Domingo, 26 De Maio De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade Publicidade

Campanha contra trabalho infantil chega aos estádios


Avatar

Publicado em 12 de abril de 2024
Por Jornal Do Dia Se


JOGADORES EXIBEM CAMISA CONDENANDO NO TRABALHO INFANTIL (Divulgação/MPT)

Torcedores do Sergipe e Confiança lotaram a Arena Batistão na primeira partida da final do Campeonato Sergipano, na noite desta quarta-feira (10). E os jogadores dos dois times entraram em campo com uma mensagem importante: Chega de Trabalho Infantil. Pelo terceiro ano consecutivo, eles usaram a camisa da campanha realizada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT). A iniciativa tem o apoio da Federação Sergipana de Futebol (FSF).
De acordo com o Procurador do Trabalho Raymundo Ribeiro, o objetivo da campanha é conscientizar a população acerca da necessidade de erradicação do trabalho infantil. “Precisamos erradicar o trabalho infantil e o MPT adota todas as medidas que lhe são atribuídas, inclusive, campanhas de conscientização para debelar essa chaga social. Crianças e adolescentes devem ser protegidos e preparados para o futuro. Seus lugares são o convívio familiar, a escola, os esportes, a cultura, a música, o lazer, devidamente orientados, e não expostos às ruas trabalhando e vulneráveis a diversos riscos sociais e à saúde. Com esse objetivo, a Federação Sergipana de Futebol está de parabéns ao contribuir com tão importante campanha: #ChegadeTrabalhoInfantil”, enfatizou o Procurador.
Nas últimas edições dos campeonatos de futebol, diversas iniciativas vêm sendo implementadas, com apoio da Federação e da Associação dos Vendedores do Estádio Lourival Batista. “Essa é uma parceria que já dura alguns anos, onde nós estamos conscientizando a população sobre o combate ao trabalho infantil e a sociedade tem abraçado essa causa”, destacou o presidente da FSF, Milton Dantas.

Trabalho infantil – A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua 2022 mostrou que o Brasil tem cerca de 1,9 milhão de crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil. Inclusive, o comércio ambulante está entre as piores formas de trabalho nessa categoria.
No Brasil, é considerado trabalho infantil aquele realizado por crianças ou adolescentes com idade inferior a 16 anos, a não ser na condição de aprendiz, quando a idade mínima permitida passa a ser de 14 anos. Dos 16 aos 18 é possível o trabalho desde que protegido, com carteira assinada, e não exposto a ambientes insalubres, perigosos, penosos, noturno, que atrapalhe os estudos e que exponha o adolescente a locais prejudiciais à sua formação e ao seu desenvolvimento físico, psíquico, moral e social. Casos devem ser denunciados ao MPT-SE, através do site prt20.mpt.mp.br, pelo telefone (79) 3194-4600, através do aplicativo MPT Pardal ou ainda pelo Disque 100.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade