Domingo, 23 De Junho De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Laje desaba, fere 54 pessoas e destrói carros, Onze carros ficaram destruídos


Publicado em 13 de julho de 2012
Por Jornal Do Dia


Os carros que estavam no pátio ficaram totalmente destruídos

ONTEM DE MANHÃ O CENÁRIO DO ACIDENTE ERA DE DESTRUIÇÃO. ALÉM DOS 54 FERIDOS, CARROS TAMBÉM FORAM DANIFICADOS

Ontem de manhã, curiosos paravam para observar o posto de lavagem onde ocorreu o acidente

Técnicos da defesa Civil vistoriam o prédio

Na avenida, Samu presta socorro a uma das vítimas

Cândida Oliveira
candidaoliveira@jornaldodiase.com.br

Uma laje desabada, 54 pessoas feridas e um cenário de destruição, esse foi o saldo para torcedores do Palmeiras que assistiam ao jogo da final da Copa do Brasil 2012, na noite da última quarta-feira, 11, em um ponto de encontro de palmeirenses, localizado na Avenida Augusto Franco, no bairro Siqueira Campos, em Aracaju.

O que era para ser comemoração se tornou uma tragédia, para aproximadamente 250 torcedores que assistiam ao jogo. Homens, mulheres, crianças e até uma grávida estavam no local, que funcionava acima de um lava jato. O espaço desabou após o primeiro gol do time. "Os organizadores pediram para que ninguém pulasse, mas por causa do gol, ninguém se conteve", contou um torcedor que não quis se identificar.

Para alguns vizinhos, o acidente poderia ser evitado. "A laje estava comprometida porque vinha caindo aos pedaços e o dono foi alertado várias vezes, mas nunca tomou qualquer tipo de providências", disse um vizinho.

Socorro – Segundo o coordenador do Samu, Leonardo Coelho, 54 pessoas foram atendidas. A avenida precisou ser interditada para o atendimento das pessoas. "Recebemos o chamado que era em torno de 50 vítimas no desabamento, a maioria com lesões leves, essas foram levadas para os hospitais municipais da Zona Sul e Leste. Os que estavam em estado mais grave foram levados para o Hospital de Urgência de Sergipe" relatou o médico.

Foram enviadas ao local oito ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), com equipes formadas por médicos, além de cinco viaturas do Corpo de Bombeiros, sendo uma de busca e salvamento, duas de combate a incêndio e duas ambulâncias de atendimento pré-hospitalar. O Corpo de Bombeiros disponibilizou também 20 militares das unidades de Aracaju e Nossa Senhora do Socorro.

De acordo com Boletim Médico do Huse, permanecem no hospital, a fim de identificar possíveis fraturas, Elinara Silva Santos, 17 anos, que apresentou corte na testa, arranhões na perna, rosto e pescoço, mas passa bem; Denilson de Araújo Santos, 20 anos, teve escoriações nas pernas e braços e também passa bem; Jonatas Andrade Silva Junior, 23 anos, queixou-se de dores na costela, apresenta escoriações nas pernas, mas passa bem, e Carlos André dos Santos Souza, 31 anos, que apresentou escoriações nas pernas, face e braços, mas passa bem.

Já tinham recebido alta: Luciano Alan Santos Bonfim, 23 anos; Roberto Ferreira Leonardo, 19 anos; Tiago Péricles Santos, 27 anos; Bárbara Rolemberg Silva Mota, 22 anos.

A Secretaria Municipal de Saúde liberou relação contendo nomes de parte dos pacientes que receberam atendimento médico na rede municipal de saúde. A Assessoria só liberou uma relação com 24 nomes, alegando, conforme informou a assessoria, que os pacientes solicitaram para não ter o nome divulgado.

Onze carros ficaram destruídos

Pela manhã o local estava interditado, e 11 carros danificados estavam no lava jato. Segundo representantes do Corpo de Bombeiros, o local não cabia tantas pessoas. A laje não tinha cobertura e estava encharcada de água. Técnicos da Defesa Civil verificaram internamente que pontos da laje que já estavam fragilizados antes do desabamento.

A proprietária do lava jato que fica no térreo, Elisângela dos Santos, relatou que tanto o proprietário do local como o inquilino já havia sido avisado sobre o problema da laje, mas nada tinha sido resolvido. "Só vai ser resolvido agora, infelizmente por causa da queda", observou ela.

O advogado do lava jato, Breno Silva, vai acionar a justiça. "Já fomos à delegacia registrar o Boletim de Ocorrência. Vamos procurar a justiça e aciona os prejuízos causados, porque eles são muitos", avisou.

O coordenador da Defesa Civil de Aracaju, Nicanor Moura, esteve no local com representantes da Empresa Municipal de Obras e Urbanização e da Defesa Civil Estadual. "Houve imprudência, superlotação, com a sobrecarga, a laje que estava fragilizada não suportou e desabou".

Sobre o alvará de funcionamento que toda a construção tem obrigação de possuir, ele não soube informar se o documento existe. "Toda a construção tem obrigação de ter autorização da Emurb e do Crea".

Autorização – A Superintendência de Trânsito e Transporte de Aracaju (SMTT) tinha conhecimento do evento e determinou a interdição do tráfego de veículo pela avenida Rio de Janeiro e de parte da rua Nunes Mendonça. O major Paulo Paiva, diretor de trânsito, revela que o órgão recebeu a solicitação para interrupção do tráfego de veículos no local por meio de ofício entregue pessoalmente pelo presidente da Associação Família Palmeiras, Leomax Andrade Lima.

No ofício, a Associação informava que Sergipe receberia vários torcedores do Palmeiras e que o local seria palco de grande aglomeração. "Fomos ao local e percebemos que havia possibilidade e nós fechamos o trânsito naquele trecho em razão de segurança, mas o desvio do tráfego não tem ligação com a tragédia", assegura o major.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade