Terça, 21 De Maio De 2024
       
**PUBLICIDADE


Bastidores da Zona Mista da Seleção


Avatar

Publicado em 29 de novembro de 2022
Por Jornal Do Dia Se


Por Kleber Santos

Quando se cobre uma partida da Seleção Brasileira credenciado numa Copa do Mundo podemos acompanhar o jogo na Tribuna de Imprensa ou sentado na arquibancada, e também podemos pós-jogo participar da coletiva de imprensa ou da zona mista na qual os jogadores passam para serem entrevistados pela imprensa.
Contra a Suíça, fiquei na Tribuna ao lado de Cosme Rímoli, do R7, e depois fui para a Zona Mista. Este local, é dividido em três partes: emissoras de TV, Rádio e demais mídias. E nesta última, a prioridade é a imprensa brasileira e depois a estrangeira. Ah, é proibido tirar foto do atleta, selfie e fazer filmagem.
Os escolhidos pela comissão técnica foram Éder Militão, Alex Telles e Bruno Guimarães. Muitos não gostaram das escolhas, mas sem chance de mudar os nomes o jeito foi fazer as perguntas. Houve até jornalista brincando que daria 1 mil QAR (Rial catarense) pra quem perguntasse sobre a pensão alimentícia que Militão estava envolvido na Justiça antes da Copa.
Descontração à parte, diga-se que os três jogadores fizeram suas estreias em Mundial. “Estou feliz por fazer minha estreia em Copa do Mundo, mais feliz ainda pela classificação para as oitavas depois de vencermos um adversário tão difícil… o campo nos atrapalhou, estava ruim, bolas que tocávamos de primeira, tinha que dominar já perdia mais de tempo, mas o mais importante foi que a gente conseguiu os três pontos”, disse Guimarães.
No final das perguntas aos três jogadores, nenhum jornalista quis ganhar 1 mil QAR…

Sergipana aproveita Copa com esposo

A engenheira mecânica, sergipana Renata Sotero, 31, saiu de Perth, Western Australia, com seu esposo paulista, Rander Ferreira, 31, para acompanhar a estreia da Seleção Brasil na Copa. Esta é a segunda Copa visto que em 2014 na realizada no Brasil assistiu uma partida em Salvador.
“Foi uma experiência única ver o jogo do Brasil em Doha. Não dá para comparar com o que fui em Salvador. A gente amou esta experiência e fomos também para a partida da Argentina contra a Arábia Saudita”, disse Renata, que chegou na capital do Catar no dia 19 e voltou no dia 25 para Austrália, onde trabalha numa metalúrgica.
Em Sergipe, torce para o Confiança por conta do seu pai, e na Bahia, onde morou desde os 13 anos, gosta do Vitória. Por sua vez, seu esposo é santista. Mas o que gosta de ver mesmo é a Seleção.

 

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE