Domingo, 23 De Junho De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Alunos do Guajará perdem 60 dias de aulas


Publicado em 21 de maio de 2024
Por Jornal Do Dia Se


Dos 200 dias letivos, definidos de forma estratégica pelo Governo Federal, por intermédio de intelectuais do Ministério da Educação (MEC), dezenas de estudantes matriculados em escolas localizadas no loteamento Guajará, Nossa Senhora do Socorro – região metropolitana de Aracaju -, já perderam aproximadamente 60. Ciente do problema que atinge a evolução pedagógica das crianças e adolescentes, a administração municipal da cidade destacou que a falta de água é o principal motivo para o transtorno educacional. Alvo das críticas, pela direção da Companhia de Abastecimento de Sergipe (Deso), foi informado que estudos estruturais foram realizados na comunidade, onde identificou que a rede de abastecimento apresenta sucessivos pontos irregulares, além de inadequada.
Técnicos da estatal sergipana revelaram que ao longo dos últimos dez anos toda a região foi loteada por empresas particulares os quais indicavam que os terrenos possuem rede de água e esgoto; ao se deparar com a ausência deste sistema, populares começaram a construir instalações sem qualquer estudo de viabilidade técnica. Esta ação teria contribuído para agravar o problema. Foi observado ainda que, devido a quantidade de ligações clandestinas, impactos começaram a interferir no abastecimento da área. Na tentativa de minimizar os problemas, a Deso garantiu que carros-pipas estão sendo enviados todas as semanas com a missão de manter os serviços básicos; a prioridade são as unidades de saúde.
Já pela prefeitura de Nossa Senhora do Socorro foi esclarecido que, também na busca pela solução parcial do problema, a Secretaria Municipal de Infraestrutura está realizando obras em ruas do Loteamento Guajará, fruto de um convênio firmado com o Governo Federal, no valor geral de R$ 300 milhões. Deste montante, o Poder Executivo municipal destinou R$ 95 milhões para a região. Sobre o cumprimento do período letivo não houve demonstração das estratégias. Responsável por conduzir a pasta da Educação, a secretária municipal Josevanda Franco informou que tem mapeado as aulas suspensas com a finalidade de respeitar a legislação brasileira. Não foi descartada a possibilidade de transferir os estudantes para outras unidades escolares.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade