Quarta, 17 De Abril De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Um único médico acompanha 55 crianças em maternidade


Avatar

Publicado em 27 de dezembro de 2023
Por Jornal Do Dia Se


A Maternidade Nossa Senhora de Lourdes tem poucos médicos (Divulgação)

Milton Alves Júnior

A direção da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), por intermédio direto da Secretaria de Estado da Saúde (SES), revelou no início da manhã de ontem que vem realizando o credenciamento para médicos obstetras, neonatologistas e pediatras com a perspectiva de incluí-los na grade funcional do Sistema Único de Saúde (SUS), entretanto, observa que não há adesão de profissionais nesse processo. O contraponto apresentado pela Pasta faz referência às denúncias apresentadas pelo Conselho Regional de Medicina de Sergipe (Cremese), o qual realizou vistoria na manhã da última sexta-feira (22), e identificou que a maternidade contava com apenas um profissional neonatologista para atender 55 crianças. Esse volume de responsabilidade é 500% à mais do adequado.
Conforme destacado pelos fiscais do Conselho de Medicina, um pediatra neonatal deve atender até dez pacientes críticos. De acordo com a vice-presidente do Cremese, Ana Jovina Barreto, esta não é a primeira vez que o Conselho decide interditar eticamente a maternidade por desfalques nas escalas médicas e sobrecarga das equipes. No último mês de setembro, a primeira interdição foi protocolada após profissionais denunciarem a falta de médicos e sobrecarga das equipes da unidade; nos meses de abril, junho e agosto deste ano os fiscais já haviam constatado o problema. Por 48h a unidade ficou restrita ao atendimento para pacientes de alto risco, procedido por ginecologistas, obstetras e neonatologias. Por decisão judicial, a intervenção ética foi derrubada.
“Não tem como um profissional sozinho prescrever, evoluir, cuidar das intercorrências, admitir pacientes que tenham necessidade de entrar em UTI. Sergipe tem a primeira maior mortalidade infantil do Nordeste, terceira maior do Brasil. Essa assistência inadequada pode ser uma das causas”, declarou Ana Jovina Barreto. O JORNAL DO DIA destaca que no mês de julho, a autarquia já havia notificado a Direção Técnica da maternidade concedendo o prazo de 30 (trinta) dias para a correção das irregularidades. A falta de médicos inviabiliza o exercício da medicina no estabelecimento, colocando sob risco ético os médicos e demais profissionais de saúde que lá trabalham e expondo os pacientes a riscos pelas limitações que envolvem a assistência.

Nota – A nota emitida pela Secretaria de Estado da Saúde informa que o Governo de Sergipe: “vem realizando o credenciamento para médicos obstetras, neonatologistas e pediatras, entretanto, não há adesão de profissionais nesse processo. Com edital ativo desde setembro de 2023, o credenciamento tem como objetivo atender a necessidade da manutenção de serviços assistenciais da rede para suprir o déficit de médicos. Neste novo processo, o valor por hora trabalhada aumentou de R$ 150 para R$ 200, com intuito de atrair os profissionais. Ainda é importante ressaltar que a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes é uma unidade porta aberta, que recebe gestantes por demanda espontânea, reguladas e encaminhadas, sejam elas de alto risco ou de risco habitual.”

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade