Sexta, 23 De Fevereiro De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Desarticulado grupo por fraudes eletrônicas em vários estados


Avatar

Publicado em 20 de setembro de 2023
Por Jornal Do Dia Se


Conforme o apurado na operação, o grupo criminoso recrutava pessoas que cediam contas bancárias para participar das fraudes. Fonte: SSP/SE

A Polícia Civil de Sergipe, com apoio da Delegacia de Crimes Cibernéticos da Polícia Civil de São Paulo, deflagrou a Operação Fake Toy na manhã desta terça-feira (19), na Grande São Paulo, desarticulando uma associação criminosa, especializada em fraudes eletrônicas, com atuação em todo o território nacional. A operação teve como objetivo o cumprimento de 12 mandados judiciais, sendo cinco de prisão e sete de busca e apreensão.
Conforme os delegados Bruno Alcântara, da Delegacia Regional de Lagarto, e Matheus Cardillo, da Delegacia Regional de Itabaiana, que estiveram à frente da Operação, que também contou com trabalho da Divisão de Inteligência e Planejamento da Polícia Civil de Sergipe (Dipol), a Fake Toy buscou desarticular um grupo que se especializou em aplicar golpes por meio de anúncios referentes à venda de veículos infantis, incluindo carros, motos e quadriciclos elétricos. Os produtos eram divulgados por meio de uma rede social.
Ainda segundo o que foi apurado, os compradores, oriundos de vários estados, eram vítimas de um esquema fraudulento, pois realizavam as compras e nunca recebiam os produtos pelos quais haviam pago. O prejuízo estimado para as vítimas em Sergipe alcança a cifra de aproximadamente R$ 200 mil.
“Empresários do estado de Sergipe manifestaram interesses em adquirir esses produtos e passaram a negociar com os criminosos. A partir de determinado momento, já com prejuízo financeiro notado, eles observaram que foram vítimas e procuraram as delegacias de Lagarto e Itabaiana para notificar essa situação. A partir de então se iniciou essa investigação conjunta”, citou o delegado Matheus Cardillo.
O delegado Bruno Alcântara, que coordenou a parte operacional da investigação, destacou que o inquérito policial foi instaurado há um ano e sete meses, inicialmente focando em vítimas nas cidades de Lagarto e Itabaiana, em Sergipe. Durante a operação, as autoridades conseguiram apreender diversos aparelhos que eram utilizados para as práticas delituosas, bem como documentos e outros objetos que desempenharão um papel crucial nas próximas fases da investigação.
“De acordo com as investigações, que iniciaram há um ano e sete meses, tratam-se de crimes praticados via plataforma digital, através da plataforma, tendo várias vítimas em diversos estados do país. Constatamos as vítimas de Sergipe na cidade de Lagarto e Itabaiana”, falou o delegado Bruno Alcântara.
Conforme o apurado na operação, o grupo criminoso recrutava pessoas que cediam contas bancárias para participar das fraudes. Até o momento, já existe a confirmação de que aproximadamente 30 pessoas forneceram contas à quadrilha.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade