Quarta, 17 De Abril De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

De punho próprio


Avatar

Publicado em 27 de dezembro de 2023
Por Jornal Do Dia Se


Um pioneiro(Divulgação)

Rian Santos
 
Eu não sei quem foi Jackson da Silva Lima. O leitor deste Jornal do Dia, é muito provável, também não. 
A memória da literatura realizada em Sergipe tem tantos buracos quanto uma boa lasca de queijo coalho. Escritores, pesquisadores das letras, leitores curiosos, todos carecem de nomes, obras, dados, datas. As cerimônias pomposas dos círculos eruditos se ocupam do suposto prestigio dos próprios convivas, jamais se atém ao mais importante.
Antes das tais Academias de Letras se multiplicarem por estas bandas com a mesma velocidade e ainda menor proveito do que as igrejas, as farmácias, as padarias de esquina, Jackson da Silva Lima ousou redigir uma História da Literatura Sergipana (1971). De punho próprio. Imagine-se o esforço e a dedicação exigida para levar o projeto a bom termo, ainda mais em um contexto de fontes escassas. Mas ele assim o fez.
Contra todas as circunstâncias, o livro existe. E não há outro capaz de se equiparar com o trabalho assinado por Jackson da Silva Lima, atestam pesquisadores de alto coturno. Trata-se aqui, o leitor atente, de pensamento genuíno. Ou alguém acredita que a professora Beatriz Góis Dantas tomaria a palavra para defender um farsante, um intelectual sem lume? 
Nos próximos dias, evento raro, inteligência e poder político renderão as homenagens devidas ao sujeito, um ensaísta, crítico e pesquisador sem igual, justamente na abertura do Encontro Cultural de Laranjeiras.
Ponto para a Funcap, promotora do tradicional simpósio. Desta vez, em lugar de fantasmas com vestes roídas por traças, eles tratam da obra de um sergipano, um pioneiro, homem de carne e osso.
**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade