Quarta, 17 De Agosto De 2022
**PUBLICIDADE
Publicidade

Tribuna


Avatar

Publicado em 26 de julho de 2022
Por Jornal Do Dia Se


Coletiva
O ex-governador Jackson Barreto (MDB), que na quinta-feira anunciou a desistência da disputa ao Senado, concederá entrevista coletiva nesta terça-feira, às 11 horas, no Hotel Real Classic. A tendência é que passe a apoiar a chapa de Rogério Carvalho (PT).

Dois nomes
Jackson desistiu da disputa em função do grupo decidir manter duas candidaturas ao Senado. Com a sua saída, o deputado federal Laércio Oliveira (PP) deverá ser o único candidato. Ele apoia a candidatura à reeleição de Bolsonaro (PL).

Vai procurar
O presidente estadual do PT, deputado João Daniel, informou que vai procurar Jackson para discutir o apoio à Rogério Carvalho. Ainda não há uma data definida para o encontro.

Elogios
João Daniel elogiou a decisão de Jackson, que pretende participar ativamente da campanha de Lula. “Foi um gesto de um grande homem, que compreende a realidade, o momento político e tem clareza dos grandes desafios e ameaças que o Brasil vive. Jackson mostrou que tem lado”, elogiou João Daniel.

Posição
A situação do MDB sergipano deverá ser discutida, esta semana, numa reunião da Executiva Nacional do partido. É provável que o senador Rogério Carvalho volte a tentar garantir o apoio da legenda à sua candidatura.

Mudança
Alessandro Vieira, pré-candidato ao Governo de Sergipe pela Federação PSDB-Cidadania, evidenciou a oportunidade de mudança que os sergipanos têm nas eleições de 2022.

Desafio
O senador pontuou que decidiu aceitar o desafio do grupo de oposição e colocar seu nome à disposição para ser governador do Estado, principalmente pela compreensão de que Sergipe precisa de uma mudança verdadeira.

20 anos
Para Alessandro, “a turma que está no poder em Sergipe, está aí há mais de vinte anos e não conseguiu resolver nossos problemas. Continuamos literalmente com os mesmos transtornos: falta de mobilidade urbana, desemprego, a saúde com filas e prazos de atendimento inaceitáveis, falta de água, rodovias em estado precário”.

Auditoria
O senador garantiu que sua primeira ação como governador será dar um choque de honestidade na gestão estadual, realizando uma grande auditoria dos contratos feitos ao longo dos últimos anos.

Candidata
A ex-vice-prefeita de Estância, Adriana Leite (Podemos), será candidata a deputada estadual. Em 2018 ela também foi candidata pelo PRB, e obteve 13.012 votos. Está muito otimista e animada.

Bicentenário
Em virtude das comemorações do Bicentenário da Independência do Brasil, neste ano de 2022, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), adotará um novo formato para as ações da Semana da Pátria.

Apoio
Com o objetivo fortalecer, expandir e democratizar os atos comemorativos nas comunidades e nas escolas, a Seduc dará o apoio necessário para a execução das celebrações, tanto para a realização do desfile cívico nos bairros, como para a promoção de ações de cunho pedagógico, histórico e cultural nas unidades de ensino de forma a valorizar a identidade social do nosso povo.

Sem desfile
A Secretaria de Estado da Educação não vai promover o desfile cívico na Avenida Barão de Maruim, mas vai priorizar os desfiles realizados, tradicionalmente, nos bairros e comunidades. A Subcomissão de Execução da Semana da Pátria da Seduc conjugará todos os esforços no sentido de apoiar e enaltecer os eventos comemorativos.

Escolha
As escolas públicas estaduais terão autonomia escolher a(as) comunidade(s) em que participarão do Desfile Cívico, desde que atendam ao regulamento a ser em breve disponibilizado.

Convenção
Rogério Carvalho anunciou que a convenção para a homologação de sua candidatura será realizada na tarde do dia cinco de agosto, na sede do PT (Av. Barão de Maruim). No final de semana foi realizado o encontro estadual do PT.

Vice
Durante agenda de rua no final de semana, o pré-candidato a governador, Valmir de Francisquinho (PL), indicou a vereadora por Aracaju, Emília Corrêa (Patriota), como sua pré-candidata a vice-governadora. O anúncio foi feito durante reunião, em um evento no bairro Santa Maria, na capital.

Honra
Emília aceitou. “Compor a futura chapa de Valmir é uma honra. É uma grande responsabilidade levar adiante um projeto marcado no trabalho, no exemplo de gestão e na mudança que Sergipe tanto espera. Estou pronta para mais esse desafio”, afirma Emília.

Inelegível
Valmir está inelegível por decisão do TSE. Ele disse que vai recorrer e tem mantido as atividades de campanha.

Substitui
Emília vem sendo apontada como virtual substituta de Valmir, caso a impugnação de sua candidatura seja mantida pela justiça.

Folha
Nesta quarta-feira (27), o Governo do Estado inicia o pagamento da folha salarial de julho. Nesta data recebem os aposentados e pensionistas. Já no dia 28, recebem seus respectivos salários os servidores ativos da Secretaria de Estado da Saúde (SES) e suas fundações, além dos servidores da Educação.

13º salário
As demais secretarias, empresas, autarquias e fundações recebem logo em seguida, no dia 29 de julho. Junto à folha, o Estado paga, também, a primeira metade do 13º salário para os aniversariantes do mês de julho.

Recursos de campanha
O União Brasil, o Partido Liberal (PL), o Republicanos e o Progressistas ajuizaram no Supremo Tribunal Federal (STF) a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 7214 pedindo que seja permitido o repasse de recursos do Fundo Partidário e do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) entre candidatos a cargos majoritários e proporcionais numa mesma circunscrição, ainda que de legendas diversas, desde que coligadas na disputa majoritária.
As siglas apontam que dispositivos da Resolução 23.607/2019 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) proíbem o repasse dos fundos, dentro ou fora da circunscrição, por partidos ou candidatos não pertencentes à mesma coligação e/ou não coligados. Na sua avaliação, a norma invadiu a competência do Congresso Nacional para estabelecer vedação de repasses não prevista na Lei das Eleições (Lei 9.504/1997) e ofendeu a autonomia partidária prevista na Constituição Federal.
As legendas explicam que o pleito municipal de 2020 foi o primeiro depois da proibição de coligações nas eleições proporcionais (deputados e vereadores), sendo ainda permitidas na disputa majoritária (presidente, governador e senador). Por isso, argumentam que a única interpretação possível é que não existe vedação expressa ao repasse de recursos entre candidatos a cargos majoritários e proporcionais de partidos distintos, mas que estejam coligados nas eleições majoritárias na mesma circunscrição, já que efetivamente há coligação, ainda que não para a disputa dos mesmos cargos.

**PUBLICIDADE
Publicidade


Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE
Publicidade


**PUBLICIDADE
Publicidade