Segunda, 26 De Fevereiro De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Um morto e 12 presos em operação contra o tráfico de drogas


Avatar

Publicado em 27 de janeiro de 2024
Por Jornal Do Dia Se


Operação foi realizada nos municípios da Grande Aracaju (Divulgação)

Milton Alves Júnior
 
Doze pessoas foram presas e uma morreu no início da manhã de ontem durante uma operação policial deflagrada pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE), na região da Grande Aracaju, sobretudo na capital sergipana e no município de Barra dos Coqueiros. De acordo com a Superintendência da Polícia Civil, os são investigados por organização criminosa, lavagem de dinheiro e tráfico de drogas; durante a ação 15 automóveis foram apreendidos. Denominada Operação Lockdown, conforme destacado pela SSP, os trabalhos seguiam procedendo sem registros de intercorrências, até o momento em que um dos investigados reagiu com disparos de arma de fogo à ordem de prisão, foi baleado e morreu. A identidade não foi revelada até o fechamento desta matéria.
Sem apresentar detalhes sobre este processo, o delegado Ataíde Alves – responsável por conduzir as investigações -, revelou que há meses o setor de inteligência da Polícia Civil tem monitorado o grupo, inicialmente com base em denúncias anônimas apresentadas à Segurança Pública sergipana. Atualmente diretor do Departamento de Narcóticos (Denarc), o delegado destacou que todo o movimento criminoso circulava em torno do comércio de entorpecentes. A delegada Andrezza Cavalcanti segue protagonista na análise deste caso. Conforme destacado pela servidora, a operação também foi baseada em relatórios de investigação financeira. Por ela, foi informado que os estudos permanecem por tempo indeterminado. A relação contendo a identidade das 12 pessoas presas também não foi divulgada.
“Em que aprecem conectados cada um dos investigados em transações bancárias. Com essas informações, solicitamos as decisões judiciais contra as principais pessoas envolvidas com a organização criminosa. As investigações continuam, e os bens ficarão indisponíveis até que seja comprovado a fonte pagadora, de onde vieram esses valores. A investigação irá continuar, e estamos fazendo novos levantamentos sobre envolvidos e sobre bens”, disse Andrezza Cavalcanti. A operação foi autorizada pelo Poder Judiciário, e recebeu o apoio da Polícia Militar (PMSE), agentes da Guarda Municipal de Aracaju (GMA), da Divisão de Inteligência (Dipol), e do Laboratório de Tecnologia contra Lavagem de Dinheiro.
**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade