Quinta, 20 De Junho De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Quadrilha de traficantes tinha gestante e até idosa


Publicado em 21 de julho de 2012
Por Jornal Do Dia


O GRUPO FOI APRESENTADO NA SSP E SURPREENDEU PORQUE ERA COMANDADO POR DUAS MULHERES

A quadrilha foi apresentada ontem à tarde

Gabriel Damásio
gabrieldamasio@jornaldodiase.com.br

Uma mulher prestes a ter o seu quinto filho e uma senhora de 56 anos que aparenta ser mais idosa do que o registrado nos documentos, são apontadas pela Polícia Civil como integrantes de uma quadrilha de traficantes de drogas que agia no conjunto Nivaldo Silva, conhecido como "Bairro Matança", periferia de Estância (Litoral Sul). O grupo, formado por 13 pessoas, foi preso ontem de manhã em uma operação deflagrada pela Delegacia Regional do município, com apoio de policiais de outras delegacias da região e da Coordenadoria de Polícia do Interior (Copci). Mais de 50 policiais foram mobilizados para cumprir 11 mandados de prisão e outros sete mandados de busca e apreensão, todos expedidos pelo juízo da Vara Criminal de Estância.

Segundo o delegado regional Ademir Melo, as investigações começaram há mais de um mês, quando denúncias anônimas indicavam a alta movimentação de traficantes e viciados na "Matança", onde também o consumo de drogas como maconha e crack era feito livremente. Com o grupo, foram apreendidos cerca de R$ 400 em dinheiro e quase 500 pedras de crack prontas para venda. A quantia, segundo a polícia, equivale à média vendida pela quadrilha a cada final de semana. As principais provas contra os envolvidos, no entanto, são gravações feitas por policiais que se passaram por usuários de drogas e, com câmeras escondidas, registraram toda a venda feita pelos acusados.

De acordo com Ademir, o grupo era chefiado pelas irmãs Lucielma Santos Silva, 30 anos, e Urânia Santos Silva, 35, que também eram as fornecedoras. "A Urânia comprava essas drogas em grandes quantidades e as repassava para os outros traficantes, que revendiam a granel não só no próprio bairro, mas também em outros locais do município. E a clientela era bastante variada", disse o delegado. A suspeita da polícia, ainda a ser apurada, é de que o crack e a maconha vendidos pelo grupo eram comprados por Urânia e Lucielma na Bahia e em São Paulo.

Além das duas irmãs, foram presas 11 pessoas, sendo quatro mulheres, quatro homens e dois irmãos adolescentes de 15 e 17 anos. Entre as mulheres, está Josefa Maria dos Santos, 56 anos, a "Galega", cuja situação chamou muito a atenção dos policiais que participaram da apresentação do grupo, ontem à tarde, na Academia de Polícia Civil (Acadepol). Franzina e bastante envelhecida, ela caminhava devagar de um lado para outro, aparentando nervosismo e queixando-se da vontade de ir ao banheiro. A situação mais chocante, contudo foi a de Acácia Regina de Jesus Silva, 29, grávida de nove meses e que já teve outros quatro filhos. Sentindo-se mal, ela ficou sentada em uma das cadeiras da Acadepol e policiais temiam que ela entrasse em trabalho de parto no próprio auditório, o que não aconteceu.

A jornalistas, a gestante negou que estivesse vendendo drogas, mas admitiu ser usuária de crack desde os 16 anos. "Já tentei parar, eu quero largar esse vício, mas não consigo", disse ela, contando que, dos quatro filhos que já teve, um já morreu, outra vive em Aracaju e os outros dois, ainda pequenos, ficaram em Estância. "Pra esse que vai vir, eu desejo o melhor pra ele. Chamar por Deus não faz mal, né moço?", disse ela, ao ser perguntada sobre o vício e o futuro do bebê, que será um menino. O delegado Ademir Melo se disse surpreso com os casos de Josefa e Acácia. "Surpreende de certa forma, porque a gente percebe que o crime de tráfico começa a atingir várias camadas da população, como idosos, gestantes, menores de idade… e isso de certa forma causa impacto, principalmente em nós que convivemos diariamente com a criminalidade", afirmou ele.

Os outros presos foram identificados como Maria Cristina Costa de Oliveira, 34, Ana Angélica de Jesus, 34, Joseval Lima dos Santos, o "Val", 39 anos, William Santos Bispo, 18, Adalberto de Oliveira Júnior, 19, e os irmãos Joilson dos Santos, 27, e Jailson dos Santos, 26. A maior parte deles teve a prisão decretada e a outra parte foi autuada em flagrante. Segundo o delegado, será investigada a participação deles em outros crimes além do tráfico de drogas, como roubos e homicídios.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade