Domingo, 23 De Junho De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Com requintes de massacre, Brasil despacha a Itália e vai à final no vôlei


Publicado em 11 de agosto de 2012
Por Jornal Do Dia


Brasileiros saúdam a torcida no ginásio após a classificação à final olímpica

Se deu para fazer dentro da casa deles, por que não daria para repetir a dose numa Londres verde-amarela? Campeão mundial há dois anos em Roma, eliminando os anfitriões nas semifinais, o Brasil voltou a encontrar os rivais em um grande palco nesta sexta-feira. Mais uma vez, a vitória valia a vaga na decisão, agora das Olimpíadas. Com as cores do país espalhadas pelas arquibancadas, ficou mais fácil se sentir em casa, e a equipe de Bernardinho não decepcionou. Como se não bastasse, desta vez a vitória veio acompanhada de um recital com requintes de massacre. A exemplo das meninas, que passaram à decisão um dia antes, os homens também cravaram seu 3 a 0 (25/21, incríveis 25/12 e 25/21). Resta agora esperar dois dias para, na terceira final consecutiva, lutar pelo terceiro ouro olímpico do vôlei masculino nacional.

A decisão será no domingo, às 9h (de Brasília), contra a Rússia, que o Brasil já atropelou na primeira fase por 3 a 0. Agora, o cenário é diferente, e ninguém acredita em jogo fácil. O SporTV transmite ao vivo, e o GLOBOESPORTE.COM acompanha todos os lances em Tempo Real.

– Eu poderia dizer que o Brasil jogou por música hoje, mas é preciso ter cuidado, senão pode haver algum ruído ali na frente. O importante é que, mais uma vez, o trabalho traz uma recompensa. Após as derrotas, você pensa: "Será que errei em tudo?" Mas a gente acreditou – afirmou o técnico Bernardinho.

No Mundial de 2010, a seleção de Bernardinho despachou os italianos nas semis por 3 a 1, em jogo repleto de rivalidade com direito a frases provocativas dos dois lados. Desta vez, o clima era mais ameno. Com os carrascos Estados Unidos e Polônia eliminados, o Brasil aproveitou a primeira etapa de um caminho teoricamente mais tranquilo. Como se pudesse haver algo realmente tranquilo numa reta final olímpica.

O triunfo em Londres ainda amplia a freguesia dos italianos em relação ao Brasil: este foi o oitavo duelo entre as duas seleções em Olimpíadas, todos com vitória verde-amarela. E o time europeu segue esbarrando na escrita de nunca ter sido campeão olímpico.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE