**PUBLICIDADE
Publicidade

DEIXEM CAMPOS NETO FAZER SUA PASSAGEM EM PAZ


Publicado em 29 de junho de 2023
Por Jornal Do Dia Se


* Rômulo Rodrigues

Humanamente é isso que se recomenda para todos e todas que estão em estado terminal.
Roberto Campos Neto é neto do entreguista e golpista de primeira hora para a implantação da ditadura militar de 1964, que sempre teve como objetivo anexar o Brasil aos Estados Unidos da América, na condição de colônia.
A campanha desencadeada pela mídia entreguista e bolsonarista que teve sucesso com a falsa premissa de independência do Banco Central, atendeu aos interesses do capital financeiro, contra os interesses da soberania brasileira e, Campos Neto é, tão somente, um testa de ferro de toda a armadilha para sequestrar o crescimento econômico do País.
A tática utilizada por ele é manter alta a taxa Selic para estrangular a capacidade de recuperação da economia, que precisa ganhar velocidade para que a inclusão do povo no orçamento se transforme no motor de partida da economia após o desastre provocado pelo governo fascista a quem ele serviu e serve em pensamentos, palavras e ordem.
A glória suprema no momento tenso da luta de classes, no Brasil e no mundo, será alcançada por quem vencer no quesito economia, e o Brasil vai bem internamente e externamente.
Internamente, o Banco Central do traidor Campos Neto está se tornando obsoleto em face do sucesso das medidas econômicas aplicadas pela dupla, Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Haddad vistas nas subidas da Bolsa de Valores e nas descidas da inflação, no preço da cesta básica, dos combustíveis, do botijão de gás, do nível de satisfação do povo, na maior prova de que o golpe da tal independência do Banco Central foi tirá-lo do controle de quem tinha voto para dar a quem especula e faz agiotagem, que nada produz e se sustenta nas narrativas midiáticas, pagas por quem tira vantagens das mentiras diárias.
Do ponto de vista externo as indicações não são nada boas para ele. As ações programáticas do presidente Lula tem provocado uma corrida de pretendentes a ingressarem no Banco Brics para negociações comerciais com moedas regionais, enfraquecendo o eterno fomentador de guerras chamado dólar, patrono de Campos Neto.
O anuncio do Brasil Voltou, já foi suficiente para que a ascensão de Dilma Rousseff à presidência do novo banco fosse capaz de atrair mais de 20 novos pretendentes.
No campo adversário, prioritariamente, está se configurando o enfraquecimento do até então homem mais forte do banditismo político que é Artur Lira, cujo passado, o condena e muito.
A lei do retorno já está soprando no seu cangote com o Kit Robótica que é real e deverá provocar um estrago maior do que o Kit Gay, irreal, que ele propagou com má fé contra Fernando Haddad na campanha presidencial de 2018.
A economia com bons índices de crescimento, Artur Lira sob pressão e o enfraquecimento do Campos Neto, formarão o que está na Geometria de Euclides; em três pontos não em linha reta no espaço, passa um plano e somente um. E o plano é o Brasil de Volta.
Outros antigos reis do baralho que já estão em processos de quedas nunca dantes imaginadas são: Dallagnol já cassado, a quadrilha do TRF-4, Sergio Moro provável futuro cassado e Jair Bolsonaro inelegível.
Lá pelas bandas do TRF-4, pilar de sustentação das atrocidades do império judicial de Curitiba o presidente Thompson Flores não compareceu à posse do seu substituto em represália por Moro não ter sido convidado para a cerimônia. Ele, os três desembargadores e três juízes comparsas do agora senador pelo Paraná, foram todos defenestrados.
Pena que vão ser aposentados e continuarão recebendo salários para gastarem enchendo as caras em festas de cuecas para sufocarem suas vergonhas.
Por falar em vergonha, não deve ser um sentimento que afete o morto vivo do BC ao ver circular em redes sociais a fotografia do avô se curvando subalternamente ante o primeiro ditador do golpe militar de 1964, general Castelo Branco, para atestar seu servilhismo.
Sendo que é assim que caminha a parte podre da humanidade de Roberto Campos Neto e sua escória social, saudemos o réquiem do digno representante da massa cheirosa e brademos: Vade retro, neto de satanás.

* Rômulo Rodrigues, sindicalista aposentado, é militante político

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade