Segunda, 26 De Fevereiro De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Operação em oito municípios combate tráfico e homicídios


Avatar

Publicado em 09 de fevereiro de 2024
Por Jornal Do Dia Se


COMANDO DA PM MOSTRA COMO SERÁ A ‘OPERAÇÃO CARNAVAL’(Divulgação)

Oito municípios foram palco no início da manhã de ontem da Operação Caceia, deflagrada pela Secretaria de Estado da Segurança Pública dos estados de Sergipe e Alagoas, com o objetivo único de desarticular uma organização criminosa responsável por diversos crimes relacionados ao tráfico de drogas, homicídios e roubos de veículos. Pelo Governo de Sergipe foi revelado que, das oito cidades, sete são sergipanas e uma alagoana. Para esta atividade foram acionados agentes das polícias Civil, Militar, além do apoio tático da Polícia Rodoviária Federal (PRF), e Polícia Federal. Em Simão Dias e Maruim, as polícias atuam contra o tráfico de drogas. Já em Pacatuba, São Cristóvão, Neópolis, Brejo Grande, Ilha das Flores e Piaçabuçu (AL), a operação Caceia foi contra, além do tráfico, homicídios e roubos de veículos.
Em comunicado oficial a SSP revelou ainda que dezessete pessoas foram alvos dos mandados no município de Simão Dias, onde investigações apontaram que existe uma associação criminosa, cujo líder recebe drogas provenientes da Bahia e Grande Aracaju, sendo encarregado de distribuir os entorpecentes nos pontos de venda identificados em Simão Dias. Os demais membros fazem a venda direta das drogas e repassam parte do lucro arrecadado ao líder da associação criminosa. Ao todo, são 15 mandados de busca e apreensão que estão sendo cumpridos nesta operação. Segundo a polícia, o nome ‘caceia’ é em alusão ao conjunto de redes de pesca, amarradas entre si, que os barcos jogam em alto mar.
Participam da operação o Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), Agência de Inteligência da Polícia Militar, Divisão de Inteligência da Polícia Civil (Dipol), Companhia Independente de Operações Especiais (Cioe), Batalhão de Polícia de Caatinga (BPCaatinga), Dracco/AL, Bope/AL e Copes/AL. Previsto no artigo 33 do Código Penal, cabe pena de reclusão entre 5 e 15 anos, por exemplo, para quem preparar, produzir, vender, oferecer, ter em depósito, transportar, guardar, prescrever, ministrar, entregar a consumo ou fornecer drogas. No caso que envolve roubo – conforme descrito na lei como subtração mediante grave ameaça ou violência -, a pena prevista é de 4 a 10 anos e multa. Os nomes dos suspeitos não foram revelados.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade