Quarta, 17 De Abril De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Unidade de Saúde na Atalaia tem risco de desabamento


Avatar

Publicado em 27 de abril de 2013
Por Jornal Do Dia


O balde no meio da sala de recepção recebe água que escorre da laje

Pacientes e funcionários da Unidade de Saúde da Família Antônio Alves, na Atalaia, denunciam risco de desabamento de uma laje com infiltrações. Segundo informações de servidores do posto, a Defesa Civil Municipal foi acionada há dois meses e informou a necessidade de interdição do prédio, mas o funcionamento continuou normalmente colocando em risco a vida dos usuários e funcionários.

De acordo com o coordenador do órgão, coronel Reginaldo Moura, a informação de interdição não procede, mas ele admite que o prédio está funcionando em condições precárias.
"Fizemos uma vistoria no local e não existe a necessidade de interditar, mas se uma manutenção não for feita futuramente isso poderá acontecer", frisou o militar, acrescentando que a chuva que tem caído no estado pode estar causando transtornos, mas não existe risco de desabamento e nem risco de morte.
O coronel alertou que a população realmente fica atenta a qualquer sinal de ruptura ou deslizamento de terra. "Que as pessoas verifiquem sinais, deixem todas as documentações em local de fácil acesso e saiam dos locais. Procurem um lugar seguro", orientou coronel Reginaldo Moura.

SMS – O Departamento de Comunicação da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que a unidade de saúde realmente está funcionando precariamente, mas não existe possibilidade de fechar, pois medidas reparatórias estão sendo tomadas. Além disso, segundo a coordenadora da Ascom, Cristina Rochadel, a única unidade que precisou ser interditada foi a Osvaldo Leite.
"Lamentavelmente recebemos as 43 unidades de saúde do município todas sucateadas e sem manutenção. Com as chuvas, o acúmulo das águas causaram alguns transtornos", colocou Cristina, ressaltando que técnicos, juntamente, com a equipe de engenharia estiveram no posto de saúde e constataram que o problema é com parte do forro que foi construído sem desnível, com isso, as águas não tem por onde escoar. (Monique Oliveira)

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade