Quinta, 25 De Julho De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Licitação não resolve transporte, diz Nunes


Publicado em 12 de agosto de 2012
Por Jornal Do Dia


O candidato do PV Reynaldo Nunes

Chico Freire
chicofreire@jornaldodiase.com.br

Em entrevista ao Jornal do Dia, o candidato do PV à Prefeitura de Aracaju, Reynaldo Nunes, diz que o problema do transporte público  não será resolvido pela licitação. Para ele, tanto o Plano Diretor quanto a licitação dos transportes já deveriam ter sido feitos há muito tempo. "Ambos têm de ser transparentes e com ampla fiscalização da comunidade e dos órgãos de fiscalização. Qualquer ato que venha a causar prejuízo ao aracajuano ou ao nosso meio ambiente tem de ser anulado pelos meios legais", avisa.
Com relação à Zona de Expansão, Reynaldo diz que é urgente frear o crescimento desordenado naquela região, provocado pela especulação imobiliária.
Como forma de frear a especulação imobiliária, o candidato pelo PV anuncia a criação da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Sustentabilidade, que terá como tarefa a realização do licenciamento e a fiscalização ambiental em Aracaju, promover um Plano de Arborização da Cidade e um Projeto de Despoluição do Rio Sergipe e, principalmente,  ir em busca de recursos federais e internacionais para a execução desses projetos.
Veja a íntegra da entrevista.

Jornal do Dia – Por que o senhor quer ser prefeito de Aracaju?
Reynaldo Nunes – O PV em Aracaju já lançou candidatos majoritários em 1988, 1996 e 2000, nunca participamos da administração municipal e sempre tivemos uma postura crítica em relação à falta de compromisso das diversas administrações com as questões ambientais em Aracaju. Hoje, depois do ótimo desempenho do PV nas eleições presidenciais com Marina e com a crescente conscientização do aracajuano em relação à necessidade de transformar Aracaju numa cidade sustentável,  nos levou à decisão de apresentar uma alternativa nova nessas eleições. Decidimos então lançar chapa própria com o professor e advogado Evaldo Campos como vice e uma chapa de 23 candidatos a vereador.

JD – Aracaju tem grandes gargalos, entre eles o sistema de transporte coletivo, a questão do estacionamento no centro da cidade. Como buscar reverter essa situação e atender melhor os anseios da população e do centro comercial?
RN – O transporte público é um dos principais problemas da nossa capital, seja na qualidade ou nas altas tarifas. É possível dotar a cidade de um sistema organizado e eficiente a um preço acessível. Vamos implantar o Sistema de Transporte Rápido por Ônibus, os corredores serão projetados para que, no futuro, a estrutura seja adaptada para a implantação de Veículo Leve sobre Trilhos – VLT, instalação de novas estações e abrigos para os usuários. Temos que dar prioridade ao pedestre, ao ciclista e melhorar o transporte coletivo para incentivar o aracajuano a deixar seu veículo em casa. Mudando o modelo de transporte existente, diminuirão os carros transitando no centro da cidade e consequentemente a necessidade de mais estacionamentos.

JD – A Prefeitura vem realizando o processo licitatório do transporte coletivo e ao mesmo tempo a Câmara já vem discutindo e aprovando emendas para o Plano Diretor. O candidato a prefeito do DEM, João Alves Filho, tem dito que, sendo eleito prefeito, vai anular a licitação do transporte coletivo e o Plano Diretor. Como  senhor vê essas colocações do seu adversário político?
RN – O problema do transporte público não vai ser resolvido pela licitação. Tanto o Plano Diretor quanto a licitação dos transportes já deveriam ter sido feitos há muito tempo. Ambos têm de ser transparentes e com ampla fiscalização da comunidade e dos órgãos de fiscalização. Qualquer ato que venha a causar prejuízo ao aracajuano ou ao nosso meio ambiente tem de ser anulado pelos meios legais.

JD – Há um desgaste muito grande em Aracaju por parte do governo do Estado e também um desgaste por parte do prefeito Edvaldo Nogueira. Até que ponto isso pode vir a ser favorável a sua candidatura?
RN – Existe a rejeição por grande parte dos aracajuanos de um modelo de administração que não tem encontrado soluções para os problemas da nossa cidade. Mostraremos que só com uma administração sustentável poderemos melhorar a qualidade de vida da população de Aracaju.
 
JD – Uma das grandes reclamações da população tem sido com a lentidão da conclusão das obras. O que fazer para mudar isso?
RN – O que falta em Aracaju é planejamento. Pensar a cidade como um todo, com o objetivo maior de melhorar a qualidade de vida do aracajuano. Primeiro temos que parar e pensar que cidade que queremos, a da especulação imobiliária ou uma Aracaju sustentável. Com esse planejamento saberemos que obras serão necessárias em nossa cidade, e com um melhor gerenciamento fiscalizar e cobrar a conclusão delas dentro do prazo previsto.
JD – A Zona de Expansão de Aracaju será um dos grandes desafios para as próximas administrações. Quais são os planos do senhor para aquela região que vem crescendo de forma desordenada?
RN – É urgente que seja freado o crescimento desordenado naquela região, provocado pela especulação imobiliária. Condomínios fechados foram construídos, aterrando lagoas fundamentais para o escoamento das águas na região. Além do planejamento urbano, vamos levar os serviços municipais principalmente para a população mais carente da região.
 
JD – Como na sua administração caso venha ser eleito prefeito vai ser tratada a saúde do município que tem sido alvo de criticas?
RN – Melhorando a gestão na saúde, diminuindo cargos em comissão e investindo nos profissionais concursados.  É fundamental
qualificar os processos de gestão, melhorando o rendimento e a efetividade da administração pública, de forma a conseguir implementar políticas que impactem positivamente o perfil da saúde e a qualidade de vida das populações. Criação de um Hospital Municipal. Investir na saúde preventiva, saúde é bem estar físico, moral e emocional. É qualidade de vida.

JD – Como o senhor avalia as acusações que são feita pelo candidato Almeida Lima, de que se busca fazer negociatas no processo eleitoral?
RN – Vamos utilizar nosso programa de TV para mostrar o projeto de uma Aracaju sustentável que possibilite melhor qualidade de vida para o aracajuano. Não usaremos nosso espaço para críticas pessoais a nenhum candidato. Quanto às acusações de negociatas no processo eleitoral, cabe ao Ministério Público e à Justiça Eleitoral uma fiscalização rigorosa com a devida punição aos eventuais culpados.

JD – O Poder Público está inchado com trabalhadores terceirizados. Sendo eleito prefeito o senhor vai acabar com os terceirizados?
RN – Vamos priorizar os servidores concursados, procurando melhorar a remuneração e dando uma melhor condição de trabalho. Será feito um amplo estudo sobre os cargos da Prefeitura, tanto comissionados  quanto terceirizados. Então saberemos quais são os necessários para uma gestão eficiente na Prefeitura.

JD – Aracaju é a única capital do País que não tem uma Secretaria do Meio Ambiente. O senhor é filiado ao PV e sendo eleito prefeito será prioridade da sua administração a criação dessa Secretaria?
RN – Criaremos uma Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Sustentabilidade com técnicos admitidos através de concurso público. Os principais projetos dessa secretaria serão: realizar o licenciamento e a fiscalização ambiental em Aracaju, promover um Plano de Arborização da Cidade e um Projeto de Despoluição do Rio Sergipe e, principalmente,  ir em busca de recursos federais e internacionais para a execução desses projetos.

JD – Qual vai ser a postura de sua administração com relação aos grandes conglomerados que degradam o meio ambiente?
RN – Fiscalizando e agindo com todo rigor da lei, o órgão ambiental tem um papel fundamental no processo, cabendo a ele o licenciamento das obras potencialmente degradadoras do meio ambiente, dentro do Sistema Nacional do Meio Ambiente – SISNAMA. A Prefeitura vai trabalhar em benefício da população e não será influenciada por nenhum grande conglomerado.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade