Quinta, 29 De Fevereiro De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Sem salários, rodoviários do grupo Progresso fazem nova paralisação


Avatar

Publicado em 02 de dezembro de 2023
Por Jornal Do Dia Se


Rodoviários do grupo progresso concentrados na frente da sede das empresas: paralisação toda semana. Foto: Rafael Carvalho/TV Sergipe/G1SE

Foi regularizado no início da tarde de ontem o serviço de transporte público que interliga os municípios que compõem a Região Metropolitana de Aracaju. A reativação do sistema ocorreu cerca de cinco horas após motoristas do grupo Progresso – que abrange as empresas Tropical, Paraíso e Progresso -, terem deliberado pela suspensão das atividades como forma de pressionar o grupo empresarial a quitar a folha de pagamento salarial, bem como a gratificação natalina – 13º salário referente aos anos de 2022 e o deste ano. A ação democrática da classe trabalhadora impactou no fluxo de aproximadamente 80 mil pessoas. A suspensão atingiu 25% da frota nas cidades de Aracaju, Nossa Senhora do Socorro, São Cristóvão e Barra dos Coqueiros.
Na tentativa de suspender a paralisação, uma reunião extraordinária foi realizada entre representantes do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Setransp), Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), Grupo Progresso e do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Aracaju (Sinttra). Durante este encontro ficou acordado que a empresa iria quitar uma parte do salário da folha até a noite de ontem, enquanto a outra parcela até a próxima terça-feira, 5. Além disso, até o dia 7 de dezembro dois tickets alimentação serão pagos; já o pagamento do 13º salário será discutido após dia 8 de dezembro. Caso os acordos não sejam cumpridos, os rodoviários informaram que uma greve pode ser deflagrada por tempo indeterminado.
Diante do impacto provocado pela paralisação dos rodoviários, o superintendente da SMTT, Renato Telles, revelou que buscou solucionar o impasse em tempo recorde. “Acompanhamos as negociações entre a empresa e os trabalhadores e cobramos uma solução imediata para que os ônibus voltassem a operar e atender a população que precisa do transporte para se deslocar. Paralelamente, entramos em contato com as outras empresas e ônibus extras foram colocados em operação para minimizar os prejuízos causados pela paralisação. Importante ressaltar que a Prefeitura vem trabalhando para equilibrar o sistema, que passa por uma crise em todo o país, com a revogação de impostos e agora, com o subsídio que viabilizará o congelamento da tarifa e a requalificação da frota”, informou.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade