Sexta, 23 De Fevereiro De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

TSE inicia ciclo de audiências públicas sobre resoluções eleitorais


Avatar

Publicado em 24 de janeiro de 2024
Por Jornal Do Dia Se


Na abertura do ciclo de audiências públicas nesta terça-feira (23), voltado a coletar propostas de aprimoramento das resoluções das Eleições Municipais de 2024, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebeu como proposta a realização de auditoria nos algoritmos das redes sociais utilizadas no Brasil. A audiência pública foi conduzida ontem pela vice-presidente do TSE, ministra Cármen Lúcia, relatora das instruções.
De autoria do advogado e pesquisador da área de Direito Digital Fernando Rodrigues Peres, a sugestão foi apresentada no início do segundo tema da audiência, que tratou da minuta sobre os procedimentos de fiscalização e auditoria do sistema eletrônico de votação. Segundo Fernando Peres, o objetivo da auditoria é permitir um conhecimento sobre o emprego ou não de algoritmos que possam propagar informações passíveis de burlar normas relacionadas ao processo eleitoral.
O pesquisador manifestou preocupação quanto ao uso da inteligência artificial (IA) nas eleições de outubro e os impactos sobre candidatas e candidatos e o eleitorado. Fernando sugeriu que as auditorias sejam realizadas por entidades e auditores independentes, conveniados com a Justiça Eleitoral.
A minuta que trata dos procedimentos de auditoria e fiscalização das urnas eletrônicas e dos sistemas eleitorais apresenta, entre outros pontos: alterações relacionadas ao aumento de sistemas auditados pela Justiça Eleitoral e fixação do prazo de início e término do período de análise de sistemas eleitorais desenvolvidos pelo TSE.
O texto estabelece, ainda, que até 6% das urnas de votação e de contingência preparadas para cada zona eleitoral poderão ter a integridade e a autenticidade verificadas durante a Cerimônia de Preparação. As alterações também ampliam a documentação colocada à disposição das instituições autorizadas a fiscalizar o processo eleitoral após a totalização dos votos. Outra importante mudança contida no texto determina que a realização do Teste de Integridade com Biometria seja aplicado em todas as capitais do país.
A instrução também passa a estabelecer que procedimentos administrativos não previstos na Resolução TSE nº 23.673/2021 e ações que questionarem o funcionamento dos sistemas de votação ou de apuração só serão admitidos com a apresentação de indícios substanciais de anomalia técnica atestados por profissional habilitado, sob pena de aplicação de multa quando constatada atuação temerária ou litigância de má-fé.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade