Sábado, 06 De Agosto De 2022
**PUBLICIDADE
Publicidade

Tribuna


Avatar

Publicado em 27 de maio de 2022
Por Jornal Do Dia Se


Assassinato
Parlamentares do Partido dos Trabalhadores exigem uma investigação rigorosa sobre a morte de Genivaldo de Jesus dos Santos, 38 anos, asfixiado na tarde de quarta-feira (25) durante abordagem feita por policiais rodoviários federais em Umbaúba (SE).

Doente
Os dois agentes colocaram Genivaldo de forma truculenta na traseira de uma viatura e lançaram um gás no interior do veículo. Genivaldo foi abordado enquanto guiava uma motocicleta e portava no bolso apenas remédios. Ele sofria de transtornos mentais.

Senado
“Polícia Rodoviária aborda um indivíduo, coloca-o no fundo do camburão e mata o indivíduo asfixiado com fumaça. Estou aqui chocado com as cenas. Policial rodoviário federal mata cidadão asfixiado. Fecha a porta do carro, tampa, e mata o sujeito. Isso é um assassinato, feito pela Polícia Rodoviária Federal. Isso é muito grave. Onde estamos?”, afirmou o senador Rogério Carvalho (PT-SE), no Plenário do Senado, na noite de quarta-feira.

Câmara
Os deputados Márcio Macêdo (PT-SE) e João Daniel (PT-SE) usaram a tribuna da Câmara na manhã desta quinta-feira (26) para manifestar indignação.

Violência
“Uma abordagem da Polícia Rodoviária Federal a um cidadão trabalhador, vendedor de rifa, um homem do povo, um homem com descendência na negritude que foi abordado de forma violenta, agressiva e imprudente pela Polícia Rodoviária Federal, fora completamente dos protocolos que exige uma polícia civilizatória”, protestou Macêdo.

Acompanha
O deputado João Daniel anunciou um pedido para que a Comissão de Direitos Humanos e Minorias acompanhe o caso e citou a manifestação dos moradores de Umbaúba. “Ainda estamos querendo entender por que a tortura e morte de um trabalhar à frente de câmeras e da população”, disse Daniel.

Eliane
A vice-governadora Eliane Aquino também reagiu: “Assisti estarrecida às imagens da abordagem desastrosa de uma equipe da PRF que causou a morte de Givanildo de Jesus Santos, no município de Umbaúba, interior sergipano. E me pergunto: até quando assistiremos a cenas assim?”

Nada justifica
“Um homem negro, com deficiência intelectual, que tomava remédio controlado há 21 anos, que tinha 38 anos e uma FAMÍLIA. Nada justifica a violência cometida! Pela honra e respeito que a população nutre pela Polícia Rodoviária Federal, espero que o caso seja apurado e que os responsáveis sejam punidos exemplarmente. Aos familiares de Givanildo, meu sincero sentimento de pesar”, completou a vice-governadora.

Coincidência?
Silvio Santos, dirigente do PT e coordenador da campanha de Rogério Carvalho a governador, foi virulento: “Policiais da PRF, em Umbaúba/SE, fizeram do camburão uma câmara de gás causando a morte de um rapaz negro com transtornos mentais. Qualquer semelhança com o método nazista usado Hitler no holocausto não será mera coincidência”

Se esquiva
O presidente Jair Bolsonaro (PL) tentou se esquivar dos questionamentos sobre a morte de Genivaldo Alves de Jesus, que morreu asfixiado após policiais rodoviários federais jogarem gás no interior da viatura em que ele se encontrava detido.

Compara
Ao ser perguntado sobre o assunto, Bolsonaro disse que iria se “inteirar” do assunto e fez referência a um outro caso, ocorrido no Ceará, que resultou na morte de dois agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), como forma de tentar justificar a violência.

Mortes
“Vou me inteirar com a PRF. Eu vi há pouco, há duas semanas, aqueles dois policiais executados por um marginal que estava andando lá no Ceará. Foram negociar com ele, o cara tomou a arma dele e matou os dois. Talvez isso, nesse caso, não tomei conhecimento, o que tinha na cabeça dele”, disse Bolsonaro, de acordo com o jornal O Globo.

Corporativo
Delegado de polícia, o senador Alessandro Vieira (PSDB) foi corporativo: “O trabalho policial é complexo e arriscado. Exige capacitação e equilíbrio. Nada justifica a sequência de erros que causaram a morte de um cidadão em Umbaúba/SE, durante ação da PRF. Presto total solidariedade aos familiares da vítima e aguardo a posição da justiça sobre o caso”.

Cultura
Durante a sessão do Plenário da Câmara dos Deputados nesta quinta-feira (26), diversos parlamentares aproveitaram a fase de discursos para defender a derrubada dos vetos a duas propostas de incentivo à Cultura: a Lei Paulo Gustavo e a Lei Aldir Blanc 2. A sessão do Congresso para analisar os vetos deverá ser realizada na próxima quinta-feira (2).

Vetos
O deputado João Daniel (PT-SE) afirmou que as propostas são fundamentais para o incentivo à Cultura. “Esta Casa, com a Lei Aldir Blanc, fez algo muito importante, mas nós precisamos concretizar uma política firme e séria para a cultura para o povo brasileiro. Portanto, nós esperamos derrubar o veto”, disse.

Federações
Na sessão administrativa realizada nesta quinta-feira (26), o Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou, por unanimidade, mais dois pedidos de federação partidária.

Formação
O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) e o Partido Cidadania passam a integrar a Federação PSDB Cidadania; e os partidos Socialismo e Liberdade (PSOL) e Rede Sustentabilidade (Rede) passam a compor a Federação PSOL Rede.

A primeira
Na sessão de terça-feira (24), o Plenário aprovou a primeira federação partidária das Eleições 2022, a Federação Brasil da Esperança (FE Brasil), formada pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB), pelo Partido dos Trabalhadores (PT) e pelo Partido Verde (PV).

Presidente da Cobrapol
Nesta quinta-feira (26), Adriano Bandeira (C), presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe (Sinpol/SE), foi eleito presidente da Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol), entidade sindical de instância máxima no país representativa da categoria policial civil.
Representantes de federações e sindicatos de policiais civis das cinco regiões brasileiras estiveram reunidos anteontem (25) e nesta quinta-feira em Brasília/DF para participação no XXI Congresso Nacional da Cobrapol, evento que foi finalizado com as eleições para a gestão da nova diretoria que coordenará as atividades da Confederação sediada na capital federal pelo período de quatro anos.
A disputa ocorreu de forma acirrada, com debates intensos entre grupos divergentes no início desta manhã. Entretanto, ao final do pleito o entendimento majoritário prevaleceu de que Adriano Bandeira deveria ocupar a função de presidente da Cobrapol, em uma chapa que passou a ser única, com vistas ao fortalecimento da categoria policial civil de todo o país.

 

**PUBLICIDADE
Publicidade


Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE
Publicidade


**PUBLICIDADE
Publicidade