**PUBLICIDADE
Publicidade

Sergipe anuncia novo treinador: Paulo Schardong


Publicado em 21 de maio de 2024
Por Jornal Do Dia Se


Depois da saída de Marcelo Martelotte, o Sergipe não perdeu tempo. A diretoria correu atrás e já anunciou nesta segunda-feira, o nome o novo treinador: Paulo Schardong está sendo esperado em Aracaju e deve estrear no comando alvirrubro, no clássico contra o Itabaiana. Paulo Schardong é muito conhecido na região, tem passagem pelo futebol sergipano, pois treinou, o Carmópolis e seu último clube foi o Sousa-PB.
Dirigentes rubros informaram que Schardong é esperado no João Hora de Oliveira na terça-feira para ter o primeiro contato com o grupo e iniciar os trabalhos no time rubro.
Schardong tem 52 anos e acumula passagens por clubes como Ji-Paraná-RO, Barbalha-CE, Novo Esporte Ipatinga-MG, Democrata GV-MG e Carmópolis. A passagem mais recente foi pelo Sousa-PB, onde foi campeão paraibano e eliminou o Cruzeiro na Copa do Brasil.
O técnico Paulo Schardong surpreendeu durante a semana passada ao pedir demissão do Dino. Ele anunciou a saída citando questões pessoais como motivação.
O treinador deve estrear no comando alvirrubro no clássico contra o Itabaiana marcado para o próximo domingo, às 16h, no Barretão, pela quinta rodada do Grupo A4 da Série D.
Esperado – O novo técnico do Sergipe, Paulo Schardong, já está pegando a estrada com destino a Aracaju. O treinador, estava no Sousa-PB, onde foi campeão estadual, com uma campanha de reabilitação. Quando foi anunciado no Dinossauro, a equipe estava uma posição acima da zona de rebaixamento, com apenas três pontos em três jogos.
Após a chegada de Schardong, o Sousa deslanchou e finalizou a primeira fase do Paraibano na 4ª colocação. Na semifinal, eliminou o Treze, e na decisão se sobressaiu ao Botafogo-PB e conquistou a taça.
Na Copa do Brasil, o treinador levou a equipe até a terceira fase, eliminando Cruzeiro e Petrolina, e acredita que essa experiência possa ajudar. Ainda sem vencer na Série D do Campeonato Brasileiro, o Sergipe é apenas o sétimo colocado do grupo A4, com apenas um ponto.
– O que me motivou a aceitar é a grandeza do Sergipe, da torcida e, principalmente, porque é um trabalho desafiador. No último trabalho que eu estava, também peguei uma situação bem difícil e a gente, principalmente o grupo de jogadores, conseguiu entender o que eles poderiam fazer e acabamos revertendo uma situação bem adversa – disse.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE