Terça, 23 De Julho De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Justiça determina seleção de membros para o Mecanismo de Prevenção e Combate à Tortura em SE


Publicado em 07 de outubro de 2023
Por Jornal Do Dia Se


A Justiça Federal atendeu pedido do Ministério Público Federal (MPF) e determinou, em caráter liminar, que o Estado de Sergipe conclua o processo de seleção de três membros do Mecanismo Estadual de Prevenção e Combate à Tortura (MEPCT). O prazo para conclusão da seleção é até 25 de novembro deste ano, data em que se encerra o mandato do Comitê Estadual de Prevenção de Combate à Tortura. Compete aos integrantes do MEPCT realizar visitas a estabelecimentos prisionais e de custódia com a finalidade de prevenir e combater a tortura.
Proposta em agosto deste ano, a ação judicial foi necessária após inúmeras tentativas extrajudiciais do MPF para que o Estado de Sergipe criasse o MEPCT. Desde 2018, o órgão ministerial acompanha as medidas adotadas pelo ente para implementar o Sistema Estadual de Prevenção à Tortura, previsto na Lei federal 12.847/2013 e na Lei estadual 8.135/2016. Em 2021, com a mobilização do MPF e de outros órgãos públicos – por meio da realização de reuniões e audiências públicas e envio de ofícios – foi concretizada a criação do Comitê Estadual de Prevenção de Combate à Tortura em Sergipe. O comitê é composto por sete membros com mandato de dois anos. Entre as suas atribuições está a coordenação da seleção dos membros do Mecanismo.
Na ação, o MPF expõe a preocupação de que, passados quase dois anos desde a formação do Comitê Estadual, ainda não houve a implantação do MEPCT em Sergipe. “Uma vez esgotado o prazo do mandato dos membros do Comitê Estadual de Combate à Tortura sem a formação do Mecanismo Estadual, haverá grave prejuízo para a sociedade, já que a instalação deste se mostrará ainda mais longínqua, eis que o processo terá que ser reiniciado do zero, através de novo processo de seleção para nova composição do próprio Comitê, para só então retomar o andamento da formação do Mecanismo”, diz trecho da ação.
No fim do ano passado, unidades prisionais e do sistema socioeducativo de Sergipe receberam inspeção do Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura, que elaborou relatório apontando situações graves de violação de direitos humanos que vão desde superlotação, privação de água e banho de sol, falta de itens básicos de higiene e de assistência à saúde. No documento também constam relatos de violência física e psicológica.
Como destacado pelo Juízo da 1ª Vara Federal de Sergipe na liminar, após a publicação do Relatório de Inspeção, em março de 2023, foram expedidas diversas recomendações pelo Mecanismo Nacional às autoridades públicas de Sergipe, entre as quais, ao governo do Estado, a fim de que implementassem o Mecanismo Estadual de Prevenção e Combate à Tortura.
Para o MPF, a formação do Mecanismo Estadual vai viabilizar a ampliação da efetividade no combate e na prevenção da tortura, tendo em vista a sua atuação mais próxima e constante junto aos locais de privação de liberdade.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade