Quarta, 19 De Junho De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Aluno de 14 anos esfaqueia o colega na porta da escola


Publicado em 03 de agosto de 2012
Por Jornal Do Dia


Gabriel Damásio
gabrieldamasio@jornaldodiase.com.br

Mais um caso de violência entre adolescentes volta a chocar a população. No final da manhã de anteontem, um adolescente de 15 anos esfaqueou outro rapaz da mesma idade na Rua Aloísio Braga, bairro Suissa (zona sul de Aracaju), na esquina junto ao Colégio Ofenísia Freire, uma das principais escolas particulares da capital. Os envolvidos eram alunos desta escola e estudavam em classes diferentes. A vítima foi internada às pressas no Hospital São Lucas, no São José (zona sul), onde passou por cirurgia e está em observação médica. Já o agressor foi expulso do colégio na tarde de ontem, mas ainda não foi detido pela polícia.

O ataque aconteceu durante a saída dos alunos do Ofenísia e, segundo testemunhas e familiares, foi muito rápido. O estudante ferido passou pelo local de bicicleta e foi abordado pelo outro aluno na esquina da rua.

Sem dizer nada, o segundo sacou uma faca da cintura e acertou um golpe na barriga do primeiro, que mesmo ferido e perdendo muito sangue, conseguiu correr de volta ao colégio. "O menino só não deu mais um golpe no outro porque ele se esquivou e correu. E só não morreu porque o socorro foi rápido: ele foi atacado às 11h30 e ao meio dia já estava na mesa de cirurgia", disse o advogado Augusto Trindade, representante da família do ferido, que foi taxativo ao classificar a ocorrência como "uma clara tentativa de homicídio".

O socorro foi prestado por funcionários e por um coordenador do colégio, que o levou de carro para o São Lucas. Lá, foi constatado que a faca do agressor perfurou o intestino e um dos rins do adolescente. Os médicos afirmam que ele não corre risco de morrer e seu estado de saúde é estável, mas temem por consequências mais sérias. "Eles vão aguardar o prazo de 72 horas após a cirurgia para avaliar se vai ficar alguma sequela, se o funcionamento dos órgãos foi afetado. Vai depender da lesão, da cicatrização, de alguns fatores", informa Trindade. A observação deve durar a tarde de sábado.  

O autor do ataque fugiu do local em meio à confusão que se formou em torno do colégio, por conta do choque e do desespero de alunos, vizinhos e pedreiros que trabalhavam em uma obra em frente ao Ofenísia. Inicialmente, segundo os pais da vítima, o pai do acusado teria minimizado o incidente, dizendo tratar-se apenas de "uma simples briga de escola". Ontem à tarde, a família do agressor informou que ele fugiu de casa e dormiu na casa de um amigo depois que os pais souberam do crime. Disse também que ele tem um temperamento muito agressivo, por conta de um transtorno psicológico, e já passou por tratamento.

Já a família da vítima classifica o outro estudante como "perigoso". O empresário Antônio Carlos Calado, pai do garoto atacado, disse a jornalistas, com base em informações de alunos, que o adolescente não compareceu às aulas da escola naquele dia e passou a manhã "de tocaia" nas ruas próximas ao colégio, esperando que o rival voltasse sozinho para casa. Augusto Trindade acrescenta que o acusado já teve outros problemas com violência. "Ele é perigoso e já deu outros exemplos de violência. Soubemos por outros alunos que esse rapaz já tinha sido expulso do Colégio Dinâmico há algum tempo atrás, porque foi encontrado dentro da sala com uma arma de fogo. E agora, ele foi expulso do Ofenísia", afirmou o advogado.

O motivo do esfaqueamento é desconhecido até da própria vítima. Trindade disse ter ouvido do garoto que o agressor teria, no começo do ano, oferecido drogas para o adolescente, que recusou. "Desde então, ele teria ficado de olho no menino, mas ele mesmo desconhecia isso. É tanto que ele nunca relatou qualquer tipo de ameaça, provocação ou perseguição. Se houvesse, ele denunciaria isso prontamente aos pais e à direção da escola", justifica.  

Quer a apreensão – Um boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia Especial de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), que vai investigar o caso. O advogado da família do estudante anunciou que vai ingressar, a partir de segunda-feira, com diversas ações cíveis e criminais contra o jovem agressor e sua família. "Nós, inclusive, vamos pedir que esse rapaz seja internado no Cenam (Centro de Atendimento ao Menor) até que a apuração da polícia termine. Ele cometeu um crime de tentativa de homicídio, embora a lei brasileira não considere isso um crime, mas sim um ‘ato infracional’", protesta Augusto.  O pedido de apreensão do adolescente deve ser entregue ao Juizado da Infância e Adolescência da Comarca de Aracaju.

O representante disse ainda que o aluno ferido também está abalado psicologicamente, a ponto de os pais decidirem mudar de bairro e transferir o jovem para outro colégio, por conta do medo de ser novamente atacado. A direção do Ofenísia Freire informou ontem que já expulsou o aluno agressor de seus quadros, em uma reunião que teve com os pais dele. A transferência deve ser entregue nos próximos dias.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade