Segunda, 15 De Abril De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Alexandre de Moraes relembra combate à desinformação nas Eleições de 2022


Avatar

Publicado em 29 de novembro de 2023
Por Jornal Do Dia Se


“A Corte Eleitoral sofreu ataques inimagináveis [nas Eleições 2022], no intuito da corrosão da democracia, mas em momento algum se abalou com mentiras, notícias fraudulentas, com agressividade institucional e pessoal”, afirmou o ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), durante cerimônia na sede do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (foto). Na ocasião, Moraes foi condecorado com o Colar do Mérito Eleitoral Paulista, na categoria Especial, que homenageia grandes personalidades do mundo jurídico.
Segundo Alexandre de Moraes, em nove décadas de dedicação à democracia brasileira, no último pleito, o TSE e os TREs foram atacados, mas mesmo assim realizaram eleições livres e seguras. “A Justiça Eleitoral fez o que vem fazendo há 91 anos. Organizou as eleições e teve a sensibilidade de verificar que aquele momento era de falar aos eleitores e tranquilizá-los para que pudessem, de forma livre e consciente, escolher seus representantes e aguardar um rápido resultado”, afirmou.
Na visão do presidente do TSE, eleitoras e eleitores que compareceram à votação em outubro do ano passado corresponderam a esse trabalho da Justiça Eleitoral (JE). Em meio às eleições mais polarizadas da história democrática do país, a porcentagem de abstenção se aproximou de anos anteriores. Pela primeira vez, o comparecimento foi maior no segundo turno. Além disso, desde a redemocratização, foi registrado o menor número de votos em branco e nulos.
“[Os dados mostraram] que os eleitores acreditam na Justiça Eleitoral. Quem não acredita não se desloca para a seção, sabendo que a multa é irrisória [em caso de não comparecimento]”, declarou. O presidente do TSE destacou, ainda, o trabalho conjunto, nas Eleições 2022, da Corte Eleitoral com os 27 tribunais regionais e a atuação de juízas e juízes eleitorais em todo o país, bem como do Ministério Público.
O ministro Alexandre de Moraes lembrou ainda do combate à desinformação no último pleito. “O eleitor deve ter acesso às informações mais verídicas possíveis. Ele não pode ser enganado, bombardeado com notícias fraudulentas, cuja finalidade é direcionar o voto para determinado candidato”, afirmou, ao enfatizar que a liberdade de voto deve prevalecer.
O presidente do TSE também ressaltou que a Justiça Eleitoral tem a obrigação de combater essa prática. Segundo ele, a Corte aprendeu a lição. “Evoluímos de 2018 para 2020 e de 2020 para 2022. Continuamos trabalhando e evoluindo para 2024”, disse.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade