Quarta, 17 De Abril De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

PF faz buscas em Aracaju em endereço da Braskem


Avatar

Publicado em 22 de dezembro de 2023
Por Jornal Do Dia Se


Denominada operação “Lágrimas de Sal”, agentes da Polícia Federal cumpriram, no início da manhã de ontem, um mandado de busca e apreensão na capital sergipana, Aracaju. Conforme revelado parcialmente pela Superintendência Regional da corporação federal, em Sergipe, a ação busca elucidar pontos referentes à apuração dos crimes cometidos na exploração de sal-gema na cidade de Maceió, que ocorreu de 1976 a 2019. Além da ordem direcionada para um endereço em Aracaju, por decisão expedida pela Justiça Federal de Alagoas, ao todo foram procedidos 13 mandados judiciais de busca e apreensão, dos quais 11 na capital alagoana, Maceió; e outros dois no estado do Rio de Janeiro.
“As consequências da exploração de sal-gema vão desde instabilidade no solo a riscos de desmoronamento de casas e ruas, além do encerramento de todo o comércio na região. Bairros como Pinheiro, Mutange, Bebedouro e adjacências, se tornaram inabitáveis. Os parâmetros de segurança que não foram seguidos, visavam garantir a estabilidade das minas e a segurança da população que residia na superfície”, oficializou a Polícia Federal por intermédio de comunicado compartilhado com a imprensa nacional. As áreas impactadas pela extração se tornaram inabitáveis, tendo em vista os riscos de desmoronamento de casas, ruas e fechamento do comércio, levando mais de 60 mil pessoas a terem que deixar os bairros.
Para atender a ordem expedida pela Justiça Federal, foram escalados cerca de 60 profissionais da Polícia Federal. O nome da Operação Lágrimas de Sal é referência ao sofrimento causado à população pela atividade de exploração de sal-gema. De acordo com as apurações feitas até a tarde de ontem, foram identificados indícios de apresentação de: “dados falsos e omissão de informações relevantes aos órgãos públicos responsáveis pela fiscalização da atividade, permitindo assim a continuidade dos trabalhos, mesmo quando já presentes problemas de estabilidade das cavidades de sal e sinais de subsidência do solo acima das minas”. Estas informações foram confirmadas pelo Governo Federal e estão disponíveis na Agência Brasil.
Em nota, a Braskem informou que está acompanhando a operação e que está à disposição das autoridades, “como sempre”. “Todas as informações serão prestadas no transcorrer do processo”, acrescentou a empresa.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade