Sexta, 19 De Julho De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

INCA estima 830 casos de câncer de próstata este ano em Sergipe


Publicado em 27 de outubro de 2023
Por Jornal Do Dia Se


Urologista Rodrigo Tonin faz um alerta.

Sabe aquele ditado: é melhor prevenir, do que remediar? Ele se aplica perfeitamente para os homens, quando o assunto é prevenção ao câncer de próstata, o segundo tipo de câncer que mais mata homens no Brasil, estando atrás, somente, do câncer de pulmão. Dados do Ministério da Saúde mostram que em Sergipe, no ano de 2021, a cada 100 mil homens, 15,60 morreram em decorrência da doença.
De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), em 2023, cerca de 71 mil brasileiros serão diagnosticados com a doença, deste total, 870 estarão em Sergipe, e 230 deles, em Aracaju. O diagnóstico “cedo” da patologia permite uma boa taxa de cura da doença, como explica o médico urologista Rodrigo Tonin. “Por isso existe o novembro azul, para chamar a atenção dos homens para esse problema, porque, no geral, somos mais difíceis de irmos a consultas médicas”, comenta.
Esse tipo de câncer é mais comum em homens com idade acima de 50 anos, portanto, esta é a idade para que as idas ao urologista se tornem constantes (uma vez ao ano). Porém, para aqueles que possuem histórico da doença na família, ou integram os grupos com maior propensão à doença, como os negros, o rastreio da doença deve começar mais cedo, entre os 40 e 45 anos de idade.
Estudos mostram que afrodescendentes do sexo masculino têm diferenças moleculares em várias etnias, e o organismo mais sensível à ação da testosterona, favorecendo o surgimento da doença.
Por isso, enfatiza o médico, a necessidade de fazer o rastreio da doença através dos exames PSA (pelo sangue) e de toque retal, dentro do tempo correto, pois quanto mais cedo o câncer de próstata for diagnosticado, maiores as chances de cura.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade