**PUBLICIDADE
Publicidade

Trabalhadores suspendem vigília em porta de fábrica


Publicado em 10 de fevereiro de 2024
Por Jornal Do Dia Se


Depois de quatro dias de mobilização, trabalhadores da empresa Dok Calçados decidiram suspender a vigília erguida na principal via de acesso ao polo comercial. A ação teve como principal objetivo impedir que máquinas fossem retiradas da unidade e vendidas. Conforme destacado pela direção do Sindicato dos Trabalhadores de Calçados de Frei Paulo, a empresa está em recuperação judicial desde o mês de fevereiro do ano passado, e, sendo assim, qualquer máquina só pode ser retirada da fábrica com o acompanhamento de um administrador judicial. Presidente da entidade sindical, Roney Clécio garantiu que novas manifestações podem ser realizadas em breve caso os profissionais avaliem necessário a fim de garantir os respectivos direitos trabalhistas.
“Essas máquinas seriam vendidas, mas diante da pressão, a empresa informou que serão transferidas para uma outra unidade. O administrador judicial já foi informado. Num possível fechamento, essas máquinas são a garantia de que o trabalhador vai receber sua rescisão”, informou. O início da vigília ocorreu em virtude de os trabalhadores terem sido informados que o comprador das máquinas estava no local. Além disso, o sindicato alegou que os número de patrimônio das máquinas – algo semelhante a chassi de veículos -, foram arrancados, com o intuito de que o maquinário não fosse localizado em caso de venda. Indícios indicam que as máquinas serão transferidas para a unidade localizada em Birigui, estado de São Paulo.
Sobre a mobilização dos funcionários, por intermédio de nota pública o Grupo Dok noticiou que: “respeita a liberdade de expressão e ressalta que sua gestão tem feito grandes esforços para conciliar o interesse comum de geração de renda e sustentabilidade do negócio. Além disso, reforça que todas as medidas que vem sendo adotadas têm sido conduzidas de forma legítima, conforme estabelecido pela legislação. A empresa garante que está aberta ao diálogo para aclarar qualquer inferência a respeito do transporte de parte de suas máquinas e esclarece que, como medida para acelerar pagamentos, optou por locar os ativos que se faziam ociosos na unidade de Frei Paulo (SE).”
O comunicado esclareceu ainda que: “entretanto, houve desistência do locatário devido às manifestações ocorridas na noite passada, 9 de fevereiro, e as máquinas estão sendo transportadas para manutenção na unidade de Birigui (SP), para possível uso ou alienação à outra fábrica local. O Grupo Dok enfatiza que está à disposição para quaisquer esclarecimentos dos colaboradores, sindicato ou qualquer outra parte interessada.”

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade