiras e, juntos, conseguimos um consenso que foi fundamental para atender a todos até o mês de maio do próximo ano", explicou Luiz.
Ao término do encontro, o vice-presidente da Abrape, Gustavo Paixão, parabenizou o presidente Luiz Roberto "pela iniciativa de convocar esse grupo que não foi só dos eventos, mas das feiras, das exposições". "Houve um entendimento de 100%. Todos os eventos se entenderam. Feiras e eventos vão poder acontecer simultaneamente, até porque são espaços diferentes", opinou. 
Aprovação - O presidente da Emsurb lembrou ainda que, conforme os últimos decretos, o público permitido em eventos é de 900 pessoas em locais abertos e de 600 em locais fechados. "Poderá haver novas mudanças a partir de novembro. No entanto, qualquer tipo de evento, independente do público, deverá ter seu projeto submetido à aprovação dos órgãos sanitários, a exemplo da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Com a flexibilização das medidas restritivas de enfrentamento à pandemia e a reabertura das atividades econômicas, estabelecidas em decretos dos governos estadual e municipal, o setor de eventos se mobiliza para retomar o ritmo de atividades pré-pandemia. Pensando no sucesso e organização de cada evento, de forma a evitar a corrida pela ocupação dos mesmos espaços e o conflito de datas, a Prefeitura de Aracaju reuniu ontem, na Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), representantes da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Sergipe (Fecomércio/SE), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes  (Abrasel), Associação Brasileira dos Promotores de Eventos (Abrape), além do presidende da Frente Parlamentar de Turismo (FPT), da Câmara de Municipal de Aracaju, vereador Fabiano Oliveira.
"Reunimos todos os interessados que já tinham protocolado pedidos e pleitos para ocuparem espaços temporários na Orla da Atalaia, seja para realização de feiras, eventos ou shows e chegamos ao consenso pela possibilidade de todos serem contemplados nas suas respectivas datas", informou o presidente da Emsurb, Luiz Roberto Dantas.
O presidente da Emsurb disse reconhecer as dificuldades vivenciadas pelo setor, o qual, segundo destacou, "foi um dos que mais sofreu com a pandemia e por pertencer a uma cadeia produtiva merece a atenção da Prefeitura". 
"Desta forma, promovemos a reunião por entender que não deve ser uma decisão unilateral da gestão. Aqui, ouvimos empresários, produtores, montadores de feiras e, juntos, conseguimos um consenso que foi fundamental para atender a todos até o mês de maio do próximo ano", explicou Luiz.
Ao término do encontro, o vice-presidente da Abrape, Gustavo Paixão, parabenizou o presidente Luiz Roberto "pela iniciativa de convocar esse grupo que não foi só dos eventos, mas das feiras, das exposições". "Houve um entendimento de 100%. Todos os eventos se entenderam. Feiras e eventos vão poder acontecer simultaneamente, até porque são espaços diferentes", opinou. 

Aprovação - O presidente da Emsurb lembrou ainda que, conforme os últimos decretos, o público permitido em eventos é de 900 pessoas em locais abertos e de 600 em locais fechados. "Poderá haver novas mudanças a partir de novembro. No entanto, qualquer tipo de evento, independente do público, deverá ter seu projeto submetido à aprovação dos órgãos sanitários, a exemplo da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS