Domingo, 14 De Abril De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Saúde investiga morte por suspeita de dengue em Aracaju


Avatar

Publicado em 05 de março de 2024
Por Jornal Do Dia Se


Milton Alves Júnior
 
O Governo de Sergipe, por intermédio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), confirmou no início da manhã de ontem que peritos do Sistema Único de Saúde (SUS) estão investigando as causas da morte de um homem, de 61 anos, natural da cidade de Aracaju. Análises primárias indicam que o paciente pode ter enfrentado complicações provocadas pela Dengue; se confirmado, este seria o primeiro caso oficial de morte provocado pela doença neste ano de 2024 em território sergipano. Sobre o caso em investigação, familiares revelaram que o idoso fez uma viagem no final de fevereiro para visitar parentes, e, ao retornar, já apresentava sintomas da doença. O quadro clínico se agravou e o óbito foi constatado na última sexta-feira (1º).
Dados apresentados pelo Painel de Arboviroses do Ministério da Saúde revelaram que somente este ano, até a semana passada, o Brasil contabilizou 258 mortes provocadas oficialmente pelos efeitos da Dengue; até o último domingo 1.038.475 casos prováveis, envolvendo brasileiros em observação, seguiam em análise. Esse monitoramento aos pacientes acontece em unidades de saúde ou em contínuo tratamento residencial. Paralelo a este cenário, o Governo Federal destacou que o número de óbitos pode crescer gradativamente ao longo desta semana em virtude do alto volume de exames em fase de apuração. Na manhã de ontem, o país contabilizava 651 óbitos em investigação – entre eles, o que envolve o idoso sergipano.
A cidade de Aracaju enfrenta infestação geral de 1,0 para a dengue, considerado médio risco para surtos ou epidemias. Já na quarta-feira, 28, o JD destacou a preocupação das secretarias de estado e município da Saúde para o aumento de casos suspeitos e confirmados. Desde o início desta ano o Índice Rápido do Aedes Aegypti (LIRAa), indicou um aumento de 25%; esta crescente ocorre depois que o último estudo realizado no ano passado apontou índice de 0,8, apurado como o menor dos últimos 20 anos. Além de Aracaju, todos os demais 74 municípios sergipanos estão sendo monitorados de forma constante.
No interior sergipano as cidades de Simão Dias (6,4), Japoatã (5,9), Nossa Senhora da Glória (4,2) e Itabaiana (4,0), se deparam com cenário de alto risco. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), em todo o estado, no mês de janeiro foram notificados 360 casos suspeitos da doença; 20 confirmados. Já no ano passado o número de confirmações foi 182 no mesmo período. A expectativa é que um novo levantamento seja realizado nesta primeira semana de março, e apresentado até o próximo dia 20. A apreciação destes levantamentos contribuem – conforme destacado pelas secretarias de estado e municípios da Saúde -, para o mapeamento da doença e ampliação das campanhas preventivas.
 
LIRA a – Com o objetivo de coletar os dados que norteiam as estratégias para o controle e combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, nesta segunda-feira, 4, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), iniciou o segundo Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) de 2024.
Até a próxima sexta-feira (8), os agentes de combate às endemias percorrem os bairros da capital realizando visitas domiciliares, verificando os espaços que possam se tornar possíveis criadouros ou que já tenham a presença de foco do Aedes, a exemplo de água parada em reservatórios, acúmulo de lixo, garrafas, pneus, calhas, vasos de planta, entre outros.
**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade