Quinta, 18 De Julho De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Filas para comprar milho na Ceasa


Publicado em 23 de junho de 2012
Por Jornal Do Dia


As vendas de milho e outros produtos juninos aumentaram com a chegada do São João

Ontem o movimento nas barracas de fogos de Aracaju já foi maior

SE DEPENDER DOS ARACAJUANOS, A TRADIÇÃO DE ACENDER FOGUEIRA NA VÉSPERA DE SÃO JOÃO SERÁ MANTIDA E VENDAS DISPARAM

As vendas de milho e outros produtos juninos aumentaram com a chegada do São João

Milton Alves Júnior

Como já era esperado, sergipanos deixam para última hora e enfrentam filas para comprar alimentos tradicionais no mês de junho. Durante todo o dia de ontem, centenas de clientes foram à Central de Abastecimento de Sergipe (Ceasa) em busca de bons produtos e por melhores preços. De fato, produtos de qualidade estavam à venda, porém os preços continuavam em alta. Devido à falta de chuva no interior sergipano, o milho comercializado em Aracaju teve que ser adquirido no Estado de Pernambuco, e 50 espigas são vendidas ao preço de R$ 28, tanto no Ceasa como no Mercado Albano Franco, centro de Aracaju.
Para a aposentada Neide Alcântara, a saída é comprar o produto em pequena quantidade. Segundo ela, noite de São João sem milho cozido ou assado não é a mesma coisa. "Você já viu mesa típica sem a presença do milho? Pra mim é a mesma coisa que não botar minha fogueira na porta. Todos os anos eu compro o milho para São João e São Pedro, mas esse ano irei reduzir e acho que nem um bolo eu irei preparar", disse.
O mercado central recebeu um maior número de clientes interessados produtos juninos. Além de sergipanos, turistas também compravam farinha para preparo de beiju de tapioca, castanha do Pará, queijo coalho e pé de moleque. "Acho que aqui eu posso encontrar de tudo e com uma variedade maior  comparado com outros locais da cidade. Sem falar no clima do Forró Caju que transpira positivamente", ressaltou o contador Maurício Menezes.

Fogos – As barracas de fogos instaladas no Bairro Coroa do Meio são um dos atrativos para quem gosta das cores e estouros causados pelos artefatos. Willians Barreto conta os minutos que faltam para soltar os tradicionais fogos fabricados no município de Estância. "Eles são fortes, bonitos e ao mesmo tempo perigosos. Mesmo assim, esse é o meu prazer e vim aqui justamente parar comprar e escolher calmamente essas espadas", alegou o jovem que ‘brinca’ com esse tipo de produto há mais de cinco anos.
A fogueira de São João sem dúvida é o produto mais procurado na área das barracas de fogos. O comércio desse produto é sinônimo de lucro, ao menos para Francisco dos Santos. "É uma tradição secular de gerações para gerações. Vendo as fogueiras há mais de 30 anos, e tenho clientes que, antes crianças, agora já trazem até os filhos. Os preços não subiram, e isso agrada a todo mundo que vem aqui", informou.
Os preços das fogueiras variam entre R$ 15 e R$ 150, a depender do tamanho e formato do produto. Com a lenha sendo extraída no município de Itaporanga d’Ajuda, algumas fogueiras foram encomendadas com mais de dez dias de antecedência.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade