Domingo, 14 De Abril De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade Publicidade

Edição comemorativa do projeto Arrudiar levou visitantes à cidade de São Cristóvão


Avatar

Publicado em 20 de março de 2024
Por Jornal Do Dia Se


Em comemoração aos 169 anos da mudança da capital, voltamos no tempo vivendo o presente. No último sábado (16), véspera da mudança da capital, o projeto Arrudiar, realizado pelo Instituto Banese, através do Museu da Gente Sergipana, promoveu uma viagem imersiva à cidade de São Cristóvão, aquela que outrora fora a capital de Sergipe.
Por meio de um passeio pelas ruas estreitas, imponentes e ao mesmo tempo discretas da cidade histórica foi possível conhecer fatos, lugares e personagens imprescindíveis no cenário da mudança da capital, ocorrida em 1855. Visitando por dentro ou passando em frente às igrejas, praças, museus e casarios que lá existem foi possível saber o quanto essas obras significam no âmbito da arquitetura e da história.
Dentre as personalidades marcantes da cidade, estão João Bebe Água, Lourival Batista e Irmã Dulce, sobre quem o grupo teve a possibilidade de saber mais. As conexões criadas entre o passado e o presente fizeram toda a diferença para entender melhor a relevância histórica e cultural da queijada, do bricelet e do Festival de Artes de São Cristóvão, comprovando que a memória faz o agora.
O responsável por essa contextualização histórica, cultural e educativa é o historiador e professor Osvaldo Neto. Por meio de seus roteiros e falas, e na companhia da guia de turismo Jaqueline Rito, ele promove a conscientização, identificação e preservação do patrimônio cultural, em consonância com a proposta do projeto.
“O Arrudiar é um compromisso do Instituto Banese e do Museu da Gente Sergipana com a preservação da memória e com a educação patrimonial do povo sergipano. Em um ano de projeto nós entendemos melhor a importância de tantos lugares do nosso estado. E sábado, em um trajeto só, passamos por mais de 434 anos de história da cidade mãe de Sergipe. No Arrudiar entendemos o valor do nosso povo e só assim construímos um futuro melhor. Parabéns, Aracaju. Parabéns, Arrudiar”, comemora Osvaldo.
A diretora de Programas e Projetos do Instituto Banese, Celiene Lima, reforça o caráter educativo e conscientizador do projeto Arrudiar que há um ano cumpre seu papel.
“O projeto nasceu da possibilidade de imersão na história e na cultura do nosso estado por acreditarmos que só conhecendo conseguimos valorizá-lo e preservá-lo. Enfim, chegamos a um ano dessa proposta com sucesso de público e mais que isso, com pessoas mais conscientes e apaixonadas pela história de Sergipe. Brindamos um ano com uma edição significativa que nos levou de volta a um lugar onde tudo começou e que é marcante na história do nosso estado. Desejamos que o Arrudiar proporcione ainda mais descobertas e identificação”, destaca Celiene.
Além de comemorar os 169 anos de Aracaju, com o tema ‘São Cristóvão antes e depois da mudança da capital’, o momento celebrou o aniversário de um ano do projeto Arrudiar.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade Publicidade