Quarta, 19 De Junho De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Mesmo proibida, professores do estado decidem manter paralisação


Publicado em 23 de maio de 2024
Por Jornal Do Dia Se


(Divulgação)

Professores da rede estadual de ensino deliberaram – por unanimidade -, pela continuidade da paralisação por três dias, de todas as atividades pedagógicas realizadas nas instituições escolares. A manutenção dos atos públicos ocorre mesmo após o Poder Judiciário, por intermédio de protocolo assinado pelo desembargador Roberto Eugenio da Fonseca Porto, atendendo um pedido liminar apresentado pelo Governo do Estado, por intermédio da Procuradoria-Geral do Estado de Sergipe (PGE-SE), para suspender o movimento; uma multa orçada em R$ 50 mil foi definida em caso de desrespeito à ordem. Pela direção do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica do Estado de Sergipe (Sintese), a notificação emitida pelo Tribunal de Justiça (TJSE), não foi entregue até o início da manhã de ontem.
Reunidos em frente ao Palácio Governador Augusto Franco – Palácio dos Despachos -, em Aracaju, a categoria voltou a pressionar o Poder Executivo Estadual para atender as pautas apresentadas pela classe trabalhadora. Conforme o JORNAL DO DIA vem destacando ao longo dos últimos dois meses, os profissionais da educação pedem o descongelamento das gratificações – a exemplo da Gratificação de Tempo Integral (GATI) -, o triênio e as fixas reajustáveis; o pleito está direcionado ainda para a garantia na recuperação salarial dos professores; as melhorias nas condições de trabalho e nas estruturas das escolas; retorno de auxílios e a convocação do concurso público para a rede.
“Nós não fomos notificados, portanto a paralisação está mantida. O que a gente recebeu de informação na última audiência é que o governo não tinha nada a ofertar aos professores em relação à nossa pauta de reivindicação. O que a gente espera com esses três dias de paralisação é que o governador reabra a negociação e apresente proposta efetiva para o magistério”, destacou o presidente do Sintese, Professor Roberto Silva. O representante sindical enalteceu ainda o pedido para o imediato retorno dos auxílios internet e tecnológico e realização de concurso público, que não ocorre há 12 anos. Em nota pública, a Secretaria de Estado da Educação e Cultura (Seduc), se manifestou sobre o conflito.
“O que foi acordado entre o Governo e o Sintese está rigorosamente cumprido. Foi de grande importância a construção e consolidação desse diálogo desde 2023 que resultou nos avanços para os profissionais do magistério. Foram amplas reuniões, ouvimos atentamente as demandas, apresentamos cálculos e a Seduc sempre esteve de portas abertas para receber a categoria. A reestruturação da carreira foi uma vitória construída com muito diálogo e com decisões pensadas no coletivo. Sergipe já paga acima do piso nacional do magistério, com respeito aos limites da administração pública para que o professor tenha ganhos reais”, informou a pasta, destacando que a administração estadual permanece interessado em manter o diálogo aberto, transparente e respeitoso com a categoria.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade