Domingo, 23 De Junho De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Após denúncia, fuga e rebelião no Cenam


Publicado em 25 de julho de 2012
Por Jornal Do Dia


Mais uma vez foi preciso a ação da tropa de choque da PM para conter rebelião no Cenam

Gabriel Damásio
gabrieldamasio@jornaldodiase.com.br

Aumenta a crise nas unidades do Centro de Atendimento ao Menor (Cenam). Na manhã de ontem, durante uma paralisação de advertência convocada pelos agentes socioeducativos e assistentes sociais da Fundação Renascer, uma nova rebelião dos internos aconteceu dentro da Unidade Socioeducativa de Internação Provisória (Usip), e só foi controlada após a chegada de soldados do Batalhão de Choque da Polícia Militar (BPChq). Durante o tumulto, um adolescente fugiu pelo telhado. Foi a sétima intervenção policial nas unidades socioeducativas em cerca de dois meses, sendo seis na Usip e uma no próprio Cenam.

A rebelião começou quando internos de uma das alas quebraram uma parede com uma grade que foi arrancada pelos próprios rebeldes, iniciando um tumulto. Segundo o tenente-coronel Jackson Nascimento, comandante de Policiamento da Capital, a ação dos internos foi rápida e surpreendente. "É impressionante a maneira como eles agem. Em questão de cinco segundos, eles conseguiram arrancar uma grade de ferro muito pesada e jogá-la contra a parede, formando um buraco enorme. Eles são profissionais nisso", disse.

Um grupo de 10 agentes que estava de plantão conseguiu conter os internos e foram reforçados pelos policiais, que já estavam na porta do Cenam para fazer a segurança do protesto dos agentes. Houve um princípio de confronto entre adolescentes e os agentes. Dois internos e um agente ficaram levemente feridos e receberam atendimento médico. Um dos adolescentes conseguiu subir no telhado e pulou em um matagal nos fundos da Usip, conseguindo escapar do cerco montado pela polícia. Para o coronel, o trabalho dos agentes e a presença prévia dos policiais foram fundamentais para evitar uma fuga em massa da unidade.

O novo incidente aconteceu dois dias depois de a Usip ter sido mostrada em uma reportagem do programa "Fantástico", da Rede Globo, sobre maus-tratos em unidades socioeducativas de vários estados brasileiros.

Na reportagem, um interno aparecia isolado em uma ala usada como "solitária" e passava o tempo dobrando papéis, como punição por seu envolvimento em uma rebelião passada. As imagens da Globo também mostraram que a ala não tinha banheiro, o que obrigava o infrator a usar, como privada, as "quentinhas" de alumínio usadas no almoço.

As denúncias repercutiram nacionalmente e também na manifestação de ontem. O diretor do Sindicato dos Assistentes Sociais de Sergipe (Sindasse), Anselmo Menezes, afirma que a única atividade educativa dos internos do Cenam e da Usip é dobrar papel. "Não há uma política de recuperação para esses jovens. Os internos produzem peças, vasos e artesanatos de papel sozinhos. Tentamos ao máximo ser criativos, mas já são seis anos que estamos trabalhando e não houve nenhuma capacitação para os profissionais", denunciou o diretor.

Os agentes reclamam das más condições de trabalho, dos baixos salários e da falta de um Plano de Cargos e Salários, também reivindicado pelos agentes sociais. Segundo os profissionais, o cargo de assistente social não está sendo reconhecido. "Desempenhamos atividades de assistente social, mas o nosso cargo está como educador social, o que não corresponde às atividades desempenhadas", relatou Anselmo. Também são reivindicados o pagamento de 16 horas trabalhadas, contrato, horas extras e feriados, além da gratificação para escola e auxílio alimentação.

Respostas – A Fundação Renascer informou que já tem conhecimento das atividades do Sindasse e vai aguardar até o fim da paralisação para retomada de negociações. Por meio de nota, a diretoria executiva do órgão diz que foi surpreendida com a paralisação, "uma vez que na reunião do dia 5 de julho os representantes do Sindasse concordaram e assumiram o compromisso de aguardar o prazo solicitado". A nota também afirma que "os esforços para atender as reivindicações, que são amplas e requerem planejamento, estão sendo feitos", bastando para isso "manter o diálogo que foi aberto com a Seides e Fundação Renascer".

Já sobre os incidentes ocorridos no Cenam e na Usip, uma nota divulgada na segunda-feira pela Renascer frisou que "o sistema socioeducativo de Sergipe não pode ser refletido apenas pelas imagens exibidas no ‘Fantástico’", e esclareceu que as imagens foram gravadas depois de uma das tentativas de fuga recentes da Usip, onde alas foram depredadas. "Por conta da reforma imediata para a recuperação das alas, os adolescentes foram transferidos, de forma provisória, para outros espaços da unidade", diz a nota, garantindo que "situações provisórias demandam uma rotina diferenciada e o não cumprimento desta rotina por parte dos funcionários daquele plantão será apurado através de uma sindicância". (Com Cândida Oliveira)

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade