Domingo, 16 De Junho De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Sergipe recolhe 1.740 armas de fogo em um ano


Publicado em 10 de julho de 2012
Por Jornal Do Dia


ARMAS DEVOLVIDAS

Reunião analisa relatório da campanha de desarmamento

Em um ano, Sergipe recolheu 1.740 armas de fogo. A informação consta em um relatório elaborado pelo Comitê Sergipano do Desarmamento em Favor da Paz e entregue na manhã de ontem ao secretário-adjunto da Segurança Pública, João Batista Santos Júnior, como parte das comemorações ao Dia Internacional do Desarmamento.

O relatório mostra a quantidade de armas apreendidas pelas policias Civil, Militar a as entregues pela população de forma espontânea ao longo dos meses da campanha nos postos de recebimento das Policias Civil, Militar, Federal e Rodoviária Federal.

De acordo com o coordenador do comitê em Sergipe, Fábio Costa, a campanha tem obtido bons resultados, porém a população precisa esquecer a cultura de se guardar uma arma em casa. "Estamos superando os números a cada ano de campanha, mas poderíamos ter resultados ainda melhores se a população se conscientizasse da importância de não guardar uma arma em casa. Elas pensam que assim estão seguras, um ledo engano, pois em um momento de descuido pode acontecer acidentes com essas armas, ferir ou até tirar a vida de alguém", ressaltou.

3º no Nordeste – A mobilização nacional, que tem como um dos objetivos mudar a cultura armamentista entre agentes públicos, a exemplo de policiais, colocou Sergipe como o segundo estado do Nordeste e o terceiro do Norte/Nordeste em recolhimento voluntário de arma de fogo.

De maio de 2011 a maio de 2012, os postos de recolhimentos voluntários da polícia receberam 295 armas de fogo entregues de forma voluntária pela população. Outro dado animador é que no mesmo período da pesquisa, as Polícias Civil e Militar intensificaram as incursões policiais e apreenderam 1.445 armas de fogo. Foram 1.065 armas apreendidas no interior do Estado e 380 na capital. "Somando as armas entregues espontaneamente com as apreendidas pela polícia, temos 1.740 armas de fogo retiradas das ruas", explicou o professor Nailson Correia, representante da Comitê Sergipano do Desarmamento.

O secretário-adjunto João Batista confirmou que o simples fato de uma pessoa ter uma arma de fogo em casa não é garantia de segurança. "Arma de fogo tem que ser utilizada pela polícia, por pessoa habilitada.

Às vezes essa arma pode se virar contra o seu dono porque o bandido muitas vezes entra numa casa somente atrás de uma arma. O objetivo de muitos bandidos é roubar armas de fogo para cometer novos crimes. A sociedade precisa se conscientizar de que a arma de fogo não traz segurança por si só. O que a sociedade precisa saber é que a melhor maneira de se proteger é denunciar pelo 181 onde a polícia pode apreender uma arma ilegal", ressaltou Batista.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade