Quinta, 22 De Fevereiro De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Busca Ativa Escolar resulta na rematrícula de 6.200 crianças


Avatar

Publicado em 12 de setembro de 2023
Por Jornal Do Dia Se


e acordo com os dados da Plataforma de Busca Ativa, no ano de 2022, 1.908 crianças e adolescentes foram matriculados em Sergipe. Foto: Igor Matias

O Governo retomou a adesão à estratégia de Busca Ativa Escolar com a campanha ‘Fora da Escola Não Pode!’, protagonizada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e pela União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), com o apoio do Colegiado Nacional de Gestores Municipais da Assistência Social (Congemas). Para que a estratégia ganhe mais força, uma série de atividades tem ocorrido por meio da Secretaria de Estado da Educação e da Cultura (Seduc), a exemplo da articulação em rede dos diversos autores da Educação, Saúde, Justiça, Ação Social e dos Direitos Humanos, nas esferas estadual e municipais.
De acordo com os dados da Plataforma de Busca Ativa, no ano de 2022, 1.908 crianças e adolescentes foram matriculados em Sergipe. Em 2023, o número de matrículas deve superar o ano anterior, já que, até o mês de agosto, 1.652 crianças e adolescentes retornaram às escolas. Desde que Sergipe aderiu à proposta, em 2018, 6.216 crianças e adolescentes voltaram às salas de aula.
A oficial de Educação do Unicef Brasil e da coordenação nacional da Busca Ativa Escolar, Daniella Rocha, destacou que Sergipe foi um dos primeiros estados a retomar a adesão à Busca Ativa Escolar, sendo que 100% dos municípios sergipanos aderiram à iniciativa. “Isso mostra o compromisso que a Secretaria de Estado da Educação tem em fomentar a adesão e a implementação nos municípios, monitorando os dados, dando apoio técnico e capacitação para esse conjunto de municípios. Com essa readesão, o estado tem chances de aumentar ainda mais esse atendimento integrado entre as duas redes, municipais e estadual”, avaliou.
A coordenadora nacional Danielle Rocha ainda explica que o Unicef trabalha de maneira a integrar as estratégias de busca ativa escolar e as trajetórias de sucesso escolar, por entender que uma questão impacta na outra. “Exclusão e fracasso escolar fazem parte de um mesmo ciclo, porque a criança ou adolescente que repete muito abandona a escola, está na distorção idade/série, tende cada vez mais a se desvincular da escola, até que essa desvinculação vá se tornando uma exclusão permanente. A gente precisa olhar para o ciclo do fracasso, que vai desde o acesso até as questões de aprendizagem”, afirmou.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade