Terça, 21 De Maio De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade Publicidade

Prefeitura fomenta 300 projetos culturais em Aracaju com recursos da Lei Paulo Gustavo


Avatar

Publicado em 20 de abril de 2024
Por Jornal Do Dia Se


Para democratizar o acesso aos recursos da Lei Paulo Gustavo na capital sergipana, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), publicou cinco editais de seleção de projetos para destinação dos R$5,7 milhões enviados ao município pelo Ministério da Cultura como ação de fomento ao setor cultural.
Com isso, a Funcaju selecionou 300 projetos a serem custeadas com os recursos da Lei Paulo Gustavo, que garantirá o financiamento de propostas culturais das mais variadas linguagens, fomentando a produção da cultura na capital sergipana.
No momento, a Funcaju finaliza a etapa de recolhimento da documentação dos selecionados. Na sequência, serão aprovados os planos de trabalho para o início da execução da lei. De acordo com o presidente da Funcaju, Luciano Correia, a execução dessa lei proporcionará diversos resultados positivos para Aracaju.
“Significa um aporte financeiro fundamental em cada uma dessas cadeias, e sobretudo na área do audiovisual, porque nunca houve um montante deste porte destinado só a uma cadeia produtiva da cultura. Isso deverá impactar positivamente, porque a própria remuneração dos profissionais incide na profissionalização do mercado. O setor do audiovisual tem se organizado muito nos últimos anos, tem trabalhado cada vez mais nessa perspectiva da profissionalização”, explica.
A Lei Paulo Gustavo tem como objetivo principal o fomento à cultura e à produção artística em caráter emergencial, visando apoiar e fortalecer o setor cultural e criativo, além de promover ações que possibilitem a capacitação e qualificação de profissionais nesse segmento.
Em Aracaju, 70% do montante foi direcionado para a categoria Audiovisual, e os 30% restantes para o edital Demais Linguagens, que abrange diversas segmentos artísticos, incluindo artes cênicas, artes visuais, cultura urbana, música, quadrilhas juninas, cultura popular, capoeira, entre outras.

Protagonismo – O financiamento de projetos culturais pela Lei Paulo Gustavo dará a à produção dos artistas selecionados maior visibilidade. Segundo Luciano Correia, o aporte financeiro advindo dessa lei federal resulta em um aquecimento do setor cultural e deixa o mercado mais instrumentalizado.
“Para além da remuneração de todos os profissionais envolvidos nas cadeias produtivas dessas linguagens, para além da oferta que vamos fazer agora, de inúmeros produtos para a população, com essa lei vamos estar dotando o setor cultural para que ele esteja cada vez mais habilitado a novos editais, seja do poder público ou não, e que possa, inclusive, ir abrindo nichos de mercado na área privada, junto a outras fontes de financiamento da cultura”, avalia.
A sociedade, para além dos artistas e produtores culturais, também é diretamente beneficiada pelo fomento financeiro a esse setor, na medida em que os selecionados entregam à sociedade, como contrapartida, os projetos fomentados, promovendo a circulação da produção cultural da cidade.
Outro aspecto importante é o fato de que esses recursos financeiros injetados no fomento da cultura local também aquecem a economia da cidade como um todo. “São R$ 5,7 milhões que o edital busca circunscrever a sua execução nos limites de Aracaju. Todas as contratações serão feitas aqui, e isso significa um aporte importante, seja na forma de compra direta, ou na remuneração desses profissionais, que vão consumir produtos variados na nossa economia, disse o presidente da Funcaju”, pontua Luciano.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade Publicidade