Segunda, 15 De Abril De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Sergipe tem mais de 700 casos de dengue somente este ano


Avatar

Publicado em 28 de fevereiro de 2024
Por Jornal Do Dia Se


AGENTES DE COMBATE ÀS ENDEMIAS VISTORIAM CASA ABANDONADA; NO ESTADO JÁ SÃO 742 CASOS PROVÁVEIS SOMENTE ESTE ANO (Ascom/SMS)

Milton Alves Júnior

Um levantamento desenvolvido pelo Painel de Monitoramento das Arboviroses, publicado na manhã de ontem pelo Ministério da Saúde (MS), indica que no estado de Sergipe foram contabilizados 742 casos prováveis de dengue entre o mês de janeiro e o último dia 16. Sem registro de óbito ou internação em estado grave, o coeficiente de incidência da dengue no estado é de 33,6 casos para cada 100 mil habitantes; os pesquisadores enaltecer que os cenários podem mudar em curto prazo, e, para minimizar o risco de gravidade proporcionada pelo mosquito Aedes aegypti, a população e as gestões públicas precisam ampliar as ações preventivas. A pesquisa buscou analisar o perfil dos pacientes que decidiram buscar acolhimento em unidade de saúde.
Entre os casos prováveis no estado, 52,3% são de mulheres e 47,7% de homens. A faixa etária dos 30 aos 39 anos segue respondendo pelo maior número de casos de dengue, seguida pelo grupo de 40 a 49 anos e de 50 a 59 anos. Na edição do dia 07 de fevereiro, o JORNAL DO DIA destacou que a cidade de Aracaju enfrenta infestação geral de 1,0 para a dengue, considerado médio risco para surtos ou epidemias. O Índice Rápido do Aedes Aegypti (LIRAa), indicou um aumento de 25%; o último estudo realizado no ano passado apontou índice de 0,8, apurado como o menor dos últimos 20 anos.
No interior sergipano as cidades de Simão Dias (6,4), Japoatã (5,9), Nossa Senhora da Glória (4,2) e Itabaiana (4,0), se deparam com cenário de alto risco. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), em todo o estado, no mês de janeiro foram notificados 360 casos suspeitos da doença; 20 confirmados. Já no ano passado o número de confirmações foi 182 no mesmo período. A expectativa é que um novo levantamento seja realizado na primeira semana do próximo mês de março, e apresentado até o final da primeira quinzena. A apreciação destes levantamentos contribuem – conforme destacado pelas secretarias de estado e municípios da Saúde -, para o mapeamento da doença e ampliação das campanhas preventivas.

Prevenção – De acordo com o Ministério da Saúde, para combater a proliferação do mosquito é essencial eliminar o criadouro. “É fácil e pode ser feito em pouco tempo, adotando ações simples do cotidiano. Evitar água parada em pneus, latas e garrafas vazias sempre é importante, assim como cuidar as plantas e vasos, potes e outros objetivos que acumulam água. Realizar a limpeza regular da caixa d’água e sempre mantê-la fechada, com tampa adequada também entra nesta lista. O cuidado com a sua residência, terreno e lote vai fazer a diferença no combate à doença. Outro ponto citado por especialistas é a verificação das calhas, retirando por exemplo folhas, galhos e tudo que possa impedir a água de correr por elas”, publicou.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade